O que é ser nômade digital?

A internet tem oferecido possibilidades, até então distantes, de trabalho. O home office tem se fortalecido cada vez mais em território nacional, e há algum tempo, um outro termo se tornou popular, ainda que não tão compreendido assim: o nômade digital.

O nômade digital é um termo dado à profissionais que trabalham remotamente e se mudam frequentemente. São pessoas que trabalham fora do escritório tradicional em locais onde têm acesso a serviços de internet como cafés, aeroportos, dentre outros espaços. O seu local de trabalho é onde tem internet.

Nômades digitais são independentes da localização e resilientes, em movimento, enquanto ainda estão envolvidos em seu trabalho.

Embora todos os nômades digitais trabalhem online, seus trabalhos podem variar muito e serem classificados em três categorias:

1. Profissional remoto – o Home Office

Hoje, muitas empresas, principalmente estrangeiras, oferecem à seus funcionários o home office. Não importa se o funcionário está sentado em casa enquanto faz seu trabalho ou se está viajando. Esse tipo de trabalho remoto fornece principalmente uma renda estável e segura com a flexibilidade de escolher o próprio local de trabalho.

2. Freelancer

O freelancer nômade digital faz o trabalho online para um ou vários clientes. Esses tipos de trabalhos geralmente estão em campos como desenvolvimento web, criação, social media ou conteúdo. O freelancer pode trabalhar em qualquer lugar do mundo, desde que seus clientes estejam bem com o fato de que ele não estará fisicamente disponível em sua empresa.

3. Empreendedor

Alguns nômades digitais têm uma empresa iniciante e podem fazer todos os seus negócios online. Outros ganham dinheiro com a venda de serviços pela internet, mas são poucos os que conseguem ganhar a vida com o próprio estilo de vida nômade, por exemplo blogger de viagens ou fotógrafo.

Eeerrr… então o nômade digital faz home office?

Um profissional que trabalhe remotamente não é, necessariamente, um nômade digital. Há muitas pessoas que trabalham remotamente, mas vivem “em casa” e não viajam para nenhum lugar.

Então, o que é um nômade digital? – É um profissional que precisa ter tanto o aspecto remoto como o itinerante 😉

Nomadismo digital está nos trends, mas não é tão simples assim

Hoje, você pode encontrar muitos nômades digitais em hubs e coworkings na Tailândia, Indonésia e outros países. Algumas cidades européias estão se desenvolvendo fortemente para grandes lugares nômades digitais, como Berlim ou Lisboa.

Muitos desses nômades digitais são pessoas nascidas depois dos anos 80, e tem um perfil de valorização de experiências, mas não é apenas a liberdade que torna-se vantagem, a diminuição do estresse e a produtividade são pontos favoráveis quando se é um nômade digital – mas nem tudo são só flores, internet, viagens e café.

Existem desvantagens nesse estilo de vida e que precisam estar claros para quem pensa em se tornar um nômade digital, dentre eles: dificilmente você conseguirá ver a sua família e amigos, e se sentirá solitário de tempos em tempos. Além disso, a sua renda geralmente não é garantida.

Você precisa ter muita autodisciplina para realizar o seu trabalho. Ser capaz de lidar constantemente dizendo adeus a novos amigos, e precisa ser flexível e espontâneo o suficiente para lidar com as constantes mudanças.

Claro, você também precisa encontrar um emprego que possa fazer enquanto viaja pelo mundo. Isso parece mais fácil do que é porque muitas vezes há muita concorrência e o pagamento pode ser muito baixo.

Ciente disso, saiba o que você precisa aperfeiçoar e se planejar antes de iniciar uma vida independente de local e não se apresse.

7 dicas para se tornar um nômade digital

1. Mude o equilíbrio trabalho/vida para a integração de trabalho/vida

Esse estilo de vida o forçará a buscar uma integração entre a vida profissional e pessoal, ao invés de equilibrar uma coisa e outra, criando um ritmo de trabalho e diversão que atenda a todas as suas necessidades, não apenas aos prazos.

Se você está pensando em mergulhar em um estilo de vida nômade digital, considere essa a sua realidade.

2. Trabalhe duro

Se você pensa em virar um nômade digital, entenda: é trabalho, assim como em qualquer outra carreira.

Não espere gastar menos horas do que no seu “trabalho real” por um bom tempo. Talvez em alguns anos você consiga trabalhar na modalidade “semana de trabalho de quatro horas”. Enquanto isso, trabalhe duro e não pense que para o seu trabalho virar dinheiro será fácil ou que com apenas alguns cliques você ganhará um cheque bem recheado.

Existem casos de pessoas que estão produzindo conteúdo há quase uma década, mas faz menos de três anos que conseguem ganhar remuneração do seu trabalho.

3. Esteja preparado para alguns pesadelos logísticos

Encontrar wi-fi com um excelente sinal pode ser um problema. Organizar teleconferências levando em consideração fuso de horários não é uma alegria – diferenças de horário de 12 horas são piores.

A preocupação é constante desde transportar os equipamentos, a ter comida na mesa, ter um teto sobre a sua cabeça e todos os cenários de imagináveis de uma viagem ​​que a fazem uma grande história, mas que na hora, chegam a ser alguns conflitos.

4. Não há piloto automático na estrada

Se você se tornar um nômade digital, você constantemente pensará e tomará uma infinidade de decisões sobre como trabalhar, onde trabalhar, quando trabalhar, o que trabalhar, se está funcionando e como fazê-lo parecer um pouco mais legítimo para o potencial cliente do outro lado da linha. Definitivamente não há um piloto automático na estrada.

5. Aproveite ao máximo seu horário flexível

Você descobrirá que é possível viver e trabalhar em qualquer lugar. Você pode ser a única pessoa que pode comprar um ingresso na tarde de domingo, só porque é barato, e estar em outro continente, trabalhando, até a noite de terça-feira.

Você estará livre para trabalhar as horas que são mais produtivas para você na maior parte do tempo. Assim, seu desempenho no trabalho não será medido pelas horas em que você fizer o login. Em vez disso, a eficiência é incentivada: você precisa fazer o trabalho. Se isso leva cinquenta horas esta semana, leva cinquenta. Este é o grande privilégio.

6. Dê a si mesmo 3 meses para superar a curva de aprendizado

Como qualquer outra coisa na vida, leva-se algum tempo para aperfeiçoar sua rotina de viver e trabalhar como um nômade digital. Não espere deixar um estilo de vida e facilmente se adaptar em outro.

Seja gentil consigo mesmo. Saiba que soluços, crises são normais. Você não ficou ótimo com o que está fazendo agora logo nas primeiras duas semanas, levou tempo. E a vida de nômade digital também será assim.

Três meses. Esse é o tempo que leva para encontrar seus pés em viagens de tempo integral e vida de nômade digital. Ao final de três meses, você saberá o que está funcionando e se funcionará de fato para você. Não será tudo perfeito até lá, mas você chegará. Você aprenderá sobre você mesmo e o que você quer com esse estilo de vida.


Se você se interessou por esse estilo de vida e quer conhecer mais, a dupla que está por trás do Casal Sem Vergonha, criou o site Nômades Digitais. Ali, é possível acompanhar a trajetória da dupla, dicas para viver como um nômade digital e muito mais!