11 Habilidades imprescindíveis para o futuro Mercado de Trabalho

11 Habilidades imprescindíveis para o futuro Mercado de Trabalho

Nesse post, você vai conhecer as 11 habilidades mais importantes para os profissionais que querem se adequar ao novo mercado de trabalho. Confira!

O mercado está menos centralizador, mais focado em resultados e pessoas. Assim, a resistência de profissionais em não se reformular às novas exigências do mercado de trabalho faz com que profissionais com um mindset mais “tradicional” estão sendo deixados para trás.

Ter um diploma na mão não é mais sinônimo de trabalho garantido e carreira estável. Na verdade, “estabilidade” é uma das palavras que não estão mais nas primeiras da lista desse novo mercado.

Se você quer ser o profissional do futuro, é fundamental acompanhar as mudanças que acontecem para manter o ritmo, e principalmente o emprego.

Se o diploma não dá mais garantia, o que aprender para continuar a ser um profissional relevante para o mercado de trabalho?

Habilidades para o Novo Mercado de Trabalho – o novo jeito de se reinventar

As habilidades – também chamadas de skills – são essenciais para o crescimento profissional. Existem dois tipos fundamentas de habilidades exigidas no mercado de trabalho: as hard skills e as soft skills.

As hard skills referem-se às habilidades técnicas que um profissional aprende – comprováveis com certificados. As soft skills, entretanto, não podem ser comprovadas com um diploma – pois se referem às habilidades interpessoais do indivíduos.

Assim, não basta ter conhecimento técnico se não sabe como ser resiliente ou como se comunicar corretamente. Tudo precisa caminhar junto em harmonia.

Vamos às skills mais importantes que você deve aprender?

Negociação

É o meio que se busca compreensão e consenso da outra parte. E engana-se quem acha que essa habilidade é só para vendedor. Numa negociação, todos devem ganhar – e também ceder. Assim, uma boa negociação depende de comportamento político, compreensão e conhecimento de causa – para saber até onde é possível ceder ou demandar.

Orientação à resultados

Não adianta fazer um trabalho excelente que não possa ser metrificado ou que não ofereça resultados aos objetivos globais da organização. Ser orientado a resultados torna o profissional mais crítico e objetivo.

Inteligência emocional

A inteligência emocional é o conjunto de todas as softs skills que um indivíduo pode ter. Assim, saber reconhecer e avaliar suas próprias emoções e as de outras pessoas para alcançar o resultado desejado é uma habilidade importante para gestores e líderes.

Comunicação

Quem tem o dom da comunicação consegue ir além: liderar, conquistar novos projetos, intermediar conflitos e muito mais. Transformar ideias em palavras de forma clara e objetiva é a melhor maneira de ser compreendido – e de compreender, facilitando a rotina dentro da empresa.

Criatividade

Máquinas ainda não tem a capacidade criativa como a de um ser humano. Por isso, com a quantidade de informações e novos produtos, a criatividade permite conectar informações diferentes, resultando em trabalhos fantásticos.

Pensamento analítico

Envolvendo lógica e raciocínio, o profissional do futuro deve ser capaz de usar essas aptidões para questionar, analisar e encontrar soluções para um problema de forma eficiente, objetiva e eficaz.

Visão

Possuir visão significa prever possíveis problemas através de análises bem fundadas. Assim, é possível identificar oportunidades para traçar planos sólidos que atinjam os objetivos da empresa.

Oratória

Falar em público é um requisito cada vez mais solicitado pelo mercado de trabalho. Reuniões, palestras e outros eventos estão cada vez mais presentes no mercado de trabalho. Assim, a tendência é que essa habilidade seja cada vez mais solicitada pelos recrutadores.

Confiança

Ser autoconfiante te dá mais autonomia, garantindo que você tenha a “atitude de dono” da empresa, sem depender dos outros para realizar o trabalho que deve ser feito. Assim, você oferece segurança aos que estão ao seu redor – do seu colega até seu gestor.

Flexibilidade

Se o mercado de trabalho e o mundo mudam constantemente, o profissional deve ser flexível para se abrir a novas ideias e culturas. Além disso, as constantes transformações oriundas do Mundo VUCA demandam do profissional muito mais jogo de cintura para lidar com as mudanças.

Autonomia

Principalmente no mundo das startups, cada profissional tem autonomia para fazer o trabalho, muitas vezes sem passar por um gestor. Esse sentimento de ser “chefe de si mesmo” deve estar alinhado com comprometimento e ética.


O mercado de trabalho é mutável – e é por isso que as habilidades demandadas são constantemente atualizadas. O que é novo hoje, amanhã já pode ser considerado “arcaico”. Portanto, reinvente-se sempre e esteja atento para não ser deixado para trás.