Imagem de um currículo com design diferente do convencional criado em Word

10 modelos de currículo para baixar gratuitamente

O currículo ainda é o mais importante para ser o escolhido em uma seleção. Entretanto, muitos profissionais ainda falham miseravelmente nesse item tão fundamental.

Erros de português, formatação inadequada, layout desorganizado… A lista de falhas é grande.

Entenda que o seu currículo é o seu cartão de visita. Assim, ele pode ser o primeiro ou o segundo (se considerarmos o LinkedIn) ponto de contato. Se o seu modelo de currículo não tiver uma leitura agradável e informações cruciais, você poderá perder a tão sonhada oportunidade para participar de um processo seletivo.

Não há muito segredo para se ter um bom currículo, mas há um item fundamental para ter um currículo impecável: atenção. Inclusive aos detalhes.

Se você tem dúvidas sobre a estrutura de um currículo e suas boas práticas, recomendamos que antes, você leia os 10 mandamentos para um bom currículo e como usar atividades acadêmicas no currículo.

A era do curriculum vitae foi remodelada, baby

Você não precisa ser o mago do Photoshop. Porém, ter senso estético ajudará a organizar melhor as informações no seu currículo.

Lembra que a primeira impressão é a que fica? Então. Ela não só fica como pode chamar a atenção do recrutador. É claro que a beleza do seu currículo não é mais importante do que as experiências e conhecimentos que estão ali. No entanto, ela é relevante. Ainda mais se você é da área de design, por exemplo. Não faz sentido um designer entregar um currículo feito no Word.

Por isso, selecionamos 10 modelos de currículo criativo para você baixar gratuitamente, editar e enviar para as vagas que desejar 🙂

Modelo de currículo #1

Clique aqui para baixar!

Modelo de currículo #2

Clique aqui para baixar!

Modelo de currículo #3

Clique aqui para baixar!

Modelo de currículo #4

Clique aqui para baixar!

Modelo de currículo #5

Clique aqui para baixar!

Modelo de currículo #6

Clique aqui para baixar!

Modelo de currículo #7

Clique aqui para baixar!

Modelo de currículo #8

Clique aqui para baixar!

Modelo de currículo #9

Clique aqui para baixar!

Modelo de currículo #10

Clique aqui para baixar!


Se você ou a vaga exige um currículo mais “coxinha”, o Office oferece modelos de currículo mais tradicionais que você pode encontrar aqui. Igualmente, o Google Docs também não fica atrás e possui alguns modelos que você pode acessar aqui. Em ambos, é só escolher o modelo de currículo, editar com as suas informações e voilà!

É possível baixar o seu perfil do LinkedIn em forma de currículo na extensão pdf. Todavia, não recomendamos que você use esse modelo. Apesar dele já vir certinho, ele serve mais como inspiração para uma boa estruturação. Assim, o ideal é que você crie um modelo de currículo com a sua personalidade 🙂

Ao enviar o currículo, SEMPRE envie em pdf. Exceto se o recrutador pedir por uma outra extensão, ok?

O pdf ajuda a manter a formatação original, mesmo que você tenha usado uma fonte ou elementos que não são nativos dos sistemas operacionais ou ferramentas.

Agora você não tem desculpa para não ter um currículo bonitão. Inspiração é o que não vai faltar!

Vale dizer que você não precisa seguir à risca. Em outras palavras, baixe um ou mais modelos de currículo da sua preferência e edite fonte, cores, elementos… Deixe-o com a sua cara. Só não esqueça do senso estético, ok?

Pessoas assistindo palestra com lousa ao fundo com os dizeres "Startup Day"

14 Vantagens de Trabalhar em uma Startup

Se você está envolvido no mundo da tecnologia, busca por crescimento e desenvolvimento em curto prazo, trabalhar em uma startup é para você.

Startups são empresas jovens que buscam desenvolver e escalar rapidamente seu produto ou serviço com o uso da tecnologia.

Às vezes, um notebook, uma boa estratégia e um pequeno suporte financeiro já são suficientes para tirar uma startup do papel. Acrescente trabalho duro e um pouco de sorte, e os primeiros clientes e um escritório serão as próximas conquistas.

Se você quer se aventurar nesse mundo e conhecer algumas das vantagens de trabalhar em uma startup, este artigo é para você 🙂

Como é trabalhar em uma startup?

Startups oferecem rotinas de trabalho que não são comparáveis ​​ao mundo corporativo, e isso faz parte do seu charme. Entretanto, trabalhar em uma startup está longe de ser um conto de fadas.

Muitas delas não estão transbordando dinheiro, pois ainda estão dando os seus primeiros passos. Além disso, sua estrutura, às vezes é um pouco instável.

Abaixo, você encontrará as vantagens que provavelmente incentivarão você a decidir se deseja trabalhar em uma startup.

14 vantagens de trabalhar em uma startup

1. Tudo ainda resta a ser feito

Esta é a maior vantagem de todas. Uma coisa boa sobre startups é que tudo ainda precisa ser feito.

Seu produto é tão novo que qualquer ideia ou toque que você sugerir pode contribuir para um maior crescimento.

Você nunca imaginaria trabalhar com tanta liberdade e ter a sensação de estar criando algo do zero.

2. Ambiente divertido

Por ser um time pequeno, é possível você ser próximo de todos, o que facilita a comunicação e relacionamentos mais fortes.

Além disso, como o trabalho é puxado, sempre há algumas regalias para equilibrar: cervejas, videogames, pizzas, pebolim, churrascos e outras diversões para desestressar.

3. Sentimento de pertencimento

Imagine como é complicado se destacar em grandes multinacionais com tantos profissionais e hierarquias… É difícil.

Em empresas muito grandes, é quase impossível conhecer toda a equipe. Isso pode dar a sensação de ser apenas mais um número entre todos.

Já as startups possuem equipes pequenas e coesas. Todo mundo conhece todo mundo e você tem total acesso ao CEO – que é colocado em um pedestal inacessível em outras empresas.

4. Crescimento veloz e furioso

Esta é uma das principais razões para trabalhar em uma startup: esqueça as promoções a cada cinco anos e posições inacessíveis.

Startups, quando crescem com sucesso, oferecem oportunidades para crescer muito rapidamente.

Seu modelo de trabalho permite que as pessoas ganhem experiência em menos tempo. Por isso, faz com que elas se movam rapidamente dentro da organização.

5. Amadurecimento também no estilo veloz e furioso

Trabalhar com autonomia lhe dará um senso de responsabilidade que talvez você levaria anos para adquirir em uma empresa comum.

Numa rotina de tentativa-erro, o aprendizado é muito mais eficaz e não é baseado em uma política cheia de regras de grandes corporações.

Os desafios de trabalhar em uma startup o ajudarão a identificar os seus pontos fortes e fracos. Assim, você poderá ajustá-los, potencializando sua carreira.


6. Contato com o mercado

O fato de o grupo de trabalho de uma empresa iniciante ser tão pequeno, significa que eles devem estar em contato direto com o próprio cliente.

E, como você sabe, quanto mais pessoal for o relacionamento, mais você aprenderá sobre as necessidades do cliente e do mercado. Como resultado, a prioridade será otimizar os produtos e serviços. Dessa forma, será possível garantir a satisfação do cliente.

7. Eventos, festas e happy hours

O que não faltam são eventos voltados à startups.

Esses eventos favorecem consideravelmente o aumento do seu networking. Assim, será possível criar parcerias fortes que resultam em trabalhos incríveis feitos por várias mãos.

Festas também são comuns. Happy hours, nem se fala!

Falando assim, parece que tudo é diversão, mas não é. Até mesmo a diversão tem pitadas de trabalho por trás, sempre visando uma nova parceria ou cliente.

8. Casual sempre

Trabalhar em uma startup oferece vantagens como trabalhar de regata, bermuda e chinelo. Assim, dificilmente você precisará de uma roupa mais “requintada” – a não ser em eventos, encontros com clientes ou premiações.

Essa informalidade permite trabalhar com mais conforto e sem se preocupar tanto com grandes esquemas de moda para harmonizar a cor X com a peça Y.

9. Fazendo mais com menos

O budget quase sempre é apertado em uma startup. Por isso, o objetivo é sempre fazer mais com menos.

Não há frescuras ou extravagâncias. Tudo é simples – o que não deixa de ser arrojado em algumas horas.

Você começará a ter essa mentalidade na sua própria vida pessoal, encontrando formas de realizar seus sonhos sem depender de muito money.

10. Flexibilidade e liberdade

Como o time é pequeno, geralmente cada profissional tem autonomia para definir metas, horários de trabalho, fazer home office, dentre outras coisas.

A liberdade é uma palavra comum e muito usada por quem trabalha em startups. Mas veja bem: toda liberdade requer responsabilidade.

11. Facilidade em desenvolver o líder que há em você

A autonomia é a chave para trabalhar em uma startup. Assim, ser muito dependente dos outros não o levará a resultados. Pelo contrário, o trabalho ficará estagnado, pois entende-se que você é o dono da tarefa.

Isso ajuda a desenvolver um espírito de liderança, pois você terá de tomar decisões (às vezes um tanto difíceis), resolver problemas, ter uma mente mais analítica e vestir a camisa. Para isso, precisa se portar, quase sempre, como o dono do negócio.

12. Empatia e colaboração

No mundo das startups, as pessoas se ajudam e compartilham conhecimento umas com as outras – mesmo entre startups.

Existem diversos encontros criados justamente para ter essa troca de experiências. Além disso, existe a possibilidade de você fazer um simples telefonema e conversar com outros profissionais de outras empresas, a fim de entender melhor como solucionaram problemas aos quais você está enfrentando.

13. Seu diploma não importa

Em startups, a sua formação e diploma não tem tanto peso. A sua garra, persistência, sede de conhecimento e vontade de colocar a mão na massa é que são fundamentais para você trabalhar em uma startup.

Nas startups, é comum que os profissionais não tenham formação acadêmica ou trabalhem com funções diferentes de suas formações.

O que importa mesmo é a sua vontade de aprender e fazer acontecer.

14. Recompensa com ações

Quando você já está na empresa há algum tempo, ou se você entra na startup em uma função de liderança, os donos do negócio podem te tornar um parceiro.

É claro que isso depende da startup da qual você faz parte e de como ela evoluiu desde que você ingressou. No entanto, há uma chance realista de você ser recompensado com ações da empresa.

Obviamente, isso tem prós e contras. Mas você parou para pensar no que aconteceria se a startup em que você trabalha se transformasse no próximo Instagram ou WhatsApp?


Trabalhar em uma startup pode ser um boa entrada para o mercado de trabalho – ou pode ser um trampolim para quem quer crescimento a curto prazo.

No entanto, o profissional precisa ter um perfil mais despojado, resiliente e autônomo para viver os altos e baixos comuns de toda e qualquer startup.

De um modo geral, trabalhar em uma startup pode ser extremamente gratificante. Além disso, é uma experiência essencial em um mundo no qual o digital predomina.

Conheça os bastidores por quem já vive nesse universo! Veja aqui os mitos e as verdades sobre trabalhar em uma startup.

Tenha em mente que a startup, apesar do ambiente despojado e suas informalidades, não deixa de ser uma empresa. E como em toda empresa, existem problemas, dores e limitações.

Não há empresas perfeitas, mas há empresas que permitem que você construa o ideal – de ambiente, clima e produto. Nesse ponto, as startups saem na frente do mundo corporativo.


Aqui no bettha você encontra várias vagas para diversas startups. Faça o seu cadastro agora mesmo, é grátis 😉

Escadas rolantes em túnel com teto iluminado

Profissões do Futuro: Conheça 5 profissões revolucionárias

Você está preparado para o futuro? Até 2030, perderemos mais de 800 milhões de empregos para os robôs – mas não criemos pânico! A tecnologia e a automatização serão responsáveis pela criação de conhecimento e inovação – e, consequentemente, das profissões do futuro.

A automatização através de robôs e máquinas darão ao ser humano a capacidade de explorar e criar soluções “fora da caixinha”. Dessa forma, poderemos sanar problemas complexos.

Conheça algumas profissões do futuro que podem parecer um tanto estranhas, mas que serão essenciais no amanhã.

1. Engenheiro de Lixo

Esta pode ser uma das profissões futuras mais estranhas. De longe, é uma das mais necessárias e que causarão mais impacto. No mundo todo é produzido anualmente 1,4 bilhão de toneladas de resíduos sólidos urbanos (RSU) — uma média de 1,2 kg por dia per capita! Todo esse lixo tem como destino o aterro.

Não há como essa prática ser sustentável por muito mais tempo. A reciclagem ajuda, mas não pode ser a única solução.

Um engenheiro de lixo, portanto, pode transformar o lixo em gás limpo. Ou descobrir uma maneira de combiná-lo para torná-lo forte o suficiente para construir edifícios, por exemplo.

2. Técnico de IoT

Estamos acostumados a chamar encanadores ou técnicos quando algo está quebrado em casa. Mas para quem você ligará quando sua geladeira inteligente for hackeada ou quando suas luzes inteligentes não o escutarem mais?

Ok, já existem técnicos que podem consertar tais coisas. Porém, a tendência é surjam técnicos especializados na internet das coisas.

3. Consultor de Energia Alternativa

As pessoas não podem sobreviver com combustível fóssil para sempre, então fontes alternativas de energia são a única esperança.

Você já ouviu falar de energia solar, eólica e hidrelétrica, certo?  A questão é: qual é a energia certa para sua casa, sua comunidade e sua cidade?

É aqui que entra um consultor de energia alternativa. Esse profissional avalia a melhor fonte de energia sustentável para cada lugar.

4. Mentor Médico

A medida que máquinas e robôs assumem o campo médico, diagnosticando doenças e até mesmo realizando cirurgias, um novo papel na área médica surgirá: mentoria para médicos.

Como mentor médico, o profissional será responsável pelos pacientes após as consultas, cirurgias e outros procedimentos médicos.

Esse profissional fará check-in, verificará se o paciente está seguindo as recomendações do médico (ou do robô) e o ajudará a superar os fatores negativos que o impedirem de ser saudável.

Esse profissional será um mix de nutricionista, terapeuta, conselheiro e outros.

5. Consultor de organização

Dentre as profissões de futuro, uma que chama a atenção é a de consultor de organização.

Essa profissão surge em tempos de alta tecnologia e modernidade que exigem cada vez mais eficiência.

Pense em quantas distrações você tem em sua vida que impedem você trabalhar com mais foco: redes sociais, informações a todo momento, Netflix na palma da sua mão etc.

O trabalho de um consultor de organização consiste em analisar a vida cotidiana das pessoas e ensiná-las a silenciar suas distrações diárias para trabalhar com mais foco, produtividade e inteligência.

A youtuber Hel Mother já experimentou a ajuda de um profissional de organização para colocar a vida nos eixos. Ela conta aqui um pouquinho mais dessa experiência.


Embora muitos dos empregos que existem hoje serão automatizados até 2030, você deve se animar com o futuro, e não temer.

Assim, todo o conhecimento adquirido será aproveitado e especializado nas profissões do futuro para atender demandas cada vez mais complexas e profundas.

E falando em conhecimento, aproveite e comece desde já a estudar mais e mais. Temos uma seleção de + 300 cursos gratuitos para você estudar muito em 2019!

O futuro será grandioso!

O que é ser nômade digital?

A internet tem oferecido possibilidades, até então distantes, de trabalho. O home office tem se fortalecido cada vez mais em território nacional, e há algum tempo, um outro termo se tornou popular, ainda que não tão compreendido assim: o nômade digital.

O nômade digital é um termo dado à profissionais que trabalham remotamente e se mudam frequentemente. São pessoas que trabalham fora do escritório tradicional em locais onde têm acesso a serviços de internet como cafés, aeroportos, dentre outros espaços. O seu local de trabalho é onde tem internet.

Nômades digitais são independentes da localização e resilientes, em movimento, enquanto ainda estão envolvidos em seu trabalho.

Embora todos os nômades digitais trabalhem online, seus trabalhos podem variar muito e serem classificados em três categorias:

1. Profissional remoto – o Home Office

Hoje, muitas empresas, principalmente estrangeiras, oferecem à seus funcionários o home office. Não importa se o funcionário está sentado em casa enquanto faz seu trabalho ou se está viajando. Esse tipo de trabalho remoto fornece principalmente uma renda estável e segura com a flexibilidade de escolher o próprio local de trabalho.

2. Freelancer

O freelancer nômade digital faz o trabalho online para um ou vários clientes. Esses tipos de trabalhos geralmente estão em campos como desenvolvimento web, criação, social media ou conteúdo. O freelancer pode trabalhar em qualquer lugar do mundo, desde que seus clientes estejam bem com o fato de que ele não estará fisicamente disponível em sua empresa.

3. Empreendedor

Alguns nômades digitais têm uma empresa iniciante e podem fazer todos os seus negócios online. Outros ganham dinheiro com a venda de serviços pela internet, mas são poucos os que conseguem ganhar a vida com o próprio estilo de vida nômade, por exemplo blogger de viagens ou fotógrafo.

Eeerrr… então o nômade digital faz home office?

Um profissional que trabalhe remotamente não é, necessariamente, um nômade digital. Há muitas pessoas que trabalham remotamente, mas vivem “em casa” e não viajam para nenhum lugar.

Então, o que é um nômade digital? – É um profissional que precisa ter tanto o aspecto remoto como o itinerante 😉

Nomadismo digital está nos trends, mas não é tão simples assim

Hoje, você pode encontrar muitos nômades digitais em hubs e coworkings na Tailândia, Indonésia e outros países. Algumas cidades européias estão se desenvolvendo fortemente para grandes lugares nômades digitais, como Berlim ou Lisboa.

Muitos desses nômades digitais são pessoas nascidas depois dos anos 80, e tem um perfil de valorização de experiências, mas não é apenas a liberdade que torna-se vantagem, a diminuição do estresse e a produtividade são pontos favoráveis quando se é um nômade digital – mas nem tudo são só flores, internet, viagens e café.

Existem desvantagens nesse estilo de vida e que precisam estar claros para quem pensa em se tornar um nômade digital, dentre eles: dificilmente você conseguirá ver a sua família e amigos, e se sentirá solitário de tempos em tempos. Além disso, a sua renda geralmente não é garantida.

Você precisa ter muita autodisciplina para realizar o seu trabalho. Ser capaz de lidar constantemente dizendo adeus a novos amigos, e precisa ser flexível e espontâneo o suficiente para lidar com as constantes mudanças.

Claro, você também precisa encontrar um emprego que possa fazer enquanto viaja pelo mundo. Isso parece mais fácil do que é porque muitas vezes há muita concorrência e o pagamento pode ser muito baixo.

Ciente disso, saiba o que você precisa aperfeiçoar e se planejar antes de iniciar uma vida independente de local e não se apresse.

7 dicas para se tornar um nômade digital

1. Mude o equilíbrio trabalho/vida para a integração de trabalho/vida

Esse estilo de vida o forçará a buscar uma integração entre a vida profissional e pessoal, ao invés de equilibrar uma coisa e outra, criando um ritmo de trabalho e diversão que atenda a todas as suas necessidades, não apenas aos prazos.

Se você está pensando em mergulhar em um estilo de vida nômade digital, considere essa a sua realidade.

2. Trabalhe duro

Se você pensa em virar um nômade digital, entenda: é trabalho, assim como em qualquer outra carreira.

Não espere gastar menos horas do que no seu “trabalho real” por um bom tempo. Talvez em alguns anos você consiga trabalhar na modalidade “semana de trabalho de quatro horas”. Enquanto isso, trabalhe duro e não pense que para o seu trabalho virar dinheiro será fácil ou que com apenas alguns cliques você ganhará um cheque bem recheado.

Existem casos de pessoas que estão produzindo conteúdo há quase uma década, mas faz menos de três anos que conseguem ganhar remuneração do seu trabalho.

3. Esteja preparado para alguns pesadelos logísticos

Encontrar wi-fi com um excelente sinal pode ser um problema. Organizar teleconferências levando em consideração fuso de horários não é uma alegria – diferenças de horário de 12 horas são piores.

A preocupação é constante desde transportar os equipamentos, a ter comida na mesa, ter um teto sobre a sua cabeça e todos os cenários de imagináveis de uma viagem ​​que a fazem uma grande história, mas que na hora, chegam a ser alguns conflitos.

4. Não há piloto automático na estrada

Se você se tornar um nômade digital, você constantemente pensará e tomará uma infinidade de decisões sobre como trabalhar, onde trabalhar, quando trabalhar, o que trabalhar, se está funcionando e como fazê-lo parecer um pouco mais legítimo para o potencial cliente do outro lado da linha. Definitivamente não há um piloto automático na estrada.

5. Aproveite ao máximo seu horário flexível

Você descobrirá que é possível viver e trabalhar em qualquer lugar. Você pode ser a única pessoa que pode comprar um ingresso na tarde de domingo, só porque é barato, e estar em outro continente, trabalhando, até a noite de terça-feira.

Você estará livre para trabalhar as horas que são mais produtivas para você na maior parte do tempo. Assim, seu desempenho no trabalho não será medido pelas horas em que você fizer o login. Em vez disso, a eficiência é incentivada: você precisa fazer o trabalho. Se isso leva cinquenta horas esta semana, leva cinquenta. Este é o grande privilégio.

6. Dê a si mesmo 3 meses para superar a curva de aprendizado

Como qualquer outra coisa na vida, leva-se algum tempo para aperfeiçoar sua rotina de viver e trabalhar como um nômade digital. Não espere deixar um estilo de vida e facilmente se adaptar em outro.

Seja gentil consigo mesmo. Saiba que soluços, crises são normais. Você não ficou ótimo com o que está fazendo agora logo nas primeiras duas semanas, levou tempo. E a vida de nômade digital também será assim.

Três meses. Esse é o tempo que leva para encontrar seus pés em viagens de tempo integral e vida de nômade digital. Ao final de três meses, você saberá o que está funcionando e se funcionará de fato para você. Não será tudo perfeito até lá, mas você chegará. Você aprenderá sobre você mesmo e o que você quer com esse estilo de vida.


Se você se interessou por esse estilo de vida e quer conhecer mais, a dupla que está por trás do Casal Sem Vergonha, criou o site Nômades Digitais. Ali, é possível acompanhar a trajetória da dupla, dicas para viver como um nômade digital e muito mais!

O que fazer para ser um profissional de mídias sociais?

As mídias sociais conectam pessoas de ponta a ponta, independentemente de continente. Ajudam a encontrar o par para juntar as escovas de dente. Deram voz a multidões e tiveram um papel crucial em eleições políticas.

E elas também transformaram a paixão por comunidades e conteúdo em profissão.

Ser um profissional de mídias sociais é o sonho de muitos jovens que gostam de internet, produzir conteúdo para essas plataformas e estão por dentro da cultura pop e geek.

Mas muitos não sabem como iniciar na profissão, já que não há uma graduação específica na área, apesar de existirem muitas pós-graduações com foco em produção de conteúdo e estratégias para mídias sociais.

Confira esse passo a passo para você ser o melhor profissional de mídias sociais <3

Formação

Não há uma graduação específica, como mencionamos. Mas algumas graduações facilitam a entrada na profissão: publicidade e propaganda e jornalismo são duas faculdades que podem favorecer a sua entrada na área.

Mas vale dizer que somente essas formações acadêmicas não são suficientes para trabalhar com mídias sociais.

O curso de publicidade e propaganda dá um bom embasamento – mas não basta. Você terá de estudar muita coisa por conta própria e fazer cursos complementares.

Justamente por esses cursos não serem exclusivos para trabalhar com mídias sociais, o mercado aceita outras formações.

Por exemplo:

“Sou formada em TI, mas antes de cursar a faculdade, eu já estudava mídias sociais e comunicação por livros e cursos. Fiz trabalhos em blogs e freelas de social media para criar um portfólio. Isso me abriu portas e minha formação deixou de ser um empecilho para as empresas, que começaram a confiar no meu trabalho.”

Larissa Florindo hoje é copywriter e trabalha em uma startup, mas já passou pelo mercado publicitário como social media, chegando a ser coordenadora da área.

O pulo do gato é estudar por conta própria. Isso ajuda a se tornar um profissional de mídias sociais, mesmo sem ser formação na área de comunicação.

Por onde começar?

Cursos

Cursos de produção de conteúdo, branding, marketing digital e mídia devem ser os primeiros para que você possa evoluir com propriedade.

Fizemos uma seleção de +300 cursos gratuitos na internet com várias instituições reconhecidas no mercado e que oferecem cursos de mídias sociais. É aquele link para salvar do lado esquerdo do peito 🙂

Portais do mercado

Sites como Meio & Mensagem, YOUPIX, B9 e Proxxima são excelentes fontes de notícias do mundo da publicidade, comunicação e mídias sociais.

Livros

Livros são verdadeiras aulas, pois oferecem cases, estudos e outras informações que ajudam a moldar o profissional de mídias sociais.

Nossas sugestões para você iniciar na leitura:

Eventos

Eventos são poderosos meios de aprendizados, te conectam a outros profissionais da área e aumentam o seu networking. Alguns grandes eventos da área:

Acompanhe profissionais da área

Acompanhar profissionais que já estão no mercado há mais tempo, ajuda a se aprimorar e trocar ideias valiosas para que você seja um profissional cada vez melhor. Alguns profissionais que valem seguir:

Skills

Trabalhar em mídias sociais exige uma mistura de criatividade, análise e conhecimento das tendências da mídia.

Na verdade, combinar essas três coisas de forma eficaz é a chave para uma carreira de sucesso nas mídias sociais.

Você tem que ser criativo e atencioso e ser capaz de se adaptar rapidamente, porque é uma indústria que muda rapidamente.

Seja um especialista em mídias sociais

Ser bem sucedido como profissional de mídia social começa com o conhecimento de seus canais. Isso significa que você deve ser um hard user para entender o uso mais eficaz de cada canal e definir metas específicas para cada um.

Por exemplo, se o Facebook é o maior driver de tráfego de site, saber o que impulsiona o engajamento nesse canal (e como capitalizar isso) deve ser sua principal prioridade.

dica bettha: saber o que não funciona é tão importante quanto saber o que funciona. Por isso, mantenha-se atento aos resultados que você obtém e ao comportamento dos usuários! Caso perceba que determinada ação não está obtendo os resultados esperados, mude de estratégia!

Saiba o que as empresas estão fazendo

Monitore o que as marcas estão fazendo em suas mídias sociais. Como é a comunicação e a identidade? Que tipo de conteúdo elas produzem?

Não foque apenas em marcas de um único segmento. Procure por supermercados, lojas de roupa, shoppings, negócios corporativos, empresas de tecnologia, artistas etc.

Dessa forma, você entenderá as variadas comunicações, poderá se inspirar e ter novas ideias.

Seja analítico

Não adianta gostar apenas de produzir conteúdos legais, você precisa ser analítico e gostar de números.

Você terá de monitorar o desempenho das mídias sociais e campanhas, e terá de entender métricas e indicadores para saber identificar se a estratégia está indo bem ou não.

Aprenda os conceitos básicos de design gráfico

Embora as habilidades de design gráfico não sejam “obrigatórias” para uma posição nas mídias sociais, tê-las definitivamente ajudará você a realizar seu trabalho com mais eficiência.

Afinal, você irá criar as peças em conjunto com o designer, e para isso você precisa saber colocar a ideia no papel. Ter os conceitos te ajuda a criar peças mais atraentes e que passem a mensagem que você quer transmitir.

Acompanhe os #trends

As mídias sociais e o comportamento humano mudam frequentemente. O que está na boca do povo hoje, não estará amanhã.

Ficar por dentro das novidades e recursos de cada mídia social, dos memes e tendências desse universo te ajuda a criar conteúdos nos mais diferentes formatos e a ter resultados positivos.

Seja comunicativo

Por mais que a comunicação realizada por esse profissional seja no ambiente da internet, é fundamental que ele saiba se expressar bem, tanto verbalmente quanto na escrita.

Esse profissional está em constante contato com o público, clientes e trabalha intimamente com outros colegas de trabalho para que o conteúdo seja feito por várias mãos. Uma comunicação limitante dará em um trabalho limitante.

Embora não exista uma fórmula mágica para ser um profissional de mídia social, seguindo essas etapas, você maximiza o engajamento e aumenta o reconhecimento da sua marca.

Absorva culturas

O profissional de mídias sociais deve conhecer todo tipo de cultura e absorvê-las. Esse conhecimento cultural ajuda a entender melhor o público e a como engajá-lo. Assim, é possível produzir conteúdos que estejam de acordo com a empresa e seus clientes.

Escute todo o tipo de música, inclusive as que você não gosta. Conheça quais filmes e séries estão fazendo sucesso e porque.

Todo o conhecimento cultural importa e auxilia a você produzir conteúdos ricos.

Não tenha preconceitos

Hoje em dia as empresas estão se posicionando a causas sociais e você deve entender bem cada uma delas.

Feminismo, LGBTQ e movimentos negros, são alguns exemplos que você deve estar por dentro. E o preconceito não entra.

The future is digital

O profissional de mídias sociais pode começar como estagiário e ir avançando na carreira como analista jr, pleno e sênior. Após isso, surgem as carreiras de liderança como supervisor, coordenador e gerente de mídias sociais.

Por ser uma área um tanto diversa, esse profissional acaba abrangendo o digital como um todo. Os cargos vão se tornando mais estratégicos e focados na criação de campanhas, e não em posts para o Facebook, por exemplo.


Se você realmente nasceu para ser um profissional de mídias sociais, invista em um bom currículo e crie um portfólio – requisito para participar de processos seletivos.

Mesmo que você ainda não tenha tanta experiência na área, selecione empresas que goste e crie a comunicação de cada uma. É uma forma de mostrar o seu trabalho, mesmo que você ainda não tenha atuado na área.

Temos várias vagas em mídias sociais! Vem se candidatar 🙂

Processo Seletivo de Trainee: Descubra como funciona (e como passar!)

É importantíssimo saber como funciona o processo seletivo de trainee! Nesse post, você vai descobrir mais sobre o que é um trainee, como funciona, passo-a-passo para passar no processo, além de dicas de livros para te auxiliar nessa empreitada!

Se o estágio abre portas para o jovem inexperiente entrar no mercado de trabalho, o trainee é o caminho para se consolidar como profissional. O trainee passa por várias experiências ao longo do programa, como rotatividade em diversas áreas da empresa, treinamentos, além de ter contato direto com lideranças. O trainee passa muitos desafios e é um participante ativo de grandes projetos.

Encontrar trainee que atenda as expectativas pode ser um desafio. Mesmo com a tantas oportunidades em empresas com culturas tão distintas, é possível dar match com a que mais faça sentido para você!

Fique ligado nas próximas linhas! Você aprenderá tudo sobre o programa de trainee e como participar de um processo seletivo – e garantir a vaga.

Vem com a gente 🙂

O que é o programa de trainee?

O programa de trainee é voltado para recém-formados ou para quem está prestes a se formar e dura dois anos de treinamento. Sim, treinamento!

O jovem, ao entrar em um programa de trainee, passará por um processo de aceleramento de carreira dentro da empresa, visando desenvolvimento profissional que abrange técnica e comportamento.

Por isso, diferentemente do estágio, o foco o trainee é o desenvolvimento para cargos estratégicos ou de liderança. Para isso, o trainee trabalha ao lado de gestores e líderes experientes.

É uma excelente forma de entrada para o mercado de trabalho – além de contar com uma boa remuneração.

“Eu gosto do impossível porque lá a concorrência é menor – não, pera…”

A frase acima não se aplica quando se trata de processo seletivo de trainee. Não porque o processo parece impossível, mas porque definitivamente a concorrência por lá não é menor.

Em 2016, a Exame mostrou 10 programas de trainee que tinham mais de 400 candidatos por vaga.

Uma vaga para o processo seletivo de trainee da Ambev, a queridinha dos candidatos, tinha mais de 3 mil pessoas concorrendo!

Portanto, prepare-se porque a jornada não é tão simples, mas vale todo o esforço.

Como funciona o programa de trainee da Ambev

A Ambev é uma das empresas que se destacam quando o assunto é trainee. O programa envolve treinamento, mentoria, oportunidades e liderança. Além de benefícios bem vantajosos.

O programa é propício para quem gosta de desafios, autonomia e segue uma linha mais informal. Envolve todas as áreas de conhecimento e tem duração de quatro meses para formar os futuros líderes.

É um período de imersão nas diferentes áreas da cervejaria, conhecendo várias frentes do negócio, além das operações e cervejarias no Brasil.

A Ambev trabalha com três tipos de programas de trainee:

  • trainee business: foco em vendas e marketing,
  • trainee supply: foco em logística,
  • trainee tech: foco na tecnologia por trás de todos os processos da empresa.

O programa consiste em: treinamento, mentoria, oportunidades e liderança:

Treinamento

A jornada de treinamento quatro meses e envolve:

integração: onboarding da cultura a estratégia da empresa com o CEO e líderes de diferentes áreas.

treinamento tech: muito aprendizado em inovação para entender tendências no mercado, tecnologias disruptivas e a como otimizar o negócio.

integração South America Zone: aqui junta todos os trainees do Brasil, Argentina, Chile, Bolívia, Paraguai e Uruguai.

rotação em vendas e supply: treinamento mão na massa vivenciando a rotina do campo ao copo.

treinamento corporativo: foco nas estratégias e as diferentes áreas funcionais da empresa: Finanças, Vendas, Marketing, Logística, Supply Chain, Procurement, Gente, Solutions, Jurídico e Relações Corporativas.

on the job: no último mês o trainee terá uma visão mais específica da área de interesse.

Mentoria

A partir do segundo ano de programa, os trainees são mentorados pelos sócios da companhia.

Oportunidades

A Ambev apoia um crescimento rápido de carreira e oferece oportunidades no ritmo do próprio candidato e nos resultados que ele entrega.

Liderança

A empresa tem um estilo de trabalho conhecido como “seja você o próprio dono”, então desde o primeiro dia, o trainee poderá ser líder de um projeto ou de um time.

Qual o perfil do candidato?

Basicamente, o candidato a trainee precisa ter garra, curiosidade, ter ambição e paixão e ter um sonho grande para fazer acontecer.

Os pré-requisitos são: inglês avançado, disponibilidade para morar em outros Estados e ser formado a menos de dois anos ou estar se formando no ano do processo seletivo de trainee.

Etapas do processo seletivo de trainee da Ambev

São cinco etapas até a admissão:

Período de inscrição: dura quase um mês.

Testes online: são três testes diferentes de fit cultural, inglês e raciocínio lógico.

Business case e entrevista online: o primeiro contato onde o candidato contará a sua trajetória.

Trainee challenge: nessa etapa o candidato solucionará desafios em grupos.

Painel final: aqui o candidato conversará com os líderes seniores.

Admissão: a etapa onde a felicidade começa.

O processo seletivo de trainee 2019 da Ambev já está com as inscrições encerradas, mas não se preocupe! Você tem oportunidades incríveis aqui também.

Passo a passo para encontrar trainee

Prepare o currículo

Um bom currículo é essencial para você conseguir um convite para um processo seletivo de trainee. Portanto, capriche!

Lembre-se que essa é a primeira impressão que a empresa terá de você. Por isso, nada de preencher com firulas – seja objetivo e não ultrapasse duas páginas.

Faça bonito! Confira os 10 mandamentos para um bom currículo e arrase!

Faça bonito no LinkedIn

Se você duvida do poder do LinkedIn, saiba que você está perdendo oportunidades para criar um excelente networking e se relacionar com possíveis contratantes.

A rede social tem se destacado cada vez mais. Por isso, hoje em dia, ela é tão importante quanto a apresentação do currículo.

Mantenha o seu perfil atualizado e em movimento para que alcance mais pessoas e você possa ser visto por empresas.

Se você não conhece toda capacidade que o LinkedIn tem para você, veja como criar um perfil de sucesso.

Tenha uma carta de apresentação

Pode parecer tradicional demais, mas a carta de apresentação ainda é usada. E continuará a ser – já que em um primeiro contato você precisa falar um pouco sobre si para que a empresa te conheça.

A linguagem da carta de apresentação vai de acordo com o tipo de empresa que você pretende trabalhar.

Se a empresa é mais “tradicional”, prefira uma carta de apresentação mais formal.

Na internet há muitos modelos para você se inspirar. Escolha mais de um modelo (sim, é sempre bom ter no mínimo dois modelos de carta de apresentação – uma para empresas mais “tradicionais” e outra para empresas, digamos que mais “fora da caixinha”).

#betthaTip: não assassine o português, ok? Revise a carta mais de uma vez, e, se precisar, peça ajuda de outros universitários.

O que a empresa espera de você, futuro trainee

Encontrar vagas de trainee é fácil. Agora, conquistar a vaga, é outra história.

Apesar do número de vagas para trainee aumentar cada vez mais, esses programas geralmente são bastante criteriosos.

Só o seu charme e swing não serão suficientes para encontrar o trainee dos sonhos. Mas fique em #paz que a gente te conta o que a empresa espera de você:

1 – Inglês que vá além do “the book is on the table”

O inglês hoje é mandatório na maioria das empresas e não seria diferente em um programa de trainee.

O básico no idioma não é suficiente – a empresa espera que você chegue lá com fluência ou ao menos esteja num patamar avançado (o famoso “sei ler, conversar e escrever bem”).

2 – Disponibilidade para mudanças

Em alguns casos, o trainee terá de trabalhar fora de sua cidade natal ou até em outro país. Portanto, você precisa estar disposto a ficar dois anos distante de casa e ser meio “ET, phone, home“.

3 – Experiência internacional

Se você já rodou alguns países através do intercâmbio, essa pode ser a cereja que falta nesse bolo!

Nem todas as empresas exigem experiência internacional, mas é um baita diferencial.

4 – “Conhecereis a árvore pelo seu fruto…”

Você pode ter um currículo invejável, mas nada adianta se o seu perfil ou comportamento não se encaixam com a empresa.

Seja proativo, criativo, comprometido e tenha foco nos resultados. Além disso, ter autonomia e se sentir “dono” do negócio são comportamentos desejados por todas as empresas.

Como se destacar no processo seletivo de trainee

Se o processo é exigente, entregue excelência:

1 – Stalkeie a empresa assim como você stalkeia o crush

Conheça muito bem a empresa que você irá ser entrevistado: visite site, redes sociais, conheça o seu setor e indústria, a sua cultura, seus concorrentes, seus desafios e busque por notícias.

Às vezes, alguma notícia relevante pode te ajudar a ter mais assunto e mostrar que você fez a lição de casa direitinho.

2 – Conheça todas as etapas

Geralmente a empresa define todas as etapas para iniciar e encerrar o processo seletivo de trainee. Entenda-as e se prepare para cada uma.

Essas etapas vão desde conversas com os executivos a dinâmicas em grupo.

3 – Pergunte a outro trainee

Procure por ex-trainees para tirar dúvidas e receber dicas valiosas que podem te colocar à frente dos seus concorrentes.

Se você não conhece nenhum ex-trainee, vá ao bom e velho LinkedIn e mande uma publicação mais ou menos assim: “Alô gente linda! Preciso conversar com um ex-trainee. Alguém aí ou alguma indicação?”

Você pode ter certeza que terá retorno. Pode parecer que não, mas as pessoas gostam de ajudar umas as outras.

4 – Se conheça bem!

Você terá de responder perguntas mais pessoais e que envolvem uma boa dose de autoconhecimento.

Você realmente sabe onde quer chegar? Conhece os seus pontos fortes e fracos?

Saber responder com confiança e verdade essas e mais perguntas te deixam mais perto de conquistar a tão sonhada vaga.

Dicas preciosas por quem já passou por um processo seletivo de trainee

Lívia Kuga passou no processo seletivo de trainee da Arpex Capital – fundo de investimentos brasileiro – e dá dicas incríveis para passar em um processo com louvor! Confira:

Autoconhecimento: saber o que gosta, o que não gosta, o que não faz, é fundamental para entender qual caminho seguir.

Estudar muito sobre a empresa: você sai na frente por conhecer todo o histórico da empresa, além de entender se realmente você tem fit com ela.

Não participe de muitos processos seletivos de trainee: são muitas dinâmicas e provas, é uma jornada cansativa. Portanto, economize suas energias para os processos que realmente valem a pena.

Seja você mesmo: em diversos momentos durante um processo seletivo de trainee, você será testado, portanto, seja autêntico. Não finja ser quem não é para conquistar uma vaga, pois isso é ruim para você e para a empresa.

Recorra aos livros

Adoramos livros e acreditamos que uma boa leitura é capaz de mudar o seu mindset. Por isso, selecionamos três títulos que vão te preparar para encontrar o trainee ideal:

O poder do hábito – Charles Duhigg

Neste best seller com explicações científicas e exemplos atuais, o livro consegue prender a atenção do início ao fim.

A obra divide-se em hábitos dos indivíduos, hábitos das empresas e hábitos de sociedades.

Se você quer mudar um hábito e não sabe como e não entende a razão, eis que chegou a hora da virada!

Como fazer amigos e influenciar pessoas – Dale Carnegie

Dale Carnegie apresenta um novo modo de vida para quem quer evoluir o seu modo de lidar e se relacionar com pessoas.  

Este clássico foi lançado em 1937, mas ainda é uma referência atual sobre networking.

Empresas feitas para vencer – Jim Collins

Já parou para pensar qual é a diferença entre duas empresas que estão no mesmo mercado, possuem as mesmas condições, mas uma segue o caminho de sucesso e outra trilha o fracasso?

Essa e mais perguntas são respondidas nesse livro. Além de alguns termos e conceitos que vão te ajudar a ter mais conhecimento no mundo empresarial como: líderes tipo 5, conceito do porco-espinho e a importância de ter as pessoas certas e nos lugares certos.


Ser trainee é uma etapa muito importante e transformadora – da vida e da carreira. Por isso, estude, reflita no que é melhor para você e busque por empresas que tenham o mesmo estilo que o seu 🙂

E se você está em busca de um processo seletivo de trainee para chamar de seu, inscreva-se na bettha!

Nós ajudamos você a dar match naquele trainee dos sonhos – além de te ajudar a exercitar o autoconhecimento com jornadas de conhecimento e mapeamento de perfil. Tudo isso de graça! 😀

Se na vida nem sempre é possível dar match em um crush, no bettha é garantido o match com aquela empresa especial <3

Deixa a gente te ajudar a conquistar a sua próxima vaga! 😉

8 passos para lidar com a ansiedade

Em um mundo frenético, cheio de responsabilidades e tempo faltando, a ansiedade é um mal que pode nos tornar reféns de nossos próprios sentimentos.

A ansiedade pode ser desencadeada diante de problemas, situações de pressão e tomadas de decisões. Apesar de não ser considerada uma doença, em excesso, pode se tornar um distúrbio, gerando ataques e síndromes do pânico, além de caminhar de mãos dadas com a depressão.

Os sintomas da ansiedade excessiva são uma linha tênue entre preocupação e medo extremos em situações relativamente simples. Assim, ela pode gerar sintomas físicos como taquicardia, respiração ofegante, suor excessivo, enjoo, vômito, dor no peito, tremores, e até sintomas que se confundem com infarto.

O trabalho e a época da faculdade geralmente são o estopim para muitos jovens sofrerem de ansiedade.

A entrega daquele job complexo e com deadline curto, um chefe abusador, milhares de trabalhos e provas para realizar e tantas outras situações podem transformar negativamente nossas emoções e nos colocar em alerta o tempo todo.

Lidando com a ansiedade

Se você identificou algum dos sintomas citados acima, o ideal é que você procure por ajuda profissional. Para isso, um psicólogo ou psiquiatra podem oferecer o tratamento ideal e avaliar se há a necessidade de medicamentos.

dica bettha: NUNCA, EM HIPÓTESE ALGUMA, compre medicamentos sem prescrição médica/peça algum comprimido do tratamento do coleguinha. O remédio que faz bem para ele, pode não fazer bem para você. Por isso é tão importante passar em consulta com um profissional para que ele avalie o melhor tratamento para o seu caso, ok?

Além do tratamento, é possível aliar atividades que trazem bem estar, alegria e ajudam a dar mais disposição no dia a dia. Sabe aquele velho ditado “corpo são, mente sã”? Faz todo sentido.

Se o seu corpo estiver saudável, muito provavelmente a sua mente acompanhará esse fluxo. Para um corpo ficar são, é necessário dedicar tempo e cuidado. Para isso, você precisa separar um tempo para você.

As próximas dicas são para serem guardadas do lado esquerdo do peito! Leia com carinho e coloque-as em prática para uma vida mais tranquila <3

1 – Run, Forrest, run!

Esta dica não é a primeira por mero acaso. Atividade física realmente ajuda a controlar a ansiedade. Isso ocorre porque os exercícios elevam a produção de serotonina, substância que aumenta a sensação de prazer.

Se você é sedentário, provavelmente não tem ideia qual atividade física pode gostar. Por isso, experimente várias até descobrir quais exercícios funcionam para você.

Para ser mais fácil a adesão, comece pela caminhada. Você só precisa de um par de tênis, roupa confortável, uma garrafinha de água na mão e uma boa playlist para embalar os passos.

Para deixar a caminhada ainda mais divertida e aumentar o seu engajamento com a atividade, use aplicativos que monitoram corridas e descubra quantos kms consegue fazer e desbloqueie incentivos. O Nike+Run Club é uma boa opção.

Uma outra dica é aproveitar as academias ao ar livre presentes em vias principais da sua cidade. Acesse o site da prefeitura da sua cidade para checar se o serviço existe por aí e quais são os endereços.

São opções gratuitas para desarmar o argumento que para praticar atividade física é necessário uma academia. Não tem desculpa, hein?

2 – Você não compra felicidade, mas pode comprar comida, que é quase a mesma coisa

nhom nhom nhom

Já parou pra pensar que a nossa alimentação é o combustível para o corpo funcionar? Se você coloca um “combustível” bem mais ou menos, o corpo não funcionará o máximo que poderia e o desempenho tende a cair.

Busque por uma alimentação saudável e deixe frituras, doces, gorduras e fasts foods para uma vez por semana, se for o caso.

Alimentos que sejam fonte de triptofano – o aminoácido precursor da serotonina – como a banana e o chocolate, podem ser incluídos na rotina alimentar (chocolate em pequenas quantidades, ok?).

Há também alimentos que reduzem a ansiedade! Então pegue papel e caneta para anotar as belezinhas que não podem faltar nas suas compras:

Frutas cítricas: frutas clássicas como limão e laranja são boas fontes de vitamina C. Essa vitamina diminui a secreção de cortisol, hormônio liberado pela glândula adrenal em resposta ao estresse.

Leite, ovos e derivados magros: excelente fonte de triptofano.

Carboidratos (amor da vida): o nutriente eleva o nível de açúcar no sangue, dando energia, bem estar e disposição. É amor ou não é?

Carnes e peixes: melhor fonte natural de triptofano, aminoácido que em conjunto com a vitamina B3 e o magnésio produzem serotonina.

Espinafre: contém ácido fólico, uma potente vitamina antidepressiva natural. Você já viu o Popeye ansioso ou depressivo alguma vez?

3 – Ser ou não ser, eis a questão…

Fortalecer o autoconhecimento o ajudará a fazer coisas que mais gosta, ignorar as que não gosta, e buscar por aquilo que realmente tem sentido pra você. Além disso, permite entender melhor a razão do seu comportamento diante de diversas situações.

4 – Aum…

Meditar te ajuda a se conectar consigo mesmo. Além de trazer qualidade para o seu sono, melhora a cognição, reduz o estresse e aumenta a capacidade de concentração!

Existem apps bem interessantes para os iniciantes da meditação. Você pode começar com o Lojong, aplicativo em português, ou o Headspace, que, apesar do visual fofo, é em inglês.

5 – Not today, Satan!

O que te estressa no seu dia a dia? É aquele job? O chefe? Os prazos? Os amigos sem noção?

A lista pode ser gigantesca, mas identificar o que causa seu estresse e ansiedade pode ajudar a evitar uma bola de neve emocional.

Se o problema é o trabalho, é possível conversar com o seu líder e apontar melhorias para a sua rotina? Ou o clima está insustentável? Avalie bem as situações, e tente solucionar os problemas da melhor forma possível.

E nunca se esqueça: “nenhum CNPJ vale um AVC”.

Não dá mais pra aguentar mais o seu trabalho? O salário não vale o estresse? Talvez seja o momento para mudar de emprego! Clique aqui e confira!

6 – Chá das 5

A maioria dos chás tem propriedades calmantes. A bebida é barata, gostosa e tem a capacidade de controlar aquela ansiedade diária.

Camomila e capim santo disseram OLAR, @! 🙂

Se você passa o dia inteiro fora e não consegue tempo pra fazer um chazinho, faça o chá em casa e leve consigo numa garrafinha térmica (ou não, se você gostar de chá gelado).

7 – Isso me traz alegria?

Aproveitando a onda do KonMari, como está a sua casa? Em ordem?

A metodologia de organização da fofíssima Marie Kondo está na Netflix. Assista! O efeito é querer arrumar a casa inteira mesmo que seja 2h da manhã.

Bagunça e coisas acumuladas causam desânimo, ansiedade e outras emoções negativas. Bora arrumar a casa e a vida?

8 – Há tempo para todas as coisas debaixo do céu

Na correria do dia a dia, separe um tempinho pra você e faça coisas que te agradam. Leia um livro, assista um filme, dedique um dia da semana para cuidados, estudar e/ou não fazer nada… Seja o que for, faça por você <3

Esse tempinho dedicado a você mesmo deve ser como uma prática religiosa. Constante, ok?

Bateu a bad?

Mesmo quando se está em tratamento, é possível ter crises de ansiedade. Não se desespere. Nada acontece de uma hora para a outra! A melhora é um processo constante, que leva tempo. Nunca se esqueça: processo é progresso. Um passo por vez, um dia de cada vez.

Para lidar com as crises, recorra a meditação, técnicas de relaxamento, controle a respiração, distraia-se com uma música tranquila, uma conversa leve ou um filme. Vai passar 🙂

Lições finais

  • Não duvide de si mesmo e nem deixe que as crises de ansiedade tirem a sua disposição para viver e a buscar o que te faz feliz.
  • Ansiedade não é mimimi e nem frescura.
  • Não sofra calado. Procure ajuda o quanto antes.
  • Tudo sempre fica bem. Tudo.
  • A vida é muito maior do que os problemas.
  • Crise vem. Crise também vai.

Você conhece alguma outra técnica que ajuda a reduzir a ansiedade? Conta pra gente nos comentários.

9 conselhos para ser feliz no trabalho

Quem disse que não dá para ser feliz no trabalho? Essa é uma asneira bem grande.

O trabalho é o nosso segundo lar. Então, se só houver cobranças, pressão e cara fechada, quem conseguirá de fato produzir e ser feliz no trabalho?

Ninguém trabalha só por lazer – e os boletos não nos deixam mentir. Mesmo assim, precisamos encarar o período de trabalho com mais bom humor e energia positiva. Assim, poderemos trabalhar melhor.

Então desencane dessa história de “trabalhar para pagar as contas”. É possível tornar os dias de trabalho mais prazerosos e divertidos!

Pra te ajudar nessa missão, reunimos 9 conselhos para ser feliz no trabalho!

#1 – Faça algo que você ama

O primeiro da lista é clichê, mas é verdade.

Se você faz algo que ama, nunca vai sentir que está trabalhando. Por outro lado, quando você faz algo pelo qual não está apaixonado, será difícil ficar feliz no trabalho.

É claro que toda empresa possui seus desafios, dias estressantes e problemáticos. No entanto, se você ama o que faz, será mais fácil lidar com dias difíceis.

#2 – Faça suas manhãs renderem

Reserve 15 minutos todas as manhãs para organizar os seus pensamentos e criar as suas metas diárias.

Esse “ritual matinal” não precisa ser complicado ou engessado. Então, foque em dedicar um tempo para você. Dessa forma, você poderá reconhecer o que te faz feliz no trabalho e na vida, e conseguirá traçar os passos para chegar lá.

#3 – Saia da rotina

A sensação que os seus dias são sempre iguais pode diminuir a sua energia – te colocando em um mood não muito bom. Por isso, encontre uma maneira de mudar a sua rotina.

Ao invés de pegar o carro para ir ao trabalho, vá caminhando ou de bicicleta. Convide um amigo para almoçar junto com você. Veja se você pode passar algumas horas a tarde trabalhando de um café em vez da sua sala. Assim, você estará dando uma nova perspectiva às suas manhãs.

São pequenas mudanças que podem gerar bom humor e dar aquele gás para um dia incrível!

#4 – Seja amigável com os seus colegas de trabalho

Sabemos que toda empresa tem inúmeros perfis no trabalho – uns são mais extrovertidos, outros mais tímidos e alguns mal humorados. Existem também aqueles que geralmente preferem destilar o veneno sobre tudo e todos – o que torna o clima pesado.

Não seja um ser mal humorado e rabugento! Seja amigável com todos, saiba ouvir e se expressar com simpatia.

Humanos são criaturas sociais! Ao se dar bem com seus colegas de trabalho, você pode construir fortes conexões.

#5 – Não trabalhe durante o almoço

Sua hora de almoço deve ser sagrada. Considere como uma pausa não só para alimentar o corpo, mas também para descansar a mente.

Sem essa pausa, você pode se sentir sobrecarregado. Dessa forma, pode ficar incapaz de avançar com o trabalho ao longo do dia.

Quando você não consegue ter o melhor desempenho, é impossível ser feliz no trabalho. Esse intervalo é um momento para se afastar das tarefas que tem que fazer e relaxar.

Caso você seja do #TeamMarmita, após a refeição, saia um pouco do escritório, dê uma volta no quarteirão e tome um ar fresco. Isso ajuda na digestão – e a se desligar um pouco dos jobs 🙂

#6 – Encontre valor no que faz

Todo trabalho tem o seu valor. Infelizmente, muita gente desmerece suas próprias funções por não encontrar o valor naquilo que fazem.

Pense: se ela não existisse, como ela afetaria a empresa, clientes e a sociedade? Sim, o seu trabalho impacta esses três grupos.

Pare de reclamar ou desvalorizar o que faz! Encontre valor e propósito para ser mais feliz no trabalho.

#7 – Decore seu espaço de trabalho

Dependendo de onde você trabalha, você pode decorar sua mesa. Isso, meu amigo, pode ajudar a tornar a sua rotina mais divertida, criativa e inspiracional.

Coloque a foto do cachorro/família/crush, um vasinho de flor (vale até um cacto), alguns objetos de decoração que façam sentido para você e tcharam! Temos um espaço de trabalho que gera felicidade <3

#8 – Crie a playlist da felicidade

A música pode melhorar o seu humor e produtividade, principalmente em dias ruins.

Crie aquela playlist com músicas animadas que geram aquele “quentinho no coração” e te ajudam a focar. Você trabalhará com muito mais vontade :3

#9 – “Senhoras e senhores: água! Nunca deixem de beber água! Se eu pudesse dar só uma dica sobre o futuro seria esta: bebam água!”

Esse conselho pode parecer um pouco estranho, mas beber água ajuda com quase tudo.

Mantenha uma garrafa de água fresca em sua mesa – isso ajudará a mantê-lo focado e hidratado e vai combater as costumeiras dores de cabeça que surgem no meio de uma tarde qualquer.

Que a água seja para você o que o filtro solar é para o Pedro Bial.


Pratique diariamente esses conselhos, mesmo que não esteja muito interessado em continuar na empresa onde trabalha. Com certeza você trabalhará mais motivado, até encontrar um novo emprego para chamar de seu.

Ser feliz no trabalho depende de você! Mais do que da empresa onde trabalha ou dos seus colegas.

Faça da felicidade o seu maior objetivo de todos os dias <3

7 hacks para impulsionar o seu perfil do LinkedIn

O LinkedIn está entre as maiores redes sociais do mundo, com aproximadamente 562 milhões de pessoas inscritas na plataforma. Aqui no Brasil, ela tem se tornado a nova queridinha das pessoas, desbancando até mesmo o Facebook.

Importância do perfil do LinkedIn

A elaboração do seu perfil no LinkedIn precisa ter o mesmo cuidado tido na hora de elaborar um currículo. Erros de português, dados incompletos e falta de informações sobre experiências e formações podem distanciá-lo do emprego dos sonhos. É importante considerar que, em muitos casos, o recrutador verá primeiro o seu perfil no LinkedIn para depois visualizar o seu currículo.

Clique aqui e descubra de uma vez por todas como criar um perfil de sucesso no LinkedIn!

Elaboramos um conjunto de dicas muito além do bê-a-bá! Confira agora 7 hacks para dar aquele boost no seu perfil do LinkedIn!

1. Cause impacto logo nas primeiras linhas

Somente as três primeiras linhas de um post são vistas no LinkedIn antes que o leitor clique em “visualizar mais“. Portanto, use bem esse espaço! Escreva de forma a atrair e envolver o leitor, para dar aquela vontade de clicar em “visualizar mais”.

2. Crie o título que o recrutador está buscando

Informar que você está “em busca de novos desafios” no título não o ajudará a encontrar um novo emprego, pelo contrário. Insira um título que os recrutadores realmente estejam buscando na plataforma. Para isso, você precisará dar uma estudadinha rápida no seu mercado. Dessa forma, você poderá compreender os títulos que estão sendo procurados.

Hoje em dia, muitas empresas estão usando os nomes de cargo em inglês. Um bom exemplo é o “social media” no lugar de analista de mídias sociais ou “developer” para o desenvolvedor. Logo, a busca dos recrutadores será pelos nomes dos cargos em inglês, ao invés da língua nativa.

Pesquise qual o nome do seu cargo pretendido em inglês e atualize no LinkedIn. Você poderá ser facilmente encontrado, aumentando o número de acessos ao seu perfil.

3. Produza artigos com temas que são trends

Se você quer que os seus artigos se tornem virais, aumente essa chance usando o BuzzSumo para identificar temas que são tendências no LinkedIn.

A plataforma oferece o número de engajamento de determinado tema em diversas redes sociais. Dessa forma, você poderá basear o seu artigo em temas mais relevantes ao público – o que aumentará as chances desse texto ser encontrado no LinkedIn.

4. Responda a comentários

A resposta não é só por educação! Responder os comentários é uma forma de incrementar o engajamento nas suas publicações. Isso pode aumentar as chances de ampliação do alcance do seu post, que poderá atingir cada vez mais pessoas!

5. Entenda (e use!) as #hashtags do LinkedIn

As hashtags são tópicos de grandes audiência classificados segundo área temática. Você pode ser seguidor de diversos tópicos, como de Liderança e Gestão, Empreendedorismo, Marketing e Publicidade. As Hashtags permitem que os usuários do Linkedin “escutem” os tópicos que mais importam para eles, criando um melhor engajamento em posts de interesse.

Se a sua publicação aparecer em qualquer um desses grupos, ela pode se tornar viral. Por essa razão, crie o seu conteúdo com uma hashtag específica em mente.

Alerta: não produza qualquer conteúdo apenas para aparecer! Produza textos relevantes de acordo com os interesses e a audiência do seu mercado. #vaidarcerto #forçanaperuca

6. Tempo certo no lugar certo

Segundo o LinkedIn, o melhor período para publicar conteúdo é de manhã, no horário do almoço e início da noite entre terças e quintas-feiras. As melhores horas são entre às 10h e às 11h todas as terças-feiras.

Com isso em mente, publique os seus conteúdos nos períodos certos para atingir uma audiência maior!

7. Crie um call to action

O call to action (conhecido também como CTA) é uma forma de orientar o leitor à uma ação que você espera. Você pode indicar um material para baixar ou até mesmo engajar o indivíduo a comentar na publicação.

Com base nisso, aqui vão dois toques bem importantes:

Direcione o leitor para um link – nos comentários!

O LinkedIn reduz o alcance de publicações que direcionam o público para fora da rede social. Por isso, não coloque links nas publicações, mas nos comentários! Informe no post que o link está lá. Assim, você poderá engajar o leitor sem perder a sua audiência.

Cuidado com pedidos de comentários!

Literalmente pedir por comentários fica bem feio. Por isso, peça de maneira sutil, por exemplo: “me dê dicas sobre produtividade e foco aqui nos comentários” ou “como foi a sua experiência usando o app X?” Viu como fica melhor?


Caso você queira mais dicas para dar aquele boost no seu LinkedIn, confira o depoimento viral de Josh Fechter sobre ter alcançando 25 milhões de visualizações no seu LinkedIn em 4 meses!

Bora bombar o seu perfil no LinkedIn e aumentar as chances de ser encontrado? Então não vacila! Coloque já essas dicas em prática e arrase!

Passo-a-passo: como pedir aumento de salário

Quando você está em uma posição a um longo tempo ou absorvendo atividades de outra função, é natural que o seu primeiro pensamento seja pedir o aumento de salário.

Nem sempre a iniciativa vai partir da empresa. Ciente disso, você precisa se vestir de coragem e dar o primeiro passo.

A gente sabe que pedir aumento de salário é um momento delicado para qualquer profissional. Geralmente, muitos acabam evitando esse assunto, e os que tomam a iniciativa, erram por conta do nervosismo ou falta de preparo.

Pedir aumento de salário envolve diversos fatores, como uma boa argumentação para convencer o seu chefe, a avaliação do humor dele, a situação financeira da empresa, a remuneração média no mercado, e principalmente, se você está desempenhando um bom papel.

Se você avaliou cada um desses pontos e acredita que todos são favoráveis para você pedir o tão sonhado aumento, vá em frente! Mas não vamos te deixar sozinho para enfrentar esse desafio. Selecionamos algumas dicas marotas para você ser bem sucedido na sua abordagem para conseguir uma graninha extra!

#1 – Planeje-se

Antes de chamar o chefe de canto e pedir um aumento de salário, levante alguns resultados relevantes do seu trabalho que melhoraram a área ou até afetaram positivamente o negócio.

Foque em números. Por exemplo: inclua números de vendas, novos clientes que você trouxe para a empresa e responsabilidades adicionais que você absorveu nos últimos tempos.

Em hipótese alguma, coloque motivos pessoais como razão do aumento, seja gastos extras, casamento, viagem ou o que for. A empresa não é um banco. Se você está passando por algum perrengue, faça um empréstimo, mas não peça um aumento de salário.

#2 – Faça a lição de casa

Pesquise o que seria um aumento salarial adequado, usando pesquisas idôneas como um guia. Além disso, converse com pessoas que também atuam no seu mercado e possuem cargos e tempo de experiência semelhantes ao seu para ter uma ideia de valores.

#3 – Seja realista

Feito a lição anterior, você não deve pedir algo muito fora do que é praticado no mercado. Tenha um plano B caso o aumento de salário seja negado.

Faça uma contraproposta de aumento dos benefícios. Você pode solicitar um aumento no vale refeição ou obter um plano médico melhor… Analise os benefícios que você possui e como pode colocá-los na proposta.

Por mais que não seja dinheiro em espécie, isso colocará mais dinheiro no seu bolso a longo prazo.

E se nada der certo?

Mesmo seguindo esse passo a passo, você tem chances de ouvir um não, e a culpa não será sua.

O importante é levantar, sacudir a poeira e dar a volta por cima. O mais importante é mantar a esperança firme. Assim, estabeleça com o seu chefe um prazo que vocês possam conversar sobre esse assunto novamente. E enquanto isso, trabalhe visando como você pode demonstrar suas conquistas (sem ser arrogante, ok?).

Pense positivo: se você for merecedor e a empresa estiver em condições melhores no futuro, a semente já foi plantada. Logo você irá colher os frutos.