Carreiras Exponenciais: O que é preciso para acelerar o seu crescimento profissional?

O mercado de trabalho vêm se transformando cada vez mais rápido. Essa é uma ótima oportunidade para construir carreiras exponenciais. 

Nos dias de hoje, é cada vez mais comum vermos empresas crescer num ritmo acelerado que não víamos antes. Diante disso, vemos também pessoas que têm as suas carreiras ascendendo de maneira exponencial num curto espaço de tempo.   

As novas gerações que acabaram de entrar no mercado de trabalho, já entram com outro mindset: eles querem crescer rapidamente na carreira. Mas, será que isso é visto com bons olhos pelas empresas? Segundo o Fabrizio Gutiérrez, VP de Cultura e Pessoas da Apex Partners, a questão é vista com naturalidade:

“A geração dos nossos pais buscava estabilidade no trabalho. Depois veio a geração X, que são os workaholics. Depois, a geração Y, que quer as coisas para ontem e procura entregar impacto social e deixar legado. E, por último, a geração Z, que são os nascidos a partir do ano 2000: eles são ainda mais preocupados com seu impacto no mundo, são mais rápidos e ansiosos” 

Mesmo sabendo que as gerações vão se modificando, é importante ter claro que tudo tem um tempo. Não há como entrar na empresa como trainee e depois de um ano virar diretor. É necessário aprender e vivenciar o trajeto todo com maturidade. Ainda assim, é possível ter uma carreira sólida e um crescimento exponencial.  

Carreiras Exponenciais

A seguir, listamos alguns pontos fundamentais para quem quer ter uma carreira com crescimento exponencial, são eles:

  • É fundamental aprender a aprender: tudo muda muito rápido, por isso, temos que estar sempre dispostos a aprender coisas novas. Aprender a desaprender também é uma lição, afinal, não é mais só atualizar alguns conhecimentos, mas sim mudar completamente alguns padrões de raciocínio.
  • Ter um propósito de vida muito bem definido. Se você não tiver um horizonte, você vai fazer coisas apontando para todos os lados. Pense na sua carreira e onde você quer chegar. O que você quer? Isso é o principal.  
  • Estude muito! Não se contenha somente com o que você aprendeu na faculdade. A faculdade não supre todas as nossas necessidades e muitas coisas mudam no período em que você faz o curso. Então, procure sempre estar em contato com novos desafios e aprendizados.  
  • Estabeleça metas diárias: acorde com metas definidas. Pense: o que eu vou fazer primeiro? O que demanda mais o meu tempo? Quando eu tenho mais energia para fazer as coisas mais difíceis? Planeje e saiba priorizá-las.
  • Assuma projetos! Veja a área que você está e pense “o que eu posso fazer para resolver esses problemas”? Além de te dar protagonismo, te dá visibilidade. Mostrar que você está ali e disposto é importante para você ser notado.  

Seguindo estas dicas, você estará melhor preparado para uma carreira exponencial.  

Quer saber mais sobre isso? Fizemos um webinar sobre o tema “Aceleração de Carreira – Como se planejar para ter uma carreira exponencial”, com o VP de Cultura e Pessoas da Apex Partners, Fabrizio Gutiérrez. Para assistir, é só clicar nesse link aqui.  

 

Como se sair bem em uma entrevista: veja 9 dicas!

Encaminhou diversos currículos e foi convidado para a entrevista? Que ótimo, isso já é motivo para comemorar! Afinal, significa que você já passou por um funil e agora efetivamente faz parte do processo seletivo. Mas, só de pensar fica com borboletas no estômago e com as mãos trêmulas? Calma! Uma das dicas de como se sair bem em uma entrevista de emprego é respirar fundo e deixar o nervoso de lado.

Quer saber mais algumas orientações de como chamar atenção do recrutador durante o processo de seleção? Fique aqui que a gente te conta.

9 dicas como se sair bem em uma entrevista de emprego

1. Escolha roupas adequadas

Esse é um fato simples mas que deve ser tratado com muito cuidado, pois pode fazer a diferença. Um dos principais dilemas e dúvidas de como se sair bem em uma entrevista de emprego está associado com a escolha da roupa. Será que uma calça jeans e uma camiseta é uma boa opção? E no pé, sapatênis, sapatilha ou salto? Qual a melhor opção? Pesquisar sobre o dress code da empresa é uma carta na manga. Mas, na dúvida, aposte em uma combinação mais social.

2. Mantenha a calma

Por mais difícil que seja colocar esta dica em prática, ela é uma das mais importantes. O nervosismos é o maior inimigo de quem quer se sair bem em uma entrevista de emprego. Mas, ele pode e deve ser controlado. Quando em excesso passa uma má impressão ao recrutador, de instabilidade e insegurança. É preciso mostrar-se confiante e seguro de si, isso eleva sua credibilidade e capacidade de jogo de cintura para lidar com situações inesperadas. Mas, como manter a calma diante de uma situação dessas? A dica é tentar relaxar antes mesmo de ir a entrevista. Alimente-se bem, faça algo que goste, medite e respire fundo. Confie em você e tudo dará certo.

3. Demonstre interesse

Mostre que você realmente quer aquela vaga e que é a melhor opção. Olhe nos olhos, fale com vontade, sorria, exemplifique e deixe claro para o recrutador o seu interesse. Afinal, pessoas interessadas encantam e chamam atenção de qualquer um. Essa é uma dica de mestre de como se sair bem em uma entrevista de emprego. Use-a!

4. Valorize seus pontos positivos

“Não tenho experiência nenhuma”… “Saí muito rápido do meu antigo emprego por problemas de adaptação”… “Ainda não terminei a faculdade”… Este não é o caminho! Você precisa focar e valorizar seus pontos positivos. Se mostre proativa, dedicada e responsável. Afinal, ninguém sabe tudo, mas quem realmente se sobressai é quem vai atrás do conhecimento. Mostre que você quer fazer acontecer e vai em busca de atingir os resultados. Valorize-se!

5. Prepare-se

Quer saber como se sair bem em uma entrevista de emprego? Prepare-se! Estude a empresa, se já souber quem irá entrevistá-lo, pesquise sobre esta pessoa também. Isso mostra que você está interessado na vaga e é proativo. Uma ferramenta que pode ser um grande aliado para você conseguir essas informações com mais facilidade é o Linkedin. Levar o currículo ou profile do bettha impresso também é uma forma de mostrar que você se preparou para a entrevista.

6. Tome cuidado com as palavras

Cuidado com as palavras é, sem dúvidas, uma dica de ouro de como se sair bem em uma entrevista de emprego. Nada de gírias! Palavras de baixo calão, em hipótese alguma. Use palavras que mostrem o seu repertório e conhecimento, pois este é um dos principais meios de avaliação em um processo seletivo.

7. Não minta

Outra dica de como se sair bem em uma entrevista de emprego é: Não mentir! O recrutador é um profissional formado e especializado para tal. Ele sabe exatamente quais são as perguntas ideais a se fazer, como fazer e identifica quando o candidato está criando histórias para se enaltecer. Se está inseguro por ter pouca experiência, superior incompleto, dentre outras situações. A dica é focar em seus pontos positivos e tentar levar a conversa para um outro lado, mas mentir, nunca.

8. Tenha postura

A linguagem corporal diz muito sobre como uma pessoa pensa e/ou está se sentindo. Lembre-se, desde o primeiro momento você está sendo avaliado! Sorria, olhe nos olhos de quem estiver falando, mantenha a postura ereta, todos essas ações serão vistas positivamente. Cruzar os braços, fazer movimentos bruscos, mostrar muito nervosismo ou sentar de qualquer jeito, são atitudes que não te ajudarão a se sair bem em uma entrevista de emprego

9. Seja você mesmo

A melhor estratégia é sempre ser nós mesmos! Não tente elaborar histórias e frases muito sofisticadas para impressionar pois você pode acabar se enrolando. Quanto mais natural agir, melhor fluirá a entrevista. Pense que é apenas uma conversa com uma pessoa super importante, e sua principal tarefa é impressioná-la por quem realmente você é. Respire fundo, capriche no visual, prepare-se, mostre interesse e as chances dessa vaga ser sua aumentarão.

E por último, lembre-se: o Bettha tá sempre aqui pra te ajudar a evoluir na carreira e estar cada vez mais preparado para o mercado de trabalho! Conta com a gente!

 

 

Um bate papo sobre aceleração de carreira: você sabe onde (e quando) quer chegar?

Planejar a própria carreira é fundamental! Tem aqueles que querem ir crescendo e aprendendo devagar, outros preferem empreender e tem também aqueles que querem um crescimento rápido e exponencial. Além de muito esforço, é necessário uma boa dose de autoconhecimento para conseguir reconhecer suas habilidades, seu momento de carreira e não perder o foco no seu objetivo. E quando o assunto é autoconhecimento e mercado de trabalho, o Bettha está sempre aqui para te auxiliar a fazer as melhores escolhas na sua carreira.  

Webinar: Acelaração de Carreira – Como se planejar para ter uma carreira exponencial

Pensando nisso, hoje (29), às 19h30, teremos um webinar sobre “Aceleração de Carreira – Como se planejar para ter uma carreira exponencial”, com o VP de Cultura e Pessoas da Apex, Fabrizio Gutiérrez. Nós iremos falar sobre as diferentes visões que as novas gerações têm de carreira e como são essas carreiras que crescem exponencialmente.  

Além de explicar sobre os assuntos que interpassam a questão principal do bate papo, também estaremos respondendo dúvidas dos nossos Betthas. Ah, uma pergunta eu já sei que vai rolar: você quer saber como fazer para acelerar a sua carreira, né? Hum… então, vamos te adiantar essa receita, para você ficar querendo logo o nosso bate papo de mais tarde.  

  • Primeiro de tudo: defina o seu propósito. Sem ele, você ficará perdido a tantas oportunidades e vai ser difícil chegar onde você quer rapidamente.
  • Segundo: Faça networking. Uma rede de pessoas e colaboradores é essencial para que seu trabalho seja cada vez mais valorizado e reconhecido.
  • Terceiro: Inove-se! Estar sempre aprendendo é fundamental, faça cursos e procure novos conhecimentos sempre.
  • Quarto: Leia! Faça dos livros os seus melhores amigos. Eles vão te ensinar, te questionar, te fazer pensar em novas possibilidades e abrir a sua mente.  

Essas dicas são fundamentais para conseguir estabelecer um plano para crescer e ser feliz na sua carreira. Nosso convidado falará muuuuito mais sobre esses tópicos (e muitos outros) ao vivo. Então, não perde! Prepare-se e mande a sua pergunta.
Nosso encontro é hoje (29) às 19h30, nesse link aqui.

Job Rotation: uma ótima oportunidade para descobrir habilidades

Já pensou que legal, você recém-admitido numa empresa que tenha tudo a ver com o seu estilo de trabalho, podendo se revezar em várias áreas diferentes?

Com certeza, em sua faculdade ou empresa, você já ouviu falar num processo chamado Job Rotation. Mas você sabe exatamente o que é?

O que é Job Rotation?

O Job Rotation é uma prática já muito adotada pelas empresas para ampliar o aproveitamento e aprendizado dos funcionários. Nesse processo, os novos funcionários podem ficar um tempo atuando em diferentes áreas da empresa.

O contratado pode ficar um pouco na área de produção, depois aprendendo com o pessoal do marketing, passando pelo financeiro, vendas, etc… Ele irá se revezar em diversas áreas durante um determinado tempo, com o objetivo de conhecer todos os processos e atividades especificidades de cada área, a fim de se tornar um profissional mais capacitado e com um alto nível de conhecimentos sobre as atividades da empresa.

Dessa maneira o profissional se torna completo, aprendendo na prática como funcionam todos os setores da empresa.

Todo este processo nos força a sair da nossa zona de conforto, afinal, é preciso buscar mais informações sobre a empresa, conhecer vários procedimentos diferentes, aprender a desempenhar diferentes habilidades. Além disso, este é um ótimo exercício para quem quer exercitar sua liderança e networking.

Atualmente, o Job Rotation é realizado em larga escala nos processos de estágio e trainee. E isso, justamente para que o recém formado possa perceber se a área em que se graduou é, realmente, onde há a sua maior identificação.

Está procurando vagas de estágio ou trainee? Clique aqui para dar uma olhada nas vagas do bettha! 

Esta prática vem sendo adotada para maximizar o aprendizado dos funcionários dentro da realidade do negócio. Com esse ritmo de trabalho, o funcionário estará sempre em movimento.

Você já trabalhou com Job Rotation alguma vez? Tem vontade de trabalhar com isso? Divide as suas experiências aqui com a gente!

 

5 carreiras que você pode seguir se fez administração

Em uma sala de aula da faculdade de administração, não existem apenas aqueles que sonham em trabalhar em uma grande multinacional. Administração é uma das carreiras mais procuradas no Brasil e pode se desdobrar nas mais diversas áreas.

Nos últimos 15 anos, o número de formados nesta graduação teve aumento de 182%. O curso navega entre várias áreas do conhecimento e isso faz com o que aluno tenha um pouco de conhecimento sobre cada tema. Depois de formados, os administradores tem condições de trabalhar em diversos setores.

Pensando nisso, listamos 5 carreiras que você pode seguir se fez administração. A variedade de opções é grande e por isso, é importante que cada pessoa entenda suas habilidades e estilo de trabalho para entender qual é a melhor oportunidade para si.

  1. Administração de Empresas

    Está é uma das opções mais óbvias quando pensamos em administração. O administrador de empresas é responsável por sua gestão, podendo atuar desde o planejamento e execução de estratégias até nos processo de fluxo de caixa e logística. Conhecimentos em contabilidade, marketing e gestão de pessoas serão necessários. O profissional que optar por essa carreira, poderá trabalhar em diversos setores: moda, gastronomia e tecnologia são alguns exemplos.

  2. Agronegócio

    Essa á uma ótima opção para quem se interessa por zonas rurais. Quem se especializa em administração de agronegócios geralmente trabalha com a gestão de empresas rurais. Além de administração, o profissional deve ter conhecimento em controle de safras e em agronegócio. As tarefas do dia a dia são variadas e passam por contratação de funcionários, gestão de recursos financeiros, controle dos processos envolvidos na produção agrícola e comercialização dos produtos.

  3. Marketing

    No marketing, o administrador irá atuar com o planejamento de estratégias para fortalecer a marca e aumentar os lucros de um negócio. Um exemplo de objetivo nesta carreira é o engajamento dos clientes. Para isso, o profissional deve conhecer as necessidades do seu público-alvo, e com base nesta informação, criar produtos e desenvolver campanhas direcionadas ao público da marca.

  4. Administração Pública

    Os administradores públicos podem atuar em órgãos municipais, estaduais ou federais, onde serão responsáveis pelo planejamento e gerenciamento de órgãos públicos. Um dos principais objetivos de quem segue essa carreira é o desenvolvimento, a supervisão e a avaliação de ações voltadas para atender às necessidades coletivas da população.

  5. Gestão Hospitalar

    Para gerenciar um hospital, é necessário ter conhecimento em administração, contabilidade e políticas públicas da saúde. É de responsabilidade do gestor hospitalar a organização da instituição – incluindo o controle do estoque e o descarte consciente do lixo produzido no hospital, a manutenção do espaço físico e a gestão dos colaboradores do local.

Além das carreiras que destacamos aqui, o administrador de empresas pode trabalhar em diversas outras áreas e dentro de uma mesma área, desempenhar diversas funções. Tudo isso graças ao currículo generalista dessa graduação.

Você quer empreender? Dá uma olhada nesse artigo aqui: O seu desejo é empreender? Vem ver essas dicas! 

Fica com você o dever de escolher a opção do que se adequá mais ao seu perfil profissional, mas fica tranquilo, você não precisa fazer essa escolha sozinho! O bettha está aqui pra te ajudar 🙂

Em nossa plataforma, você encontra mapeamentos de perfil que vão te ajudar a se conhecer melhor e diversas jornadas de conhecimento que farão com que você explore cada vez mais os seus pontos fortes.

 

Mundo VUCA, você sabe o que é?

O mundo muda em velocidade muito acelerada e com destino incerto, proporcionando várias respostas para uma mesma questão. Apesar de ter surgido na década de 90 no ambiente militar norte-americano, o conceito de mundo VUCA ainda se aplica com muita precisão quando se busca explicar o momento atual de transformações que vivemos. 

VUCA é um acrônimo que mostra característica marcantes do momento que estamos vivendo: Volatilidade, Incerteza, Complexidade e Ambiguidade. O conceito mostra que as mudanças disruptivas pelas quais passamos traz desafios pessoais grandes, justamente por romper alguns padrões. Nesse contexto, é comum que nos sintamos aflitos frente a tantos desafios.  

Vamos entender o que significa o mundo VUCA? 

  • Um mundo VOLÁTIL: É mais difícil prever cenários, pois as mudanças têm ocorrido com muita agilidade. Nesse cenário, é mais importante estar pronto para o inesperado do que investir muito tempo planejando as ações e situações nos mínimos detalhes.  
  • Um mundo INCERTO: Apesar de grande quantidade de informações, elas não são tão úteis para compreender o futuro. As soluções de hoje em geral podem não ser aplicáveis aos problemas futuros. Isso, porque as coisas estão mudando muito rápido, e muitos dos problemas são inéditos.  
  • Um mundo COMPLEXO: As pessoas, funções e obrigações estão conectados e a interdependência amplia essa complexidade. Não é mais possível prever os resultados de ações isoladas, pois tudo agora faz parte de um sistema complexo e interconectado.
  • Um mundo AMBIGUO: A ambiguidade é a falta de clareza e concretude, existem muitas maneiras de analisar esses conceitos complexos. E como esse mundo é volátil, os impactos podem não ser analisados com base num histórico ou experiências anteriores, pois quase tudo é novo. Isso dá margem para várias interpretações, igualmente pertinentes. 

Para se destacar nesse ambiente volátil, incerto, complexo e ambíguo é necessário aprimorar algumas habilidades como resiliência, flexibilidade, multidisciplinaridade e coragem.

Você tá pronto para isso? As jornadas de conhecimento do bettha podem te ajudar! 

 

Já pensou em estagiar com uma das maiores paixões do país, o cafézinho?

Os estagiários da JDE compartilharam com a gente um pouquinho da experiência de estagiar na empresa, vem ver!

Muita coisa pode acontecer ao redor de uma xícara de café. Seja na sala de casa com a família, numa conversa de trabalho ou sozinha ao final da tarde: todos merecem tomar o café que amam. É nisso que JACOBS DOUWE EGBERTS (JDE), uma companhia global de cafés, acredita.

No Brasil, a empresa é conhecida pelas marcas Pilão, Damasco, L’OR, Café do Ponto, Caboclo, Café Pelé, Moka, Seleto e Senseo. Sendo segunda maior empresa de café do país, com liderança absoluta em São Paulo e no Rio de Janeiro. Seus escritórios estão espalhados por Barueri (SP), Santos (SP), Curitiba (PR), Recife (PE) e Rio de Janeiro (RJ), e as fábricas ficam em Jundiaí (SP), Salvador (BA) e Piumhi (MG).

Como é trabalhar na JDE?

Na JDE você será um defensor da democracia do café, além de trabalhar em um ambiente ágil e colaborativo, com uma equipe que celebra cada conquista. Para o Fabrício Araújo, de 21 anos, a experiência tem sido diferente de todas as oportunidades que ele já teve. “Entrei como estagiário de TI há 1 ano e 8 meses. Serei efetivado no próximo mês”, celebra o ainda estudante de Ciência da Computação.

Por conta do programa Job Rotation – que pode ser traduzido por rotação de trabalho, um sistema no qual os funcionários trabalham em um tipo de rodízio de funções, atuando em diferentes departamentos por um período de tempo determinado – o jovem teve a oportunidade de trabalhar em diversos projetos, inclusive globais, com impactos financeiros importantes para a companhia.

“Eles confiam no meu trabalho e me deixam tomar decisões. Sou uma pessoa diferente, melhor do que era antes de ter entrado aqui”, diz Fabrício. E não pense que essa é uma situação inusitada, não. O Ricardo Scaff Trabulsi Silva, 25 anos, também tem uma experiência muito boa com a empresa.

Ele iniciou o estágio na área de Marketing em maio de 2016, se tornou analisa jr em 2017 e em agosto de 2018 foi promovido a analista pleno. “Eu sou parte da companhia, então sou dono do meu trabalho. E quero sempre entregar o melhor resultado possível”, conta o administrador. “Tem muita oportunidade para crescer para quem faz, e para crescer. Cada um faz sua trajetória, é reconhecido de acordo com a sua entrega”, completa.

A empresa gosta de quem desafia o status quo e persegue a excelência em tudo que faz. Ficou curioso? Acha que tem o perfil da empresa? Que tal dar uma olhada no Programa de Estágio que acabou de abrir no Bettha? Corre pra lá!

Empresas juniores e a construção de uma carreira de sucesso

As empresas juniores e a construção de uma carreira de sucesso

Ambientes desafiadores, desenvolver-se todos os dias, ter autonomia, trabalhar com algo que gere impacto na vida de alguém e na sociedade. Então, esses são alguns pontos que o jovem de hoje em dia acha importante quando o assunto é carreira. Por isso, a boa notícia é que as empresas juniores fazem o universitário desenvolver essas habilidades.  Saiba mais sobre empresas juniores e a construção de uma carreira.

Mas, se você ainda não sabe o que é ou como funciona uma empresa júnior, leia esse post o que é uma empresa júnior . 

Pensando nisso, listamos 5 motivos para você participar de uma empresa júnior: 

 

  1. Conhecimentos em prática!

    Mesmo com os exercícios, cases, oficinas, seminários e projetos feitos em sala de aula, é muito mais fácil colocar em prática toooodo aquele conhecimento teórico aprendido quando você vive a realidade da profissão. 

  2. Mercado de trabalho logo ali!

    Estar em uma empresa júnior é a possibilidade de se preparar para o mercado logo nos primeiros semestres da faculdade. Por isso, a experiência é ótima para os estudantes que acabaram de sair do ensino médio e nunca tiveram contato com o trabalho em uma empresa.  

  3. Líderes sendo desenvolvidos!

    Quem administra as empresas juniores são os próprios graduandos. Dessa forma, eles desenvolvem seu lado empreendedor, além de aprender na prática temas como gestão financeira e de qualidade, gestão de pessoas. Além disso, você desenvolve protótipos de novos produtos, atua com recursos humanos, consultoria e planeja projetos para as organizações.  

  4. Conhecer pessoas!

    O trabalho com clientes é uma oportunidade ótima para aumentar o networking. Portanto, os membros têm a oportunidade de ir à conferências, reuniões e aumentar a sua rede de relacionamento. 

  5. É um diferencial!

    Enriquece o seu currículo, isso é fato! Afinal, na empresa você passa por desafios e as situações enriquecedoras, chegando numa entrevista de emprego mais seguro e desenvolvido para ingressas no mercado de trabalho com mais capacidade.  

sobre home office

Em dúvidas sobre home office? Nós vamos te ajudar!

Ainda há muitas dúvidas sobre home office. É verdade que esse modelo de trabalho é ótimo: você economiza o tempo que ficaria no trânsito, pode preparar o almoço fresquinho, acordar mais tarde e nem precisa tirar o pijama. Essa ideia é maravilhosa! Certo? Hum… nem tanto.  

É claro que os benefícios são muitos, como a parte de se livrar do trânsito. Mas alguns outros pontos, como trabalhar de pijama, pode transformar o home office num grande fracasso. Para evitar que isso aconteça, vamos esclarecer alguns pontos sobre esse tema. 

SERÁ QUE É O TRABALHO DO FUTURO? 

O home office é uma tendência no mundo todo que ganha cada vez mais adeptos. Muitas iniciativas já foram implementadas e existem resultados comprovados de sua efetividade, tanto para a empresa que adota essa cultura quanto para o colaborador.

Estados Unidos da América, Alemanha e Reino Unido lideram em número de profissionais trabalhando nesse modelo. Já aqui no Brasil, a cidade de São Paulo é a que sai na frente com mais trabalhadores remotos como alternativa parcial ou integral. E, segundo o estudo, a tendência é aumentar, viu?! 

NÃO SIGNIFICA TRABALHAR SÓ DE CASA 

A tradução literal é trabalho em casa, mas isso é uma definição genérica para o trabalho que é realizado em espaço alternativo. Este local pode ser ou não na sua casa. Afinal, é muito possível – e gostoso – fazer “home office” em cafés, hotéis, parques… ou em casa.

Existem vários termos para serem usados com essa finalidade: trabalho remoto, teletrabalho, trabalho à distância, ou trabalho portátil. Dicas extras: atente-se à internet, é necessário que tenha uma boa conexão para que você não fique na mão num momento importante. Outra coisa legal a se fazer é uma listinha de cafés legais para você trabalhar. Esse up extra traz mais criatividade e motivação para o trabalho fora do escritório.  

NEM PIJAMA E NEM PANTUFA 

Você pensou que era só sair da cama e sentar na escrivaninha? Está muito enganado. O trabalho remoto exige maturidade e profissionalismo. É mais leve, descontraído, mas o assunto é sério. E esta atitude começa na hora de se vestir para trabalhar.

Quem trabalha em casa e fica de pijama, ou sem camisa, acaba refletindo este desleixo na qualidade de suas tarefas. É claro que não é necessário colocar terno e gravata, mas a postura que você dá quando trabalha irá refletir em seus e-mails, nas conversas com os clientes e na sua entrega. Trabalhe com uma roupa confortável, mas que transmita uma atitude profissional para si mesmo e para os outros. 

NÃO É PARA TODO MUNDO 

Por diversas razões, nem todo profissional pode trabalhar home office. Existem restrições de atividades que são impossíveis de fazer remotamente. Aqueles que precisam do contato físico com um paciente ou cliente, por exemplo. Ou, quando algumas ferramentas necessárias para fazer o trabalho não podem sair da empresa – por não serem portáteis, serem perigosas ou sigilosas -.

Dessa forma, também é importante ficar atento a três pontos: o ambiente de trabalho, a família e o colaborador devem possuir as características necessárias para que o trabalho fora de seu ambiente comum seja realizado da melhor maneira possível. Um profissional que acabou de ser promovido a chefe, montou seu home office na cozinha ou não tem uma família colaborativa, por exemplo, terá dificuldade para trabalhar remotamente. 

NÃO É TRABALHAR QUANDO SOBRAR UM TEMPINHO 

Tem gente que pensa que trabalhar de casa é tirar um cochilo depois do almoço, ir ao cinema do meio da tarde ou tomar uma cervejinha com os amigos num happy hour às 18h.

No entanto, para que o trabalho flua com leveza e produtividade, é necessário autocontrole e disciplina para saber a hora de começar e terminar a jornada de trabalho. E saber lidar com as tentações do Netflix e um sofá confortável a alguns passos de você. É importante organizar o espaço de trabalho para gerenciar o tempo e o andamento das tarefas, para que nada se perca nos prazos e na qualidade.  

É BOM DEMAIS! 

Apesar de ser uma maneira nova de trabalhar, de ter que ficar atento a comportamentos que não existem no escritório. Por isso, para o profissional que é mais disciplinado, trabalhar de casa é ótimo. Existem desafios, mas quem consegue administrar seu tempo e produzir com qualidade no home office acaba trabalhando melhor e aproveitando muito mais a vida.

O tempo de stress no trânsito pode ser substituído por uma atividade física, o restaurante na esquina pode ser trocado por um almoço fresquinho. Inclusive, há a possibilidade de organizar o seu tempo com autonomia. Além disso, trabalhar em home office aumenta a motivação e reduz interrupções de colegas e reuniões desnecessárias, aumentando a produtividade.  

melhores líderes são apresentados na imagem

Os melhores líderes são os mais humanos

Por Sofia Esteves

As diferentes perguntas que recebo são inspirações para novos posts. Recentemente me perguntaram:  “vamos lá, Sofia, na prática mesmo o que diferencia os meninos dos homens (ou as meninas das grandes mulheres) na liderança”? Pois bem. Então vamos falar um pouco sobre isso.

Realidade do mercado de trabalho

Mais do que competências técnicas – e, em alguns casos, até experiência – o que as empresas esperam dos executivos e executivas é maturidade, inteligência emocional, resiliência, visão de futuro e capacidade de lidar com cenários adversos para colocar sua estratégia em prática.

Os profissionais na alta liderança não precisam ser super-heróis, capazes de resolver todos os problemas e encontrar todas as soluções sozinhos. Ao contrário. Por isso, precisam, sim, ser pessoas que se conhecem muito bem.

Elas devem reconhecer seus pontos fracos, não têm problema em admiti-los. Por isso, buscam as pessoas certas para fazer parte de sua equipe. Assim, quanto mais humano esse líder for, mais admirado será pela sua equipe. Consequentemente, mais empenho terá de cada um para cumprir tarefas e combinados.

Como até já falei aqui em um artigo anterior, na medida em que o time percebe o líder como alguém que também está sujeito ao erro, cria-se um círculo virtuoso de confiança e cooperação.

A figura do líder

Portanto, a figura do maestro ilustra bem o papel da liderança. Pode parecer clichê, mas gosto bastante dessa analogia. Ele (o maestro) tem competência para reger os músicos, mas sua atuação não faz o menor sentido sem a orquestra.

E por isso tem se falado tanto que o líder é, essencialmente, um gestor de pessoas. É preciso estar atento ao talento de cada um. Além disso, apoiar seu desenvolvimento para que a regência do maestro possa resultar em boa música.

Se esse maestro estiver mais preocupado em salientar seu próprio brilho do que orientar e ouvir seus musicistas para garantir um excelente resultado, muito provavelmente não terá profissionais dispostos a serem regidos por ele no curto, no médio e no longo prazo.

É exatamente isso que acontece no ambiente corporativo. Tanto que você já deve estar cansado de ler por aí que as pessoas costumam deixar os chefes e não necessariamente as empresas. Se você é líder de pessoas, vale a reflexão.