Painéis do Experience Day do BCE#3: Confira os conteúdos na íntegra!

O Experience Day, evento presencial que fechou o Bettha Career Experience 3, foi um dia de imersão em processos seletivos, carreira e mercado de trabalho. Nesse post reunimos os conteúdos na íntegra dos painéis do Experience Day!

Clique aqui e confira todos os conteúdos que rolaram nas 6 semanas do Bettha Career Experience!

O que rolou de conteúdo nos painéis do Experience Day?

Tivemos 4 painéis incríveis com os melhores especialistas. Em cada um desses momentos, os participantes do Experience Day puderam aprofundar seus conhecimentos sobre diversas questões relativas a carreira.

Tivemos painéis sobre Mindfulness – que vai além da simples meditação -, com Tiago Ghion; aprendemos sobre Storytelling, a melhor forma de contar uma história, com Cecília Pinaffi; pudemos tirar dúvidas no De Frente com Sofia, com Sofia Esteves – presidente do conselho da Cia de Talentos, maior referência em RH do Brasil; além de entender um pouco mais do processo de Transição de Carreira, com Vânia Goy.

Quer saber mais sobre esses temas? Então confira tudo o que rolou nesse eventão!

Mindfulness – com Tiago Ghion

O Experience Day começou muito bem. Logo no comecinho da manhã, o Tiago Ghion compartilhou com a gente tudo o que ele aprendeu durante sua certificação no SIYLI Search Inside Yourself Leadership Institute. Nessa certificação, os participantes contam com um treinamento que une inteligência emocional, neurociência e mindfulness.

Tiago Ghion

O que é mindfulness?

Mindfulness é muito mais que uma meditação. É uma técnica de atenção plena, onde o foco na respiração, dentre diversos benefícios, reduz o estresse e permite o aumento da produtividade. No caso de equipes de trabalho, possibilita o incremento da integração entre os colaboradores.

A empresa de tecnologia SAP está entre os casos de sucesso do uso do mindfulness no mundo corporativo. Após implementar um programa piloto de treinamento em mindfulness, os indicadores de bem-estar dos funcionários tiveram uma melhoria enorme – um aumento de 1% no índice de bem-estar é equivalente a 90 milhões de euros a mais na empresa!

Foco no agora: meditação no Experience Day

Durante a palestra, rolou uma imersão com os participantes do evento. Todo mundo fechou os olhos durante 10 minutos, focando apenas na própria respiração. Como o Tiago explicou, a meditação é um processo de atenção focada. Dessa forma, existe um ciclo mental: o foco na respiração, a distração, a percepção da distração e o retorno ao foco na respiração.

Dentro desse processo, ele explicou, a distração é normal. A questão não é ter foco em 100% do tempo – a grande brisa é ter a disciplina mental para retornar ao estado de atenção plena. E gente, disciplina não se tem, se desenvolve. Então confiem no processo de vocês! Processo é progresso <3

Para saber mais detalhes de como aplicar o mindfulness no cotidiano, clique aqui.

Storytelling – com Cecília Pinaffi

Para o painel sobre storytelling, contamos com a presença da incrível Cecília Pinaffi! Ela explicou pra galera como transformar um relato em uma boa história. Para isso, ela contou sua própria história, desde sua formação como psicóloga até sua experiência no Vale do Silício – vamos combinar que essa é uma bela história, né?

Cecília Pinaffi

O que é Storytelling?

O storytelling é a prática de se contar uma história a partir de uma pessoa ou situação. Sabe quando você precisa dar um pitch (aquela apresentaçãozinha básica)? Então. Essa ferramenta é ideal para prender a atenção do público – ou do recrutador.

Para saber mais sobre como usar o storytelling no processo seletivo, clique aqui e arrase!

Através do encadeamento linear dos fatos (com começo, meio e fim), a história fica muito mais atraente! Para isso, ela deve ser contada numa sequência que engaje e emocione. Além disso, a forma que você usa para contar a história deve estar adequada a quem – ou a empresa – que está te escutando.

Mas é aquilo: uma história só será realmente boa se tiver um bom conteúdo. Então, caso você não tenha uma história profissional para contar ao entrevistador, use vivências pessoais! Leve à entrevista fatos que possam alavancar sua carreira.

Se liga nas dicas de como ter uma boa narrativa – e arrasar no storytelling:

  1. Conheça seu público! Adeque sua linguagem a quem estiver te ouvindo.
  2. Início, meio e fim não basta: você tem que explicar o porquê determinada situação é, de fato, uma boa história. Usar a técnica STAR (situação, tarefa, ação, resultados) é uma excelente forma de adequar a sua narrativa!
  3. Use a voz ao seu favor. Tenha uma boa entonação, fale claramente, e projete sua voz (tipo, não fale pra dentro, sabe?). Se posicione! E use sua voz pra fazer isso <3
  4. Brilho nos olhos, bebê! Demonstre que você quer estar onde está. Isso conta muito durante uma entrevista!
  5. Reforce o que aprendeu em cada fase da vida! Compartilhe suas evoluções pessoais e profissionais com o seu parceiro de prosa!

Workshop de Journey Line

A Cecília fez um exercício com a galera. Durante o webinar sobre Viés Inconsciente, ela falou um pouco sobre a journey line – a linha da jornada de vida – e pediu pra cada um desenvolver a sua para levar no dia do Experience Day.

No dia do evento, rolou um workshop cremoso: a galera se reuniu em grupos de 3. Cada um contou sua história para os outros participantes do grupo, que deram feedbacks ao final da apresentação. Depois disso, todo mundo se reuniu para contar como foi a experiência. Vou dizer pra vocês, queridos leitores, a conversa pós-workshop foi linda :3

O pessoal compartilhou que entendeu a importância de confiar e compreender a própria história, pois só assim é possível cativar outra pessoa. A galera também percebeu que, pra construir uma boa história, precisam equilibrar fatos da vida pessoal e profissional – somos mais que a soma das partes, né, chuchu?

Sobre o processo de feedback, os participantes falaram sobre a importância das trocas de experiências desse exercício de comunicação. Também destacaram a diferença entre o falar e o ouvir, já que formular um feedback permite se colocar no lugar do outro – o que ajuda a reanalisar a própria narrativa. O saldo dessa dinâmica, então, foi exercitar a empatia.

Além disso tudo, a galera sentiu que dar o feedback é uma forma de autoconhecimento. No final das contas, observar o outro é uma forma de se observar – e essa é uma oportunidade incrível de evoluir.

De frente com Sofia – com Sofia Esteves

Você conhece a Sofia Esteves? Ela é Presidente do Conselho do Grupo Cia de Talentos e comentarista de carreira GloboNews! Ela esteve presente no Experience Day para tirar as dúvidas dos participantes do evento sobre mercado de trabalho, processo seletivo e carreira! Foi um momento de bastante descontração, onde a Sofia compartilhou sua trajetória profissional, desde seu primeiro emprego como recepcionista de um consultório médico até a criação da Cia de Talentos – maior referência de RH do Brasil.

Sofia Esteves

A Sofia compartilhou com o pessoal sua origem. Filha de imigrantes europeus, cresceu em Itaquera, na zona Leste de São Paulo. Aos 17 anos, começou a trabalhar como recepcionista em um consultório médico. Depois disso, encontrou uma oportunidade de emprego no jornal, numa consultoria de RH. Com formação em psicologia, não tinha muita ideia do que se tratava essa oportunidade. Apesar disso, resolveu “dar a cara a tapa”.

Depois de ser completamente desrespeitada pelo diretor dessa empresa, ela teve a sua chance. Começou a trabalhar como assistente em um banheiro desativado que ela mesma reformou. Transformou o lugar no seu escritório, e, com o passar do tempo, abraçou a oportunidade que estava tendo de mostrar toda a sua capacidade e o seu talento.

Após essa fase, ela buscou uma nova oportunidade numa empresa de realocação de executivos. Depois de um dilema ético colocado a ela pelos seus gestores, decidiu tentar a sorte como profissional autônoma. Ela nunca tinha planejado ser empreendedora. Após a ligação de um antigo cliente com uma proposta de projeto, ela recebeu o conselho que mudaria a sua vida: “Abra o seu negócio que você vai ter sucesso, menina”. E foi o que ela fez.

As perguntas da galera

O pessoal realmente aproveitou a oportunidade de estar diante da Sofia. Se liga em algumas das perguntas:

Como resolver esse problema de rotatividade das pessoas que “pingaram” de empresa em empresa durante a carreira?

A Sofia respondeu que, provavelmente, a pessoa não aprendeu o que realmente quer na vida. Assim, tentou diversas oportunidades profissionais na lógica do “acerto e erro”. Pra lidar com essa questão, ela recomendou questionar: “O que estou deixando de lado?”. Isso significa entender quais são as motivações que guiam os processos decisórios. Somente através da compreensão plena dessas questões que a pessoa vai encontrar um lugar em que realmente queira estar.

Como responder ao entrevistador o motivo por ter sido demitido em uma empresa?

Em primeiro lugar, é importante ser sincero e contar a verdade! Para isso, é importante ter plena consciência dos motivos que levaram a demissão. A partir das dificuldades que ocasionaram a demissão, é importe apresentar ao recrutador o aprendizado derivado dessa experiência, mostrando a ele que não existem chances daquele problema se repetir.

Qual sua visão sobre o imediatismo da nova geração?

A Sofia respondeu que essa nova geração possui um padrão: uma forte diferença entre discurso e ação. Ou seja, ao mesmo tempo que possui consciência maior sobre as questões do mundo, os jovens de hoje se deixar imobilizar pelas dificuldades. Passa lidar com essa questão, ela aconselhou a galera a refletir sobre os próprios valores e ações – afinal de contas, nossas escolhas são solitárias. Somos os únicos responsáveis por elas, e seremos os únicos a arcar com suas consequências.

Bônus: Conselho da Sofia

Esse foi um dos pontos altos do painel da Sofia – o seu conselho final.

Acreditem no talento de vocês. Acreditem em vocês mesmos. Lutem com garra. Façam o trabalho de entrar em vocês mesmos. Façam perguntas aos amigos de vocês: ‘se vocês tivessem um problema, que problema me chamariam para resolver? Que problema vocês não me chamariam para resolver?’ Não deixem os nãos perturbarem vocês. O que vocês fazem com os nãos é que faz diferença na vida.

Sofia Esteves

Transição de Carreira – com Vânia Goy

No último painel do Experience Day do Bettha Career Experience, tivemos a presença de Vânia Goy, jornalista e expert em beleza, que falou sobre um tema bastante delicado: a Transição de Carreira. Ela contou sobre seu próprio processo de transição.

Vânia Goy

Durante muito tempo, ela trabalhou como repórter em revistas de beleza e moda. Entretanto, chegou um momento em que ela sentiu que precisava fazer algo diferente. Por isso, em 2014, ela criou seu próprio site de beleza: o Belezinha.

Essa foi uma decisão complicada. Após criar o Belezinha, as funções dela aumentaram: além de produzir o conteúdo para o site, passou a gerenciar todos os processos envolvidos nesse negócio. Para isso, precisou aprender a lidar com diversas tarefas que antes sequer precisava pensar – como gestão financeira, por exemplo. Além disso, precisou ter paciência para conseguir o sucesso no projeto – destacando o papel do tempo nesse processo.

Ela deu algumas dicas para lidar com esse processo de transição de carreira:

Olhar ao redor, mesmo quando tudo parece bem

Mesmo quando estamos nos sentindo OK, é importante questionar tudo que está ao nosso redor. Será que, de fato, estamos felizes? As certezas costumam nos impedir de crescer, já que a dúvida é o princípio do saber.

Mirar só no futuro não adianta

Quando temos um projeto, queremos que ele dê certo. Apesar disso, focar apenas nos resultados que esperamos dele não fará com que estes ocorram. Para isso, precisamos dar pequenos passos, vivenciando um dia por vez. Essa é a melhor forma de construir nosso caminho – e evitar a ansiedade.

Ninguém tira o que a gente aprende da gente

Não adianta. Tudo aquilo que vivenciamos, sentimos e pensamos foi interiorizado e armazenado na nossa cabeça. Por isso, todos os aprendizados que tivemos ao longo da nossa vida (pessoal ou profissional) vão continuar com a gente. E nada – nem ninguém – tem a capacidade de impedir que utilizemos esses conhecimentos nas diferentes etapas das nossas vidas.

Quando dá certo, dá medo

Quando tudo está correndo perfeitamente bem, acabamos por nos sentir inseguros quanto aos fatos – será que é questão de tempo até tudo desmoronar? Precisamos entender que nem tudo na vida são flores – da mesma forma que nem tudo são espinhos. Parte fundamental da vida é a oscilação entre momentos bons e momentos ruins, mas não podemos deixar o pessimismo e a insegurança guiar nossas ações. O medo é um péssimo conselheiro.

Escutar sem querer se defender

Quando recebemos um feedback, estamos recebendo uma chance incrível de melhorarmos. Escutar críticas pode não ser a coisa mais agradável do mundo, mas é importante que não tentemos nos defender ou justificar nossos pontos fracos. Por isso, escutar atentamente e interiorizar uma crítica construtiva pode ser o pontapé inicial para uma transformação profunda dentro da gente.

Conhecer as nossas emoções

A Vânia disse aos participantes do evento que é normal se sentir ansioso – ela mesma ficou nervosa antes de dar a palestra. A grande questão é entender o porquê desse sentimento – a partir dessa compreensão, é possível trabalhá-lo. A disciplina mental e a priorização são boas formas de combater a ansiedade: uma coisa por vez, e tudo se resolve.


Todos os conteúdos do Experience Day foram extremamente agregadores e transformadores. No início do dia, a galera teve a chance de se acalmar antes da maratona de carreira que iriam percorrer. Depois, puderam se preparar ainda mais para contar suas histórias para os recrutadores nas entrevistas. Puderam entender que nem toda história de sucesso é planejada, e que às vezes, aproveitar as janelas de oportunidade da vida é a melhor maneira de buscar o sucesso.

Em breve teremos mais informações sobre o próximo Bettha Career Experience. Não perca! Fique ligado no Bettha e aproveite essa oportunidade de transformar sua vida!