7 hacks para impulsionar o seu perfil do LinkedIn

O LinkedIn está entre as maiores redes sociais do mundo, com aproximadamente 562 milhões de pessoas inscritas na plataforma. Aqui no Brasil, ela tem se tornado a nova queridinha das pessoas, desbancando até mesmo o Facebook.

Importância do perfil do LinkedIn

A elaboração do seu perfil no LinkedIn precisa ter o mesmo cuidado tido na hora de elaborar um currículo. Erros de português, dados incompletos e falta de informações sobre experiências e formações podem distanciá-lo do emprego dos sonhos. É importante considerar que, em muitos casos, o recrutador verá primeiro o seu perfil no LinkedIn para depois visualizar o seu currículo.

Clique aqui e descubra de uma vez por todas como criar um perfil de sucesso no LinkedIn!

Elaboramos um conjunto de dicas muito além do bê-a-bá! Confira agora 7 hacks para dar aquele boost no seu perfil do LinkedIn!

1. Cause impacto logo nas primeiras linhas

Somente as três primeiras linhas de um post são vistas no LinkedIn antes que o leitor clique em “visualizar mais“. Portanto, use bem esse espaço! Escreva de forma a atrair e envolver o leitor, para dar aquela vontade de clicar em “visualizar mais”.

2. Crie o título que o recrutador está buscando

Informar que você está “em busca de novos desafios” no título não o ajudará a encontrar um novo emprego, pelo contrário. Insira um título que os recrutadores realmente estejam buscando na plataforma. Para isso, você precisará dar uma estudadinha rápida no seu mercado. Dessa forma, você poderá compreender os títulos que estão sendo procurados.

Hoje em dia, muitas empresas estão usando os nomes de cargo em inglês. Um bom exemplo é o “social media” no lugar de analista de mídias sociais ou “developer” para o desenvolvedor. Logo, a busca dos recrutadores será pelos nomes dos cargos em inglês, ao invés da língua nativa.

Pesquise qual o nome do seu cargo pretendido em inglês e atualize no LinkedIn. Você poderá ser facilmente encontrado, aumentando o número de acessos ao seu perfil.

3. Produza artigos com temas que são trends

Se você quer que os seus artigos se tornem virais, aumente essa chance usando o BuzzSumo para identificar temas que são tendências no LinkedIn.

A plataforma oferece o número de engajamento de determinado tema em diversas redes sociais. Dessa forma, você poderá basear o seu artigo em temas mais relevantes ao público – o que aumentará as chances desse texto ser encontrado no LinkedIn.

4. Responda a comentários

A resposta não é só por educação! Responder os comentários é uma forma de incrementar o engajamento nas suas publicações. Isso pode aumentar as chances de ampliação do alcance do seu post, que poderá atingir cada vez mais pessoas!

5. Entenda (e use!) as #hashtags do LinkedIn

As hashtags são tópicos de grandes audiência classificados segundo área temática. Você pode ser seguidor de diversos tópicos, como de Liderança e Gestão, Empreendedorismo, Marketing e Publicidade. As Hashtags permitem que os usuários do Linkedin “escutem” os tópicos que mais importam para eles, criando um melhor engajamento em posts de interesse.

Se a sua publicação aparecer em qualquer um desses grupos, ela pode se tornar viral. Por essa razão, crie o seu conteúdo com uma hashtag específica em mente.

Alerta: não produza qualquer conteúdo apenas para aparecer! Produza textos relevantes de acordo com os interesses e a audiência do seu mercado. #vaidarcerto #forçanaperuca

6. Tempo certo no lugar certo

Segundo o LinkedIn, o melhor período para publicar conteúdo é de manhã, no horário do almoço e início da noite entre terças e quintas-feiras. As melhores horas são entre às 10h e às 11h todas as terças-feiras.

Com isso em mente, publique os seus conteúdos nos períodos certos para atingir uma audiência maior!

7. Crie um call to action

O call to action (conhecido também como CTA) é uma forma de orientar o leitor à uma ação que você espera. Você pode indicar um material para baixar ou até mesmo engajar o indivíduo a comentar na publicação.

Com base nisso, aqui vão dois toques bem importantes:

Direcione o leitor para um link – nos comentários!

O LinkedIn reduz o alcance de publicações que direcionam o público para fora da rede social. Por isso, não coloque links nas publicações, mas nos comentários! Informe no post que o link está lá. Assim, você poderá engajar o leitor sem perder a sua audiência.

Cuidado com pedidos de comentários!

Literalmente pedir por comentários fica bem feio. Por isso, peça de maneira sutil, por exemplo: “me dê dicas sobre produtividade e foco aqui nos comentários” ou “como foi a sua experiência usando o app X?” Viu como fica melhor?


Caso você queira mais dicas para dar aquele boost no seu LinkedIn, confira o depoimento viral de Josh Fechter sobre ter alcançando 25 milhões de visualizações no seu LinkedIn em 4 meses!

Bora bombar o seu perfil no LinkedIn e aumentar as chances de ser encontrado? Então não vacila! Coloque já essas dicas em prática e arrase!

Técnica STAR: a estratégia para você se sair bem em uma entrevista

Você está em uma entrevista de emprego e as coisas estão indo muito bem. Você não se atrasou para a entrevista, a conversa com o recrutador está seguindo um tom amistoso até que o recrutador pergunta: “Conte-me sobre um momento em que…”

O nervosismo surge, o estômago dá um nó e por um momento parece que o seu cérebro e a boca paralisam.

Esses tipos de perguntas durante uma entrevista realmente são difíceis de responder. Mas a boa notícia é que existe uma estratégia que você pode usar para dar respostas com uma narrativa mais atraente e mostrando suas habilidades e potenciais de forma estruturada: a técnica STAR.

O que é a técnica STAR

STAR é um acrônimo que significa: situation (situação), task (tarefa), action (ação) e results (resultado).

A técnica STAR oferece um formato simples que você pode usar para responder às perguntas comportamentais – aquelas que pedem que você dê um exemplo real de como lidou em uma determinada situação ou conflito anteriormente em uma das suas experiências profissionais.

Essas perguntas geralmente iniciam da seguinte forma:

“Conte-me sobre um momento em que …”
“O que você faz quando…”

“Você já…”
“Me dê um exemplo de…”
“Descreva um…”

“Você já…”
“Me dê um exemplo de…”
“Descreva um…”

A técnica STAR trata-se de pensar em uma história apropriada para a sua resposta, compartilhando detalhes relevantes que tornem a sua narrativa atrativa do início ao fim – sem divagar.

Usar os quatro elementos da técnica para moldar a sua história é vantajoso para você e para o entrevistador. Para você, fica muito mais fácil compartilhar uma resposta focada, fornecendo ao entrevistador uma narrativa fácil. Para o entrevistador, é mais fácil acompanhar o que é dito e determinar sua aptidão para a vaga com base na sua resposta.

Situation (situação)

O ponto de partida para iniciar a técnica STAR é encontrar uma situação marcante do seu histórico profissional que você possa falar de forma aprofundada. Pense em situações como conflitos, promoções, desafios e outras que de alguma forma foram o início de uma nova trajetória para a sua carreira.

Como não é possível saber com antecedência o que o entrevistador irá lhe perguntar, o ideal é ter algumas histórias e exemplos na manga para serem ajustados e adaptados para diferentes perguntas durante a entrevista.

Abaixo algumas ideias de situações que você pode usar para responder às perguntas:

Projetos acadêmicos

Se você possui pouca experiência, os projetos acadêmicos são excelentes para você construir sua história.

Experiências de trabalho anteriores

Mesmo um trabalho de meio período é válido para criar a sua narrativa. Lembre-se de falar positivamente sobre as suas experiências anteriores!

Projetos freelancer

Mesmo que sejam projetos não relacionados ao trabalho que você está se candidatando, os freelas podem mostrar características como iniciativa e espírito empreendedor que podem diferenciá-lo dos demais candidatos.

Task (tarefa)

Descreva as tarefas que você tinha de realizar, envolvendo nomes, prazos, objetivos, problemas e outros aspectos relevantes que são importantes para a sua narrativa.

A tarefa pode facilmente ser confundida com a parte “ação” da resposta. No entanto, esta peça é dedicada a dar as especificidades de suas responsabilidades nesse cenário específico, bem como qualquer objetivo que foi definido para você, antes de mergulhar no que você realmente fez. Você deve citar as ações que tomou para resolver o problema e que o motivou a chegar até essas ações.

O objetivo aqui é criar uma imagem clara da situação em que você se encontrava e enfatizar as suas complexidades. Desse modo, o resultado que você menciona parecerá muito mais profundo. Mantenha a narrativa concisa e concentre-se naquilo que é inegavelmente relevante para a sua história.

Action (ação)

Você está contando essa história por uma razão – porque você teve envolvimento central nela. Esta é a parte em que você faz o entrevistador entender exatamente onde você se encaixa na situação e o quais foram as suas reações e atitudes para resolver a situação apresentada. Algumas características que os empregadores julgam nos candidatos nessa etapa:

Iniciativa: como o funcionário em potencial sabe que há um problema para ser resolvido?

Abordagem: qual é a abordagem para resolver um problema? A decisão é tomada imediatamente ou se coleta opiniões e dados sobre como proceder?

Definição de metas: quando ações começam a ser tomadas, o resultado final está sendo considerado ao longo do processo?

Result (resultado)

Por fim, fale sobre os resultados obtidos através de suas ações e conclua a história com os aprendizados – quantificados, se possível.

Esta é sua chance de realmente mostrar a sua contribuição, o que é digno de detalhes. Mergulhe fundo e certifique-se de fornecer informações suficientes sobre o que exatamente você fez.

Se você trabalhou numa área como vendas, coloque seus resultados em termos do impacto financeiro: foco na receita gerada, novos negócios e valor dos clientes que você conquistou.

Concentre-se em projetos de redução de custos ou como você melhorou a performance de algo.

Se você implementou um novo relatório ou análise, concentre-se na economia de tempo que ele criou para os membros da sua equipe.

Técnica STAR na prática

“A técnica STAR fornece uma estrutura simples para ajudar um candidato a contar uma história significativa sobre uma experiência de trabalho anterior”, afirmou Al Dea, fundador da CareerSchooled e coach de carreira e liderança.

Veja alguns exemplos de respostas usando a técnica STAR.

Modelo 1

O primeiro modelo sinalizamos onde cada etapa da técnica STAR é aplicada na resposta para que fique mais fácil de assimilar:

Entrevistador: “Conte-me sobre uma época em que você teve que ser muito estratégico para atender todas as suas principais prioridades.”

Situação: “Em minha função anterior de vendas, fui encarregado da transferência para um sistema totalmente novo de CRM – além de lidar com leads e responsabilidades diárias de vendas.”

Tarefa: “O objetivo era fazer com que a migração para o novo banco de dados de CRM fosse concluída no terceiro trimestre, sem deixar que nenhum dos meus números de vendas caísse abaixo da meta”.

Ação: “Para fazer isso, eu tive que ser muito cuidadoso sobre como eu administrava todo o meu tempo. Então, eu bloqueei uma hora por dia no meu calendário para dedicar exclusivamente à migração do CRM. Durante esse período, trabalhei na transferência de dados, bem como na limpeza de contatos antigos e na atualização de informações desatualizadas. Fazer isso me deu tempo suficiente para trabalhar nesse projeto, enquanto ainda lidava com minhas tarefas cotidianas. ”

Resultado: “Como resultado, a transferência foi concluída duas semanas antes do prazo final e eu terminei o trimestre com 10% de antecedência em relação à minha meta de vendas.”

Modelo 2

Entrevistador: “Conte-me sobre alguma situação que você precisou trabalhar sob enorme pressão.”

Candidato: “No meu último emprego, um colega de trabalho precisava se ausentar por um período, e o projeto ficou inacabado e sem um gerente. Meu supervisor me instruiu a assumir o projeto. Tive dias para concluir um projeto que originalmente deveria levar várias semanas. Pedi e recebi metas semanais reduzidas, dando-me mais tempo para concluir o projeto. No que diz respeito aos meus objetivos semanais, consegui delegá-los aos colegas de equipe. Com menos tarefas, dediquei mais tempo ao projeto, o que me permitiu terminá-lo no prazo e com total precisão. Por conta disso, recebi vários outros projetos, fui promovido e o meu salário foi aumentado.”

Recapitulando a técnica STAR

Situação: Defina a cena e forneça os detalhes necessários do seu exemplo;
Tarefa: Descreva qual foi sua responsabilidade nessa situação;
Ação: Explique passo-a-passo as ações que você tomou;
Resultado: Compartilhe quais resultados suas ações geraram.


A técnica STAR deve ser simples! Portanto, concentre-se em apenas uma ou duas frases para cada tópico da sigla e vá em frente! Boa sorte 😀

Passo-a-passo: como pedir aumento de salário

Quando você está em uma posição a um longo tempo ou absorvendo atividades de outra função, é natural que o seu primeiro pensamento seja pedir o aumento de salário.

Nem sempre a iniciativa vai partir da empresa. Ciente disso, você precisa se vestir de coragem e dar o primeiro passo.

A gente sabe que pedir aumento de salário é um momento delicado para qualquer profissional. Geralmente, muitos acabam evitando esse assunto, e os que tomam a iniciativa, erram por conta do nervosismo ou falta de preparo.

Pedir aumento de salário envolve diversos fatores, como uma boa argumentação para convencer o seu chefe, a avaliação do humor dele, a situação financeira da empresa, a remuneração média no mercado, e principalmente, se você está desempenhando um bom papel.

Se você avaliou cada um desses pontos e acredita que todos são favoráveis para você pedir o tão sonhado aumento, vá em frente! Mas não vamos te deixar sozinho para enfrentar esse desafio. Selecionamos algumas dicas marotas para você ser bem sucedido na sua abordagem para conseguir uma graninha extra!

#1 – Planeje-se

Antes de chamar o chefe de canto e pedir um aumento de salário, levante alguns resultados relevantes do seu trabalho que melhoraram a área ou até afetaram positivamente o negócio.

Foque em números. Por exemplo: inclua números de vendas, novos clientes que você trouxe para a empresa e responsabilidades adicionais que você absorveu nos últimos tempos.

Em hipótese alguma, coloque motivos pessoais como razão do aumento, seja gastos extras, casamento, viagem ou o que for. A empresa não é um banco. Se você está passando por algum perrengue, faça um empréstimo, mas não peça um aumento de salário.

#2 – Faça a lição de casa

Pesquise o que seria um aumento salarial adequado, usando pesquisas idôneas como um guia. Além disso, converse com pessoas que também atuam no seu mercado e possuem cargos e tempo de experiência semelhantes ao seu para ter uma ideia de valores.

#3 – Seja realista

Feito a lição anterior, você não deve pedir algo muito fora do que é praticado no mercado. Tenha um plano B caso o aumento de salário seja negado. Faça uma contraproposta de aumento dos benefícios, seja aumentar o vale refeição ou conseguir um vale alimentação, obter um plano médico melhor… Analise os benefícios que você possui e como pode colocá-los na proposta.

De certa forma, por mais que não seja dinheiro em espécie, isso colocará mais dinheiro no seu bolso a longo prazo.

E se nada der certo?

Mesmo seguindo esse passo a passo, você tem chances de ouvir um não, e a culpa não será sua.

O importante é levantar, sacudir a poeira e dar a volta por cima. Para a esperança se manter firme, estabeleça com o seu chefe um prazo que vocês possam conversar sobre esse assunto novamente. E enquanto isso, trabalhe visando como você pode demonstrar suas conquistas (sem ser arrogante, ok?).

Pense positivo: se você realmente for merecedor e a empresa estiver em condições melhores no futuro, a semente já foi plantada e logo você irá colher os frutos.

Webinar: Descoberta do Perfil Profissional

Olá pessoinhas da Terra! Estamos aqui para falar de um assunto MA-RA-VI-LHO-SO! No dia 12 de abril rolou um Webinar incrível sobre Descoberta do Perfil Profissional no Canal do YouTube do Bettha! 

O esquema foi o seguinte: recebemos as perguntas de vocês pelas nossas redes sociais, e respondemos todas ao vivo! Foi demaaais

O que rolou nesse Webinar?

O tema da semana desse Webinar foiDescoberta do Perfil Profissional.  

Para responder as perguntas de vocês sobre o assunto, contamos com a presença da Renata Magliocca, profissional de Recursos Humanos com muuuitos anos de carreira e muita experiência para compartilhar!

Ela é ninguém mais ninguém menos que uma das responsáveis pela criação dos perfis Bettha. Não existe ninguém melhor no mundo para falar sobre perfis profissionais que a Renata, né non? 

Como mandar dúvidas? 

Caro Xóvem, recebemos suas dúvidas no nosso Instagram (@betthaoficial) – deixamos a caixinha de perguntas lá nos nossos stories! -, no nosso Facebook e claro, pelos comentários da transmissão do YouTube!  

Essa transmissão vai ficar disponível para todo o sempre lá no nosso canal, então, se você perdeu a hora, não tem desculpa para não assistir, okay? Okay!

Vão rolar mais Webinares? 

SIM, JOVEM PADAWAN! Você terá várias oportunidades para aprender muuuito, tirar dúvidas e se tornar um Mestre Jedi do mercado de trabalho!  

Vamos fazer uma série de Webinares toda terça-feira, e vamos divulgar os temas do seguinte toda quinta-feira. JÁ É BETTHA CAREER EXPERIENCE, BEBÊ!

Tô perdidão, o que é Bettha Career Experience

Bettha Career Experience (BCE, para os íntimos) é uma experiência de carreira que vai te deixar mais preparado para os desafios do mercado de trabalho!  É uma jornada online de 6 semanas com um evento presencial (em São Paulo) ao final do processo. 

Durante todo esse tempo, rola contato com empresas incríveis, troca de experiências via webinares e acesso a conteúdos que vão te ajudar a laçar o seu emprego dos sonhos. 

No final de todas essas semanas, vai rolar um dia inteirinho com workshops, sessões de coach e entrevistas (com feedback!). 

E relaaaxa, consagrado! Esses Webinares vão ser abertos pra todo mundo <3

Ficou na vontade de participar da 3ª edição do BCE? Então clica aqui e não vacila! 

Virei líder, e agora?

Se você chegou até aqui é porque acabou de se tornar um líder ou está se preparando para se tornar um – parabéns a ambos. Se tornar líder é uma responsabilidade que demanda ousadia e coragem, pois apesar de ser um cargo inspirador, há grandes desafios a serem percorridos.

É normal que quem acaba de virar um líder tenha diversas dúvidas e sinta-se um pouco perdido a princípio, pois tudo é novidade. Vamos te ajudar a dar os primeiros passos para quebrar as regras e ser a mudança que sempre quis ser no seu ambiente de trabalho!

Aperte os cintos porque essa jornada apenas começou!

Seja líder, e não chefe!

Enquanto o chefe manda, o líder dá o exemplo.

A Era dos Chefes acabou!

É muito comum que os jovens líderes acabem replicando o tipo de liderança que tiveram na vida – sejam elas boas ou ruins. Mesmo que você seja jovem, caro leitor, pode ter vivido na pele o que é ter um chefe “general”. Se esse foi seu caso, não replique as atitudes do seu antigo chefe.

Jovem líder, você precisará lidar com problemas que até então não eram seus, e responder por pessoas. Você terá de ter disciplina, autoconfiança, metas, deverá cumprir prazos, exercer o autoconhecimento e ter inteligência emocional desenvolvida para não se deixar levar pela pressão do dia a dia. Se alguém disse à você que seria fácil, esse alguém te enganou.

Ser líder é algo muito valioso e próspero. É uma situação que permite grande desenvolvimento pessoal e profissional. É importante que você esteja preparado, e não pense que tudo será um País das Maravilhas. Para além do salário mais alto e status, existe sua principal responsabilidade: desenvolver pessoas.

Para que você não caia no papel do antigo chefe, nós selecionamos 5 dicas para guiar os seus primeiros passos no Universo da Liderança.

1 – Busque conhecimento!


Siga o conselho do ET Bilu

Você está entrando em um cenário que nunca esteve, numa posição que nunca ocupou portanto. Sem a experiência é melhor estudar, ler livros sobre liderança e, principalmente, converse com outros líderes. Vá a eventos, participe de fóruns na internet, troque ideias na copa da empresa.

A lideranças às vezes pode ser solitária, e ter um colega que também seja líder – e que passa por desafios semelhantes aos seus – é uma excelente forma de trocar ideias e experiências. Com certeza essa troca será enriquecedora para ambos.

2 – Cuide da saúde! Não abra mão do sono ou de uma boa alimentação

Até que tudo comece a seguir o fluxo certo, tudo pode parecer um pouco caótico no início. Os primeiros meses serão para “arrumar a casa”: muitas tarefas que demandam tempo, muitos levantamentos, descobertas, trabalhos a serem feitos, além de conhecer a dinâmica da equipe… e tudo bem estar um pouco confuso. Pense que isso é temporário.

Enquanto isso, não abra mão do sono ou de uma boa alimentação! E não ouse usar a falta de tempo como desculpa para se deixar de lado, okay?Cuide-se antes de mais nada. Para ser um bom líder, você precisa estar bem consigo mesmo! Não abra mão do que te faz bem fisicamente, mentalmente e emocionalmente.

3 – Valorize pessoas

Valorize a sua equipe e você conseguirá extrair o melhor dela! A valorização começa por uma relação amistosa e de respeito. O reconhecimento também é uma excelente forma de demonstrar o valor que o colaborador tem para a empresa!

Ofereça ferramentas, treinamentos, feedbacks constantes e qualquer outro recurso necessário para manter a sua equipe motivada, focada e produtiva.

Mantenha o diálogo sempre aberto e seja honesto quanto às suas ações e decisões. Mas atenção: ser franco não é ser hostil, é manter a transparência como prioridade. Seja sincero sem ser rude ou agressivo!

4 – Construa pontes, não muros

Como um bom líder, você deve deixar a sua equipe à par de decisões que afetam a todos. O diálogo é primordial dentro da liderança. A partir do momento que você deixa de conversar com a sua equipe, você está impedindo o seu próprio desenvolvimento – e muito provavelmente colocando a sua cabeça na forca.

Portanto, é importante que você seja transparente, não isolando a equipe dos rumos futuros da área. Não se isole em seu papel de liderança, pois isso afastará a equipe de você. Mais do que escutar, aprenda a ouvir – inclusive o que não é dito – construindo uma relação harmônica com a sua equipe.

5 – Tenha inteligência emocional

Você terá de tomar ações e decisões que podem não agradar os liderados – mesmo que essas decisões sejam necessárias para o bem estar da empresa ou da equipe. Essas responsabilidades são inerentes aos líderes. Você deverá desenvolver a sua inteligência emocional – suas soft skills – para que as responsabilidades da liderança não abalem o seu emocional, principalmente se você se tornou líder de quem até então era o seu colega.

Quer saber mais sobre as soft skills e aprender a desenvolvê-las? Então se liga nessas 10 dicas!


Um bom líder sabe que liderar não é dar ordens – é dar o exemplo. Então não se esqueça: seja a mudança que você quer ver no ambiente de trabalho.

Como fazer um vídeo de perfil

Vem cá, deixa eu te perguntar uma coisa: se em algum dia da sua vida te pedirem para fazer um vídeo de perfil, você saberia o que fazer e como fazer?

O profile video – ou vídeo de perfil é um vídeo de 1 a 2 minutos onde você resume informações relevantes sobre você de maneira clara e objetiva – sendo você mesmo!

Essa nova tendência tem mil e uma utilidades: você pode colocar o vídeo como profile no bettha, pode usar no LinkedIn como um currículo-resumo, pode enviá-lo como carta de apresentação para enviar à empresas…

Mesmo que o profile video não substitua uma conversa cara-a-cara, é uma ótima maneira de se introduzir. Nele você pode falar um pouco sobre você, sobre suas experiências, capacitações, interesses profissionais e sonhos – além de mostrar todo o seu carisma e simpatia!

Tá, beleza. E aí? Como fazer um vídeo de perfil?

Fizemos esse Guia para te dar uma luz na criação do seu vídeo! Tudo pronto? Então bora!

1. Escreva um roteiro

Antes de qualquer coisa – qualquer coisa mesmo – você precisa escrever um roteiro contendo tudo o que você quer falar no seu vídeo. Comece com seu nome e idade, onde mora, o que/onde estuda; depois suas capacitações, cursos, experiências e objetivos profissionais.

Mas CUIDADO! O vídeo não deve passar de dois minutos, então não inclua tooodos os detalhes do seu currículo no roteiro. Otimiza, bebê!

2. Treine o que vai falar na frente do espelho

Com o seu roteiro em mãos, ensaie o que será dito na gravação em frente ao espelho. Assim, você vai conseguir falar de forma mais natural e resumida todas as informações que você quiser passar.

Aproveite esse treino e cronometre quanto tempo você levará para falar. Se achar necessário, faça uma gravação – ou gravações – como teste. Assim, você terá uma excelente oportunidade para otimizar o seu script e a sua performance!

3. Organize o cenário

Você estará gravando um vídeo de perfil, então todos os elementos que aparecerem na filmagem serão representações de você! Por isso, é extremamente importante que você cuide dos detalhes do cenário
onde o vídeo será gravado.

Realize a gravação em um ambiente calmo, silencioso e sem influências externas. Assim, o foco estará no que realmente importa: você!

O ambiente escolhido como cenário tem que estar de acordo com a mensagem que você quiser passar sobre você! Independente do
lugar escolhido, é muuuuito importante que que ele esteja
organizado, beleza?

4. Luz, câmera, ação!

Além do roteiro, do cenário e dos ensaios, uma boa gravação também envolve uma boa infraestrutura. Beleeeza, mas o que seria uma boa infraestrutura?

Um vídeo com boa infraestrutura envolve boa iluminação, bom enquadramento e som audível. Esses são elementos cruciais para
um bom profile video!  

A dica é a seguinte: use os ensaios para realizar testes de som e de iluminação! Não fique contra a luz, fique no centro do vídeo e tente
falar em alto e bom som – só não precisa gritar, okay? Aproveite e
procure seus melhores ângulos ;D

5. Edição

Se quiser dar um toque final ao seu vídeo, faça isso no momento da edição. Não importa se você for usar o Adobe Premiere ou Windows Movie Maker, o essencial agora é que possíveis falhas sejam corrigidas – como aumentar volume do áudio ou corrigir iluminação.

Não se esqueça: o vídeo total não deve passar de 2 minutos. Se for necessário, não tenha medo de cortar pedaços da gravação!

_______________________

Agora ficou bem mais fácil pra fazer seu vídeo, né? Aproveita que os novos conhecimentos estão fresquinhos na cabeça e faça seu novo vídeo de perfil para o bettha 😀

6 dicas para começar bem o dia de trabalho



Começar bem o dia de trabalho garante que você tenha um dia feliz, eficiente e com bom desempenho Por isso, é importante tomar algumas medidas logo nos primeiros minutos da sua chegada ao trabalho -fundamentais para determinar se você terá um dia produtivo ou não.

Chega mais que essas 6 dicas são de ouro e vão garantir shiny happy people! (se você não pegou a referência, a gente dá uma mãozinha aqui, juventude).

1 – Não chegue atrasado ao trabalho

Parece clichê, mas é verdade. E ainda assim as pessoas acreditam que o atraso não fará tanta diferença assim ao longo do dia, pois “é só ficar uns minutinhos a mais após o expediente que dará na mesma” – mas não dá, ao menos não para a sua produtividade.

Chegar esbaforido no trabalho não ajudará você a ver o todo com clareza. Você já começa o dia depois do que todo mundo, e até se acalmar e pegar o ritmo leva um tempinho.

Então, para evitar todo esse estresse, planeje-se! Comece dormindo cedo para garantir uma boa noite de sono e assim acordar no horário previsto. Calcule o tempo que você precisa entre acordar e sair de casa, levando em consideração o tempo de deslocamento e o possível trânsito ou problemas na condução.

Essa não é uma fórmula mágica e nem garante que você chegará no horário todos os dias. Afinal, eventualmente, problemas acontecem mesmo com planejamento, mas é uma boa forma de começar o dia com o pé direito.

2 – Primeiro veja as suas tarefas, depois os e-mails

Não comece o dia acessando a sua caixa de e-mail, pois isso tomará minutos preciosos e que podem matar a sua produtividade logo cedo, quando você ainda está com total energia.

Um e-mail o aproxima do próximo e-mail, de uma resposta que “teoricamente” é urgente e quando se vê 1 hora já passou e você ainda não tem ideia do que pretende fazer no dia.

Comece vendo quais serão as tarefas do dia, reveja o que é prioridade e urgência e verifique se você tem todas as ferramentas e fontes necessárias para executá-las. Feito isso, dê a atenção que a sua caixa de entrada precisa.

3 – Mova-se, o seu corpo não nasceu para ficar 8 horas sentado!

Dê pausas para o corpo e a mente descansarem para retomar o trabalho com mais foco. Trabalhar por muitas horas sem um descanso de 10 minutos não o ajudará no seu rendimento, pelo contrário.

Se quiser saber mais sobre ferramentas para aumentar sua produtividade, se liga nesse post!

4 – Pre-para que agora é hora do show do imprevisto

Planeje o seu dia contando com imprevistos, inclusive – e principalmente – no trabalho. Nem sempre será possível seguir a sua agenda, porque atividades vindas do além vão atravessar o seu dia e impedir que você cumpra com todos aqueles to-do’s.

Portanto, esteja a um passo à frente e separe uns 40 minutos do dia dedicados a imprevistos. Se eles não acontecerem, ótimo! Se acontecerem você já está mais do que preparado para lidar com a situation.

5 – Xô, bad vibes!

Se você realmente quer ter um dia bom, afaste as más vibrações de você. Isto é: não fique perto de pessoas tóxicas; se aconteceu algo não muito bom logo no início do dia que o deixou chateado, tente ver o lado bom daquilo – sempre há um lado bom nas coisas ruins.

Preocupações e mau humor comprometem negativamente um dia que tinha tudo para ser produtivo. Somos humanos, somos falhos e temos inúmeros problemas, mas tente sempre viver de forma leve e a não focar na negatividade das situações e das pessoas.

Comprometa-se com você, em ser alguém melhor e a focar no que te faz feliz!

6 – Diga ̶x̶i̶s̶ não

Aprender a dizer não educadamente é algo valioso. Se estamos a todo momento à disposição dos outros e das atividades dos outros, nunca estamos à disposição para nós mesmos e para os nossos próprios compromissos.

Eventualmente você precisará dizer não, sabendo como dizê-lo para manter a sua rotina de trabalho dentro do prazo.

Explique sempre com gentileza no que você está trabalhando e o tempo que precisa executar para entregar no prazo combinado. Diga que apesar de não poder colocar a mão na massa, você se dispõe (se possível, ok?) a orientar a pessoa para realizar o trabalho dedicando um tempinho daquele dia para isso.

Tem mais dicas de como começar o dia com o pé direito? Compartilha com a gente nos comentários 🙂

8 Ferramentas para aumentar a Produtividade

Os tempos modernos nos cobram mais e mais produtividade. Para isso, é importante usarmos as ferramentas certas para nos organizar, otimizar nossas tarefas e a nos ajudar a ganhar tempo.

A tecnologia nos permitiu acesso a uma infinidade de ferramentas com foco em produtividade. Gratuitas ou pagas, uma coisa é certa: com certeza existe a ferramenta perfeita para você!

Quando se trata de produtividade, muitas técnicas, processos e ferramentas podem ser úteis ao seu jeito de trabalhar e de lidar com aspectos e situações do cotidiano.

O objetivo é encontrar uma ferramenta que funcione para você e se encaixe de maneira intuitiva no seu dia a dia!

Agora sem blá blá blá e vamos ao que interessa: preparamos uma lista com 8 ferramentas para aumentar sua produtividade!

3, 2, 1 e já!

Trello

O Trello é uma ferramenta gratuita de colaboração e organização de projetos. A visualização por cards e a facilidade em arrastá-los para as colunas desejadas dá melhor visibilidade ao andamento dos projetos.

Ela possui vários recursos que permitem separar os projetos em tarefas, além de possibilitar a classificação em etiquetas, participantes da tarefa e etc.

Todoist

O Todoist gerencia de forma colaborativa suas listas de tarefas.

A interface é elegante e descomplicada, funcionando muito bem para uso pessoal e profissional. A versão grátis oferece:

  • Datas recorrentes
  • Acesso em mais de 10 plataformas
  • Sub-tarefas e sub-projetos
  • 4 níveis de prioridade
  • Máximo de 80 projetos ativos
  • Máximo de 5 pessoas por projeto

Harvest

Se o seu problema for planejamento de tarefas, o Harvest pode ajudar! Essa ferramenta gerencia o seu tempo através do trackeando do tempo levando em suas tarefas.

Entendendo melhor quanto tempo você leva para realizá-las, você consegue se planejar melhor e aumentar sua produtividade!

KeePass

Quem nunca esqueceu uma senha que atire a primeira pedra! O KeePass é a luz para esse problema.

Salve todas as suas senhas (isso mesmo, todas!) por categorias para manter a ordem. O ambiente é criptografado, protegido por uma senha mestra e chave de arquivo para você armazenar as suas senhas com segurança.

Franz

O Franz é um programa para Windows, Mac OS e Linux que centraliza todos os seus messengers em uma única janela! Centralizando seus canais de comunicação, você consegue se organizar melhor e produzir mais!

Com o Franz, você consegue integrar diversos aplicativos de mensagem como Messenger, WhatsApp, Telegram, Hangout, Skype, Slack, Android Messages, Discord, além de serviços como Gmail, Google Calendar, LinkedIn, Tweetdeck, Trello, Office 365 (Outlook) e Google Keep.

Google Drive

Sem precisar instalar nenhum programa, o Google Drive permite você tenha acesso a planilhas, apresentações, documentos, anotações e outros por meio de um belo espaço de armazenamento em nuvem.

É possível inserir extensões para dar aquele upgrade no Google Drive e potencializar suas ferramentas.

O melhor de tudo é a praticidade de compartilhar os documentos com qualquer pessoa, definindo o tipo de acesso que o usuário terá: apenas visualização, comentários ou edição.

Pocket

O Pocket é uma extensão do Chrome que permite que você salve, em apenas um clique, aquele link com a notícia ou o artigo interessante para ler mais tarde e não perder o foco nas tarefas.

TomatoTimer

O TomatoTimer é uma ferramenta baseada na Técnica Pomodoro de gerenciamento do tempo, utilizada mundialmente para o aumento da produtividade. Ela auxilia no aproveitamento máximo da sua
concentração, dividindo seu tempo de atividades e descansos.

As tarefas devem ser realizadas em pomodoros, períodos de 25 minutos intercalados por intervalos curtos. A cada ciclo de 4 pomodoros, há uma pausa longa.


Com essa seleção de aplicativos, você vai conseguir gerir melhor seu tempo, se organizar e aumentar a sua produtividade!

Você usa alguma outra ferramenta que faz uma enorme diferença na sua rotina? Compartilha com a gente nos comentários!

Primeiro emprego: 4 dificuldades de todo novato

São poucos os jovens que têm o privilégio de começar a trabalhar só no estágio, depois de ingressar à faculdade. A maioria dos jovens brasileiros, logo ao se formarem no ensino médio, precisam correr atrás do primeiro emprego – e é aí que começam as dificuldades no mercado de trabalho.

As principais dificuldades para conseguir o primeiro emprego são:

  • conhecer seus pontos fortes e fracos;
  • qualificação;
  • ansiedade;
  • saber mostrar suas soft skills (competências comportamentais).

Mas calma: é possível reverter esse quadro e aumentar as chances de conquistar o tão sonhado primeiro emprego.

Comece com o pé direito na conquista do primeiro emprego

A seguir, fizemos um passo a passo para te ajudar na conquista do seu primeiro emprego.

Passo 1: conheça seus pontos fortes

O autoconhecimento é a primeira ferramenta que todo ser humano precisa aprender a dominar. Quanto antes começar, melhor.

Saber quem você é, te ajuda a trilhar uma jornada profissional de acordo com a realidade e habilidades que possui. Para isso, identifique quais são os seu pontos fortes e seus pontos de atenção.

Por exemplo: se você é comunicativo, esse é um dos seus pontos fortes. E é possível fortalecer ainda mais esse ponto e até mapear oportunidades de trabalho que demandam por uma boa comunicação, como a área de vendas.

O autoconhecimento é um exercício frequente e realizado a vida inteira. Estamos sempre em constante mudança e com isso, novos desejos e conhecimentos vão se agregando ao nosso perfil.

De maneira prática, pegue um papel e caneta e pense com honestidade em quais são os seus pontos fortes. Pense também em quais são os seus pontos de atenção. Em seguida, liste como você pode aperfeiçoa-los.

Com a lista preenchida, agora é a hora de mapear áreas do mercado que você se vê trabalhando por estarem ligados aos seus pontos fortes.

Dê o primeiro passo para a sua jornada de conhecimento e prepare-se para ser melhor do que ontem todos os dias. Clique aqui e comece logo após a leitura deste artigo.

Passo 2: Se qualifique!

Você pode não ter experiência profissional, mas pode estudar e se qualificar para alguma área.

Há várias iniciativas que abrem portas de cursos presenciais e à distância, oferecendo qualificação continuada. Ao concluí-los, oportunidades de trabalho podem surgir.

Há também inúmeros cursos gratuitos pela internet que ajudam a abrir portas. Neste artigo aqui, fizemos uma seleção de excelentes cursos para os mais variados segmentos que podem ajudar a começar o primeiro emprego com o pé direito.

Cursos profissionalizantes são uma opção mais acertada para conseguir um emprego na área de estudo e o que não falta por aí são bolsas concedidas por empresas privadas.

O primeiro passo para conseguir um emprego sem qualquer experiência profissional é se qualificar. O estudo é a porta de entrada e constrói toda a jornada de um profissional que quer ser bem-sucedido.

Passo 3: Aprenda a lidar com a sua ansiedade

A ansiedade pode ser a grande ruína de qualquer pessoa, seja a que está em busca do primeiro emprego ou de quem está em busca do quinto emprego. A ansiedade pode estar presente de diferentes formas e situações, veja: a ansiedade pela busca do primeiro emprego, da entrevista, da resposta da entrevista, de começar o primeiro dia, de receber feedbacks… Viu como são inúmeras situações?

Porém, jovem jedi, cada processo seletivo e empresa, possuem o seu próprio ritmo e geralmente são diferentes do seu. Dançar conforme a música pode ser a solução. Mas o que isso significa?

Bem, na prática, significa se adaptar a realidade atual sem trocar os pés pelas mãos, e sim respeitar que há tempo para tudo, e que cada um tem o seu próprio tempo, assim como você. Tentar “atropelar” as coisas com a ideia que isso agilizará a conquista do seu primeiro emprego ou se manter nele, poderá colocar você em maus lençóis e justamente resultar no efeito contrário. Tenha calma e paciência.

Passo 4: saiba mostrar suas soft skills (competências comportamentais)

Soft skills são características da personalidade de um profissional que demonstram como ele se comporta no ambiente de trabalho. Ok, você ainda pode não ter trabalhado, mas ainda assim é possível desenvolvê-las e se preparar melhor para o primeiro emprego e os que estão por vir.

Alguns traços que os recrutadores buscam em um perfil é a sua capacidade de organização e gestão de tarefas e motivação.

É possível desenvolver suas soft skills! Temos 10 dicas para você começar hoje!

Você tem toda uma vida para descobrir e trilhar bons caminhos. Tudo tem o seu tempo e logo você conquistará o seu primeiro emprego 🙂

Se quiser uma ajudinha, conte com a gente.

Processo Seletivo: dicas práticas para lidar com a reprovação

Ser reprovado em um processo seletivo, principalmente daquele que mais se espera um “sim”, pode ser frustrante, mas se mudarmos a nossa perspectiva e deixarmos de focar no “não” e sim na experiência do início ao fim do processo, é muito provável que lições valiosas poderão ser aprendidas e aproveitadas para o próximo processo seletivo.

Negatividade atrai mais negatividade. Portanto, não se deixe abater, ficar bravo ou sentir alguma outra emoção que possa impedi-lo de lidar com maturidade. A vida é assim, e como já diria o filósofo contemporâneo Chorão, temos “dias de luta e dias de glória”. Mas é através da luta que alcançamos a glória!

Mas afinal, o que aprender e como lidar com aquele “não” de um processo seletivo que as vezes machuca mais do que o não do @? A gente te ajuda!

Lidando com o fora da @ (leia-se empresa)

1. Não se sinta um fracassado

Você ouvirá muitos outros “nãos” na vida profissional e pessoal – esse é só mais um. Ok, a expectativa era ser aprovado e agora você se sente sem rumo… Tudo bem, isso já aconteceu com muitos de nós, mas a maneira como você lida nesse primeiro momento é o que vai ditar os próximos passos.

Existem muitas empresas bacanas, vários outros processos seletivos… Esse não será o último da sua vida. Oportunidade não faltará para você mostrar a que veio. Take it easy!

Encare que esse não era o momento certo ou o desafio certo para você e que muita coisa boa está por vir.

2. Seja grato pela oportunidade

Sinta-se grato por cada processo seletivo que participa, mesmo que você não passe. É mais uma empresa que você conheceu, é mais um profissional que tem o seu contato e caso, lá na frente apareça alguma vaga com a sua cara, com certeza o recrutador te oferecerá uma oportunidade para participar de um outro processo. Sim! Isso acontece e muito.

Não é porque não rolou aquele match que as chances de trabalhar na empresa X acabaram.

Por isso, ao receber a negativa do recrutador, responda com educação e agradeça pela oportunidade. Não feche uma porta, pois a mesma pode se abrir de novo mais adiante.

dica bettha: muitas empresas dão um feedback sobre o candidato nessa hora, leia com atenção e não ignore. Esses conselhos servirão para você se aperfeiçoar e conquistar logo um novo emprego. Caso a empresa não tenha enviado o feedback, peça-o. É muito provável que o recrutador se sentirá tocado com sua atitude, pois verá que você está querendo melhorar e então, te dará um retorno.

3. Não desista!

Dependendo da expectativa que estava em torno de um processo seletivo, quando se recebe aquele “obrigado por participar, mas hoje não Faro” pode ser um verdadeiro balde de água fria.

Muitos começam a diminuir a busca por um emprego e até se recusar a participar de alguns processos com medo de não ir muito bem. Não desista!

Não é porque um processo não deu certo que os demais também não darão, né?

Quais são os ensinamentos de uma reprovação no processo seletivo?

Agora que estamos alinhados, vamos à praticidade, caso você não tenha recebido o tão sonhado feedback do recrutador.

Há detalhes, que por menores que sejam, podem desqualificá-lo de um processo seletivo e nesse caso, só você poderá avaliar: chegou atrasado? A roupa não era adequada para a vaga ou para a empresa? Foi superficial nas respostas? Deixou de realizar alguma atividade durante o processo?

Enfim, são inúmeros os erros que podem ser cometidos. Pare para pensar se algo não foi lá muito bom durante a entrevista, por mais que você não tenha percebido isso na hora, agora que não está mais na tensão, conseguirá identificar.

Mas a principal lição de uma reprovação no processo seletivo é aprender com os erros. São através deles que se pode melhorar o currículo, a aparência, o discurso, o conhecimento para conquistar um emprego.

Reflita em cada etapa e veja se você deixou de fazer algo ou fez, mas não da maneira mais adequada (acontece, perdoe-se, siga em frente!).

Vale dizer que também é possível você ter ido super bem, mas um outro candidato tinha mais qualificação para a vaga – isso acontece e com bastante frequência. E qual o ensinamento nesse contexto? Dar uma olhadinha no mercado e ver o que está sendo pedido em relação a qualificação e habilidades. Isso já pode ajudá-lo a avançar na busca do emprego dos sonhos.

Se até um pé (e você sabe onde) te empurra pra frente, porque um “não” de um processo seletivo não faria o mesmo?

A vida é muito curta para ficar remoendo o antigo processo seletivo. Chega de “hello darkness, my old friend” e venha dar match naquela empresa que combina com você e vice-versa.