6 melhores práticas para o offboarding de funcionários
,

6 melhores práticas para o offboarding de funcionários

À medida que os líderes trabalham para melhorar a experiência do funcionário, o offboarding geralmente fica de escanteio. Entenda mais sobre a ação e conheça 6 práticas indispensáveis para um bom offboarding.

As organizações estão melhor equipadas para atrair talentos, integrá-los em programas de orientação e treinamento estratégicos, gerenciar seu desempenho e reconhecer significativamente suas contribuições.

No entanto, muitas organizações tendem a vacilar na condução do offboarding de funcionários. De acordo com uma pesquisa da Aberdeen, apenas 29% das organizações têm algum processo formal de offboarding.

É fato que, algum dia, todas as pessoas contratadas acabarão deixando a sua organização. Por isso, aqui estão algumas práticas que você pode adotar para aproveitar ao máximo o processo de offboarding. Assim, poderá fornecer a melhor experiência para sua organização e funcionários.

1 – Comemore suas contribuições

Se um funcionário está saindo em bons termos e tem sido um trunfo para a empresa, certifique-se de dar-lhe uma despedida calorosa e memorável. Celebre o seu trabalho e sua contribuição para a organização. 

Uma celebração de offboarding é o momento de destacar publicamente o impacto de um funcionário na organização e demonstrar gratidão por seu trabalho.

A experiência mais recente que um funcionário teve com sua organização se destacará.

Existem grandes chances de os funcionários que saem compartilharem sua experiência positiva. Assim, aumentam as chances de que ele fale positivamente sobre a organização.

Sabe-se que o offboarding é um momento oportuno para descobrir o que fez o funcionário pedir demissão. Além disso, é um momento para demonstrar gratidão por seus serviços e talentos e mostrar seu apoio ao futuro dele. 

Mantenha a atmosfera positiva e saiba que os ex-funcionários, independentemente de suas razões para sair, ainda podem servir como embaixadores para atrair talentos. Além disso, podem se tornar clientes em potencial nos próximos anos.

2 – Descubra insights

Embora a saída de um funcionário não seja algo que alguém deseja, é uma oportunidade única e valiosa de aprender e melhorar.

Não há fórmula mágica para este passo. Pergunte a ele o por que ele está indo embora. Não esqueça de oferecer um ambiente seguro para ele ser franco. 

Este não é um momento de desculpas, lavação de roupa suja ou refutações. O seu papel é descobrir os motivos, avaliar se são verdadeiros e se sim, trabalhar em cada um deles para que não haja mais demissões.

Se excluirmos as demissões que são devido à má gestão, ao desencontro da cultura e assim por diante, ficamos com aqueles funcionários que estão realmente deixando para avançar em suas carreiras. 

Por um lado, isso é útil para os recrutadores e outros funcionários verem o desenvolvimento de um profissional na prática. Por outro lado, se os funcionários estão saindo constantemente na marca de 18 meses, isso mostra um certo “padrão de comportamento”. E o que isso significa? Falta de desafios? Os funcionários dominaram “tudo” em termos de suas obrigações de trabalho e não conseguem se desenvolver mais do que isso? 

São essas avaliações que devem ser feitas de cabeça fria para identificar padrões e fazer associações realistas para encontrar soluções.

Questione para entender e melhorar – não para impedir a saída ou julgar

Aceitar a carta de demissão de um funcionário sem se esforçar para aprender mais sobre suas motivações em sair, é uma oportunidade perdida de crescimento organizacional.

Deixe-o saber o quanto seu feedback é valioso para a empresa. Suas anotações de uma entrevista de desligamento podem revelar as chaves para o sucesso futuro neste cargo.

Mas e se eles estão saindo para avançar em suas carreiras? Se esse for o caso, considere como você poderia ter satisfeito essa necessidade e como você pode trabalhar para satisfazer essas necessidades proativamente para os funcionários atuais. 

É o trabalho, as pessoas, a gestão, o produto ou serviço que a empresa oferece? Esta é uma informação crucial que pode ajudar sua organização a evoluir.

É fácil fazer suposições sobre por que alguém decidiu sair, mas essas suposições nem sempre são precisas ou benéficas. Nada pode substituir a entrevista de desligamento em sua capacidade de descobrir um feedback inestimável do funcionário que se demite.

Para saber mais sobre como conseguir informações sobre o seu negócio com o funcionário que está saindo, acesse nosso Guia de Entrevista de Desligamento.

3 – Dê suporte

Depois de descobrir as razões que fizeram um funcionário sair, ajude-os oferecendo recursos que guiem a carreira do profissional. 

Não deixe de compartilhar os detalhes de contato da sua empresa para que o funcionário possa manter contato. Se o funcionário estiver saindo em boas condições, assegure-se de que sua empresa ficaria feliz em recebê-lo de volta e que ele pode obter qualquer suporte no futuro.

Algumas empresas chegam a criar grupos de ex-funcionários e gerenciar sites sociais para que possam manter em contato entre si e oferecer apoio quando necessário.

Esses programas provaram ser bem-sucedidos na melhoria das estratégias de engajamento e recrutamento de funcionários. De acordo com a Aberdeen, mais de 50% das organizações estão aproveitando ou planejando potencializar tais sites para facilitar discussões, divulgar iniciativas da empresas e vagas. 

4 – Prometer boas recomendações não é suficiente

Facilite de maneira proativa as apresentações e divulgue que há um ótimo candidato novo no mercado. 

Mostrar esse tipo de preocupação genuína pode, na verdade, produzir um efeito boomerang nos funcionários. Isto é, eles saem. No entanto, lembram como foram tratados e indicam candidatos com energia, engajamento e lealdade para a empresa.

Faça um checklist no offboarding que ofereça carta de recomendação offline e digital, como depoimento no LinkedIn.

São atividades relativamente simples que possuem um grande valor e causam um enorme impacto aos que saem. É uma forma de retribuir o comprometimento e lealdade do funcionário durante o tempo em que permaneceu na empresa.

5 – Peça indicação

Se você tratou o funcionário que está saindo com respeito e demonstrou que se importa com o futuro dele, chegou a hora da indicação. Pergunte se ele conhece alguém que seria adequado para a vaga que está deixando. 

Os funcionários que estão saindo estão mais dispostos a indicar candidatos qualificados para a sua organização desde que a experiência pessoal deles tenha sido positiva. Peça-lhes que divulguem os valores e a reputação da sua empresa e ajudem a atrair pessoas que você pode confiar.

6 – Faça um plano

Um formato básico de seu plano de offboarding de funcionários deve ser um documento dinâmico e personalizável. Assim, poderá ser facilmente alterado sempre que necessário. 

O plano deve incluir uma matriz que contenha as respostas para perguntas como:

  1. Como melhorar a retenção com base nos resultados do processo de offboarding?
  2. O funcionário que está saindo receberá pagamento de indenização e benefícios estendidos?
  3. Quais são os motivos pela demissão?
  4. O trabalho será transferido para quem até uma nova contratação?
  5. Quem estará envolvido no processo da nova contratação?
  6. Quando e como será divulgado o cargo disponível?
  7. Onde será procurado o novo talento?

Essas perguntas são um norte para guiá-lo a criar um plano exclusivo para sua empresa. Fique à vontade para adicionar ou excluir itens conforme necessário. 

Lembre-se que ter um plano de offboarding é uma prática básica e essencial para todos os negócios.


Entender por que um funcionário está saindo é uma grande preocupação para todas as áreas. É válido lembrar que é crucial que o respeito, independentemente dos motivos da saída, esteja presente todo o tempo.

O offboarding de funcionários é uma oportunidade valiosa para melhorar os esforços de recrutamento e minimizar a rotatividade. Além disso, otimiza os esforços de treinamento e aumentar o engajamento dos funcionários.

Ao otimizar os esforços e processos de offboarding, você pode aprender como aumentar a eficiência em todas as outras fases do ciclo de vida do funcionário. Por isso, reserve um tempo para avaliar o processo de offboarding que você tem hoje, e veja os pontos a melhorar e padronizar o processo. 

Alguns benefícios podem não ser percebidos imediatamente, mas sua empresa certamente será recompensada a longo prazo com o offboarding de funcionários.

Programas de bem-estar para funcionários: entenda os benefícios
,

Programas de bem-estar para funcionários: entenda os benefícios

Empresas saudáveis ​​precisam de funcionários saudáveis. Quando as empresas priorizam o bem estar dos colaboradores, seus benefícios se refletem no bem estar da empresa. Entenda como os programas de bem-estar de funcionários impactam os resultados da empresa!

As empresas mais do que nunca estão implementando programas de bem estar para os funcionários. Tais programas são um esforço para reduzir os custos de seguros, convênios, absenteísmo e burnout.

Quando falamos sobre bem estar, as pessoas geralmente pensam primeiramente no emocional. No entanto, o bem estar é físico, mental, emocional, espiritual e social. Aplicado ao mercado de trabalho, é certo dizer que, se preocupar com o bem estar é uma maneira holística de analisar a saúde física e mental de um funcionário.

Há uma tendência no meio corporativo de elaborar um “menu de iniciativas” com relevância mínima para os reais problemas de bem estar dos funcionários. Por isso, não é de se surpreender que muitas dessas iniciativas tornam-se modas passageiras que eventualmente morrem.

Funcionários diferentes possuem necessidades diferentes

Funcionários com cargos diferentes costumam ter necessidades diferentes. Por exemplo, um profissional de obras tem demandas físicas consideráveis ​​devido à natureza de suas tarefas. De modo que, se beneficia de uma iniciativa de bem estar que inclui intervalos mais frequentes ou massagens gratuitas. 

Já um profissional que trabalha no escritório é mais sedentário e poderia desfrutar de uma mesa de pé ou de uma academia. Enquanto isso, um paramédico poderia achar útil sessões de aconselhamento regulares.

Os programas de bem estar para funcionários e as vantagens que os acompanham parecem uma nova tendência. Mas, na verdade, é um conceito que existe algum tempo. 

Tais programas começaram a surgir na década de 70. Nessa época, as empresas introduziram exercícios como forma de melhorar a saúde física de seus funcionários. Com o tempo, os empregadores perceberam que o bem estar dos funcionários vai além do físico. E assim, começaram a incluir também programas voltados às necessidades mentais e emocionais.

Isso nos leva até hoje, onde é comum que as empresas ofereçam uma ampla gama de opções de bem estar. Estas vão desde o fretado até lanches saudáveis disponíveis full-time ​​e horários de trabalho mais flexíveis.

Melhora no bem estar dos funcionários impacta a empresa como um todo

Para começar, os programas de bem estar para funcionários evitam doenças em todos os sentidos. Isso gera que gera menos absenteísmo e um time mais feliz. Apoiar o bem estar de seus funcionários está vinculado a cultivar um relacionamento mais forte. Além disso, demonstra uma preocupação genuína com a saúde em todos os aspectos.

Quando os funcionários sentem que suas necessidades de bem estar são uma prioridade, o nível de satisfação no trabalho melhora. Esse é um fator extremamente importante na redução da rotatividade. Acima de tudo, esses programas comprovaram melhorar o moral geral, resultando em aumento de produtividade.

Integrando valores tradicionais com um mindset moderno

A visão tradicional dos programas de bem estar dos funcionários está centrada no retorno do investimento (ROI). Nessa visão, a empresa acabaria pagando menos, o resultado final seria melhorado e a população seria mais saudável. 

Entretanto, hoje, entendemos que há muitos outros fatores que afetam o bem estar para além das necessidades físicas. A saúde mental e as necessidades sociais são tão importantes quanto a saúde física, já que ambos se impactam. Assim, o foco passou do retorno sobre o investimento para o valor do investimento.

Os funcionários querem e precisam sentir que o seu empregador se preocupa com eles e, quando se sentem assim, há uma enorme melhoria na retenção.

Visualizando o bem estar como uma hierarquia de necessidades

Os funcionários são motivados por diferentes fatores, dependendo de onde eles se encontrem na hierarquia de necessidades de Maslow

A conhecida hierarquia de Maslow propõe que as chamadas “necessidades de deficiência”, que incluem necessidades fisiológicas, necessidades de segurança, um sentimento de amor, pertencimento e estima, têm precedência sobre todas as outras necessidades.

Necessidades de deficiência não satisfeitas levam à insatisfação e desconforto pessoal. Somente quando os níveis de necessidades de deficiência forem preenchidos, o indivíduo se sentirá motivado a buscar as necessidades de nível mais elevado de estima.

Como as necessidades de nível mais baixo precisam ser satisfeitas antes que as necessidades de nível superior se tornem predominantes, os programas de bem estar devem ser orientados para atender primeiro às necessidades de nível mais baixo. Assim, os funcionários se sentirão mais motivados a buscar níveis mais elevados de bem estar pessoal.

Um programa que fornece refeições nutritivas para os funcionários apela para as necessidades de nível inferior (fisiológicas), enquanto uma aula de desenvolvimento pessoal aborda a estima ou a autorrealização.

No topo da hierarquia da pirâmide estão as necessidades de autorrealização – a joia da coroa da motivação humana. Ser motivado pela autorrealização significa buscar atingir nosso mais alto potencial. É o pico da pirâmide, o ponto para o qual o RH deve atuar para que os funcionários subam.

Colocando teorias de bem estar em prática

Uma empresa pode ajudar os funcionários a atender às necessidades de segurança de várias maneiras.

A segurança psicológica é um elemento essencial que promove ótimo funcionamento pessoal e interpessoal entre os funcionários. 

Por exemplo, se uma pessoa não se sente psicologicamente segura em um relacionamento, ela pode se sentir na defensiva. Assim, pode acabar restringindo ou censurando sua expressão. Por outro lado, quando uma pessoa se sente psicologicamente segura, é capaz de assumir riscos, expressar ideias fora do comum e exercitar sua criatividade.

Facilitar um ambiente que incentive a comunicação e o feedback abertos – e não hostis – tem um enorme impacto no senso de segurança psicológica de um funcionário. 

As empresas que priorizam a segurança psicológica, têm funcionários que se sentem à vontade em seu local de trabalho, e com a certeza do valor de seu papel na organização. O que aumenta a probabilidade de permanecerem por mais tempo como parte do time.

Programas de reconhecimento incentivam os funcionários a darem e receberem respeito e apreciação mútuos. Por sua vez, os relacionamentos entre funcionários e a moral geral são aprimorados, o que comprovadamente beneficia as empresas de várias maneiras a longo prazo.

Lembre-se que o propósito do reconhecimento é impulsionar maiores níveis de “esforço discricionário”. Tal esforço ocorre quando nós, como pessoas, nos sentimos inspirados a fazer mais.

Josh Bersin, da Forbes, define “esforço discricionário” como a motivação extra que sentimos quando somos inspirados a percorrer a segunda milha em nosso trabalho.

Olhando para a hierarquia de necessidades de Maslow, podemos ver que o aumento do esforço discricionário está alinhado com os conceitos de pertencimento e estima. Um programa de reconhecimento de pares pode ajudar com cada uma dessas necessidades sociais e psicológicas. Assim, é possível melhorar o bem estar tanto no trabalho quanto em casa.

O impacto do bem estar na cultura da empresa e além dela

Um estudo de 2013 da Population Health Management, descobriu que empresas com programas bem sucedidos de bem estar não apenas incentivavam a participação dos funcionários, mas também enfatizavam o conceito de bem estar como parte integrante da cultura de sua empresa. 

Essa descoberta implica que, embora os benefícios financeiros de funcionários saudáveis ​​sejam, sem dúvida, uma vantagem, é importante que as empresas tratem as necessidades de bem estar de seus funcionários como uma das principais prioridades.

Além das recompensas financeiras de colocar o bem estar dos funcionários no topo da lista de prioridades de uma empresa, essas iniciativas contribuem para a qualidade de vida dos indivíduos e para o bem estar da sociedade como um todo. 

O bem estar no local de trabalho tem um efeito cascata na vida pessoal dos funcionários. Os funcionários mais saudáveis ​​também são cidadãos mais saudáveis, que podem participar mais ativamente e contribuir com suas comunidades.


Os programas de bem-estar de funcionários são uma excelente forma de investir na qualidade de vida dos colaboradores. Funcionários satisfeitos tem maior tendência a serem produtivos. A empresa é feita por pessoas – portanto, o investimento nos colaboradores é investir na empresa.

Antes de implantar qualquer programa de bem estar, analise as necessidades dos funcionários e dos cargos que cada um atua. Avalie os prós e contras de cada programa e adapte-os às necessidades de todos.

E nunca se esqueça: o primeiro bem estar que é possível promover de antemão é o respeito, sob qualquer circunstância.

Como apoiar o desenvolvimento profissional dos funcionários?

Como apoiar o desenvolvimento profissional dos funcionários?

Hoje em dia, remuneração não é mais a principal estrela na hora de negociar ou reter um funcionário. Os profissionais buscam outros benefícios. Principalmente, uma parceria verdadeira que enriquece e eleva ambas as partes. Os funcionários, então, buscam uma empresa que incentive seu desenvolvimento profissional.

É mais fácil do que você imagina desenvolver uma cultura organizacional que, não só sustente essa parceria, como também inspire os funcionários em todos os níveis a fazer o mesmo.

Vamos dar uma olhada em algumas etapas fáceis que você pode seguir em direção a essa meta.

4 formas de incentivar o desenvolvimento profissional dos funcionários

1 – O objetivo deve ser o desenvolvimento

Os funcionários querem saber que o trabalho que estão fazendo é significativo e que os está levando para um lugar mais distante de onde começaram.

No entanto, essa jornada de desenvolvimento profissional nem sempre se limita ao desenvolvimento de habilidades específicas ou à obtenção de certificações. Em vez disso, desenvolver um senso de propósito é um dos objetivos mais importantes para o desenvolvimento dos funcionários. 

2 – Cultivando o growth mindset

Apoiar uma mentalidade de crescimento, conhecido também como growth mindset, pode ser a base do sucesso do seu plano de desenvolvimento de funcionários.

Aqueles com uma mentalidade “fixa” estão mais inclinados a acreditar que talento, habilidades ou inteligência são qualidades inatas. De modo que não podem ser conquistadas. Já os que tem o growth mindset acreditam que com muito trabalho e boas estratégias, podem ser desenvolvidos.

Se você acredita que ou já possui talento em uma determinada área ou nunca o terá, é improvável que você responda bem ao treinamento e desenvolvimento.

3 – Ofereça oportunidades de aprendizagem

Facilite o acesso às ferramentas de que sua equipe precisa para expandir seus conhecimentos. Há uma série de excelentes recursos de aprendizado disponíveis que tornam isso mais fácil.

O aprendizado é um dos dons mais valiosos que você pode dar à sua equipe. E você não precisa financiar uma educação acadêmica para oferecê-lo, embora seja importante. Mas o desenvolvimento no trabalho é responsável por uma boa parte do aprendizado efetivo.

Muitas dessas oportunidades de aprendizagem também vêm na forma de erros. No entanto, a maioria de nós odeia admitir quando cometemos erros no trabalho. E esse comportamento pode impedir quaisquer lições benéficas que possam vir desses erros.

4 – Facilitando o caminho de carreira e o avanço

Se as pessoas de melhor desempenho descobrirem que estão atingindo o máximo na sua organização desde o início, elas não ficarão por muito tempo.

Isso não significa que todos devem ser colocados no caminho mais rápido para uma posição de liderança sênior, independentemente de seu interesse (ou competência) em liderar outras pessoas.

As metas de desenvolvimento dos funcionários devem ser adaptadas às metas da organização e do indivíduo. Uma abordagem linear de tamanho único não produzirá os melhores resultados.

Muitas pessoas prosperam como colaboradores individuais. Os objetivos de desenvolvimento profissional para eles, poderiam se concentrar em expandir suas competências. E assim, ajudá-los a se tornarem os colaboradores individuais mais eficazes que podem ser.

Nem todo engenheiro brilhante será um gerente brilhante, e tudo bem. Então, como você está trabalhando para desenvolver competências e dar crescimento aos funcionários? Há um número surpreendente de oportunidades que se apresentam naturalmente.


Cultivar uma cultura empresarial que valorize o desenvolvimento profissional dos funcionários oferece inúmeros benefícios. 

Existem inúmeras estratégias que você pode usar para ajudar sua equipe a atingir suas metas de desenvolvimento profissional. Em muitos casos, essas estratégias têm pouco ou nenhum custo para implantar.

Os 12 melhores livros sobre gestão de pessoas

Os 12 melhores livros sobre gestão de pessoas

Selecionamos os melhores livros sobre gestão de pessoas para profissionais de RH ou líderes de qualquer departamento!

Confira 12 livros – um para cada mês do ano – para aprender a ter uma gestão eficiente e um time engajado!

Os melhores livros sobre gestão de pessoas

1 – Gestão de Pessoas (Idalberto Chiavenato)

Resultado de imagem para Gestão de Pessoas (Idalberto Chiavenato)

Leitura obrigatória para qualquer profissional de RH ou com cargo de liderança!

O livro fala sobre os novos desafios da gestão de pessoas. Dessa forma, direciona a atenção do leitor para seis ações que se conectam em rede: agregar, recompensar, desenvolver, monitorar, manter e, por fim, aplicar pessoas.

Essas ações em conjunto constituem a base do livro. Além disso, constituem também a base da gestão de qualquer equipe dentro de uma organização.

2 – Como fazer amigos e influenciar pessoas (Dale Carnegie)

Resultado de imagem para Como fazer amigos e influenciar pessoas (Dale Carnegie

Esse livro possui mais de 30 milhões de cópias vendidas e já está na sua 51º edição. A clássica obra de Carnegie oferece conselhos sólidos e de eficiência comprovada. Assim, ao longo de décadas, permitiu que centenas de pessoas subissem as escadas em direção ao sucesso em sua vida profissional quanto pessoal.

Dessa forma, considerado um dos livros mais inovadores de todos os tempos, o livro traz diversas lições práticas para te ajudar a se relacionar cada vez melhor com pessoas.

3 – Grandes decisões sobre pessoas (Claudio Fernándes-Aráoz)

Resultado de imagem para Grandes decisões sobre pessoas (Claudio Fernández-Aráoz)

A capacidade de encontrar, contratar, integrar e reter pessoas talentosas e competentes é, em todos os níveis de liderança, uma habilidade fundamental. Porém, a maioria das pessoas sentem uma grande dificuldade em tomar grandes decisões, geralmente devido a falta de treinamento.

E aí que entra a obra – preenchendo essa lacuna. Dessa forma, oferece uma verdadeira aula de conceitos como ferramentas práticas para decisões bem sucedidas de contratação. Assim, o autor apresenta diretrizes simples, insights e orientações práticas que abrangem toda a gama de problemas inerentes à contratação, promoção e delegação de importantes responsabilidades aos grandes empreendedores.

A obra de Fernándes-Aráoz, então, é uma abrangente fonte de referência concebida para os gestores que desejam aprimorar sua competência pessoal em contratação e promoção de pessoas e a todos que possuem interesse pela área.

4 – Equipes 100% energizadas (Heike Bruch e Bernd Vogel)

Resultado de imagem para Equipes 100% energizadas (Heike Bruch e Bernd Vogel)

A energia de uma organização é mutável. Entretanto, quem a administra pode ser tanto uma fonte de vitalidade como de destruição do núcleo de energia de uma empresa.

Assim, todos os líderes podem aprender a impulsionar a energia positiva de suas equipes através de ferramentas e estratégias que podem ajudá-lo a desenvolver essa habilidade.

Equipes 100% energizadas mostra como usar a matriz energética organizacional para diagnosticar o estado de energia de sua própria empresa. Ao avaliar a energia presente na organização ou departamento, é possível aprender a melhorar o ambiente. O mapeamento é realizado pela Pesquisa de Clima organizacional. Você pode baixar gratuitamente o questionário da pesquisa aqui.

5 – O poder de delegar: Aumente sua eficiência e melhore sua vida pessoal e profissional (Donna M. Genett)

Resultado de imagem para O poder de delegar: Aumente sua eficiência e melhore sua vida pessoal e profissional  (Donna M. Genett)

Uma das tarefas de um líder é delegar. Entretanto, muitos ainda tem medos ou querem ter o total controle das tarefas. Assim, preferem ficar sobrecarregados do que abrir mão de trabalhos que podem ser executados pelo time.

A obra, então, mostra a importância de delegar com objetividade e detalhamento para que as tarefas sejam executadas com maestria. Os benefícios de delegar da maneira certa são: tempo, a tranquilidade e o distanciamento essenciais a uma gestão competente.

6 – O monge e o executivo – James C. Hunter

Resultado de imagem para O monge e o executivo - James C. Hunter

Clássico contemporâneo, a obra conta a história de um empresário que abandona sua carreira para se tornar monge em um mosteiro. A história, então, embala os princípios fundamentais dos verdadeiros líderes. Através de conceitos sobre liderança e o convívio com os outros, ajuda-nos a nos tornarmos pessoas melhores. Dessa maneira, permite abrir caminho para o sucesso duradouro.

Assim, se você tem dificuldade em fazer com que sua equipe dê o melhor de si no trabalho e gostaria de se relacionar melhor com sua família e seus amigos, vai encontrar neste livro personagens, idéias e discussões que vão abrir um novo horizonte em sua forma de lidar com os outros.

7 – Gerenciando pessoas: Os melhores artigos da Harvard Business Review sobre como liderar equipes (Harvard Business Review)

Resultado de imagem para Gerenciando pessoas: Os melhores artigos da Harvard Business Review

São 10 artigos selecionados pela Harvard Business Review entre centenas de textos publicados para maximizar o desempenho e a satisfação de sua equipe.

Escritos com clareza e objetividade por professores e pensadores que são referências mundiais pela qualidade de seus trabalhos e ideias. Algumas lições que são aprendidas neste livro: adequar seu estilo de gestão à necessidade de seu pessoal, ajudar os gestores e líderes de equipe de primeira viagem. Além disso, desenvolver confiança pedindo a opinião e a colaboração dos outros, gerenciar o seu chefe e muito mais!

7 – Descubra seus pontos fortes (Donald O. Clifton e Marcus Buckingham)

Resultado de imagem para Descubra seus pontos fortes (Donald O. Clifton e Marcus Buckingham

O livro é baseado em pesquisas realizadas pelo Instituto Gallup com mais de 2 milhões de pessoas, e muda a maneira de pensar sobre o aprimoramento de nosso desempenho profissional. Os escritores, então, descobriram que a maioria das empresas dão pouca ou nenhuma atenção aos pontos fortes de seus colaboradores. Dessa forma, preferem investir tempo e dinheiro para corrigir suas fraquezas, achando que estão ajudando as pessoas a atingirem suas melhores versões. “Descubra seus pontos fortes” ensina a como mudar esse mindset.

Aprenda a dominar a arte de gerir pessoas através deste livro prático. Nele são definidas as variáveis que determinam o comportamento, a relação do gestor ele próprio, com o seu trabalho e sua motivação. Tal arte deve potencializar a riqueza e desenvolvimento das pessoas.

A leitura é rápida mas as lições são uma carreira inteira.


Esperamos que, com esses livros, você possa se desenvolver na arte da gestão de pessoas!

Como o RH deve aplicar a inteligência emocional no dia a dia?
,

Como o RH deve aplicar a inteligência emocional no dia a dia?

Quando o assunto é inteligência emocional, ainda há um pouco de controvérsia. Talvez essa má impressão tenha sido gerada pelos livros de auto-ajuda – que são sempre julgados como leituras banais. No entanto, a inteligência emocional importa, ainda mais para o profissional do RH.

A inteligência emocional é extremamente importante quando se trata de desempenho e liderança, sendo tema de destaque para o RH. O conhecimento técnico é requisito básico de qualquer trabalho, mas entender e administrar emoções é a chave para se desenvolver e crescer.

Seja um estagiário, profissional de RH ou CEO, todos em um ambiente profissional podem melhorar sua inteligência emocional. Dessa forma, podem gerenciar, influenciar e se relacionar melhor com os outros.

Conheça as oportunidades que estão diariamente no seu escritório e que podem ser aproveitadas para aplicar a inteligência emocional:

Veja as emoções como dados

Os sentimentos são baseados em pensamentos automáticos que podem ser irrealistas. Dessa forma, só porque você pensa ou sente algo, não significa que seja verdadeiro. Por isso, observe as emoções como dados de forma a avaliá-los logicamente junto a outras informações.

Colete feedbacks

Analise os feedbacks anteriores, como avaliações de desempenho e e-mails críticos ou de sugestões. Pergunte às pessoas ao seu redor como elas perceberam seu comportamento em situações atípicas e difíceis. Pergunte a eles como você os tratou quando eles estavam com a emoção à flor da pele.

Se possível, solicite um feedback de 360º e analise as lacunas entre a classificação pessoal e as classificações de outras pessoas. Considere os pontos fortes, fracos e cegos.

Esteja atento

Praticar meditação, respirar fundo ou simplesmente focar em uma refeição sem distração pode fortalecer a capacidade de direcionar sua própria atenção e observar suas próprias emoções de forma mais leve.

Além disso, práticas de mindfulness podem auxiliar a lidar melhor com as emoções e com a rotina agitada e cheia de imprevistos dos tempos modernos.

Preste atenção no seu corpo

Em momentos difíceis, dedique alguns minutos para sentir seus sinais físicos – o seu corpo fala. Ombros tensos e um estômago sensível podem revelar que você está mais ansioso do que imaginou. 

Escolha cuidadosamente as palavras

Pratique descrevendo as emoções com mais precisão, ou seja, “sinto-me ressentido” em vez de “me sinto mal”. No começo, pode ser útil referenciar uma lista de palavras de sentimento até que a linguagem seja mais natural. Isso pode fornecer pistas para possíveis causas e soluções.

Identifique as sutis diferenças

As pessoas reagem e interpretam a estímulos de formas diferentes. Assim, suas personalidades e passados moldam suas histórias – e isso também se aplica a você. Falar algo da mesma forma com diferentes pessoas pode não ser a melhor maneira de estabelecer contatos.

Aprenda mais sobre cada colega e adapte a sua fala à linguagem que seja compreensível a cada um. É uma lição que leva tempo, mas que vale à pena. Dessa maneira, é possível evitar conflitos e interpretações errôneas.

Mostre respeito

Encontre algo que você gosta em outra pessoa e diga a ela. Use a linguagem corporal para fortalecer cada palavra. A escuta ativa e as interações positivas estimulam a bondade, a confiança e a aproximação.

Além disso, é importante exercitar a compaixão e a empatia quanto às diferentes visões de vida. Assim, pode-se estabelecer uma relação de respeito entre os indivíduos.

Estabeleça hábitos

Concentre-se em uma mudança significativa e alcançável por vez. Assim, você pode começar conversando com um colega de confiança sobre uma sensação de baixa intensidade, como irritação leve. Ou verbalize as suas emoções para uma câmera. Assim, você pode ver se está se comunicando da maneira que gostaria.

Faça perguntas genuínas

“Como você está?” Esse tipo de pergunta não permite uma resposta honesta da maioria das pessoas. Por isso, pergunte sinceramente sobre o momento de vida do seu interlocutor. Questione se eles possuem preocupações. Dessa maneira, você demonstrará gentileza.

Entenda o porquê

Debata em grupo como as pessoas se sentem no ambiente de trabalho. A partir desse diálogo, descubra o porquê eles se sentem de determinada maneira. Essa prática favorecerá a comunicação entre todos, ajudando a equipe a trabalhar melhor entre si.

Demonstre compaixão

Mostre à sua equipe a importância de cada um dentro do time. Reconheça suas contribuições para o time, de forma a incentivar a valorização das pessoas. 

Cultive o desejo por mudança

A inteligência emocional é complexa demais para ser motivar através de incentivos externos. A teoria da mudança intencional de Richard Boyatzis auxilia numa abordagem mais eficiente, através dos seguintes questionamentos:

O que é importante em sua vida?

O que é importante para eles no trabalho?

Qual é o sonho deles para o futuro?

Como você observa sua inteligência emocional?

Como eles podem desenvolver habilidades para realizar sua visão?

Como as pessoas pode apoiá-lo nesse processo?

Ofereça oportunidades de crescimento

Muitos funcionários se beneficiam de projetos especiais ou outras oportunidades. Assim, eles não apenas praticam suas habilidades com pessoas diferentes e de maneiras diferentes, como também aprendem novas perspectivas.

Dê um bom feedback

Ajude os funcionários a entender melhor sua inteligência emocional, sua importância na empresa e seus níveis de competência. Concentre-se em dados objetivos e expectativas claras. Para isso, dê reconhecimento positivo semanalmente para que eles estejam confiantes e confortáveis para receber um feedback mais crítico de uma maneira construtiva.

As necessidades básicas vem primeiro

Os colaboradores precisam saber que possuem recursos adequados e estabilidade antes de dedicar energia para a empresa.

Eles querem autonomia e trabalhar com propósito, mas não às custas de seu padrão mínimo de remuneração e benefícios.

Líderes devem ter a mesma visão

Os líderes devem incorporar os valores centrais da organização. Por isso, devem desenvolver sua inteligência emocional para que a empresa como um todo possa se inspirar e melhorar nos mais variados aspectos. Assim, se os colaboradores vêem desalinhamento na liderança com os valores da empresa, dificilmente o trabalho fluirá da melhor maneira.

Incentive com o coração

O reconhecimento de equipes e a oferta de incentivos em grupo ajudam as pessoas a se sentirem valorizadas e conectadas à empresa de uma maneira que melhora o bem estar, a produtividade e a lealdade.

Invista no bem estar

Programas e benefícios de saúde física e mental complementam a importância da inteligência emocional. Subsídios de condicionamento físico, aconselhamento psicológico gratuito e eventos sociais podem ajudar a controlar o sofrimento emocional no trabalho e em casa.

O processo começa com a autoconsciência e o autoconhecimento. Assim, como profissional de RH, é essencial aplicar essas dicas para incrementar a inteligência emocional, de forma a melhorar pessoal e profissionalmente.

, , ,

Trabalho voluntário como incentivo para o engajamento de funcionários

O trabalho voluntário é ferramenta excepcional para o engajamento dos funcionários. Saiba como ele pode auxiliar a aumentar os índices de produtividade da organização – e conheça 8 exemplos de voluntariados que podem ajudar o mundo a ser um lugar melhor!

Conforme seus funcionários forem crescendo com sua empresa e se tornam administradores dos valores fundamentais da organização, como você os manterá?

Para começar, vamos reformular a pergunta: como você vai engajar as paixões de seus funcionários? Como irá apoiá-los em seu desenvolvimento profissional e aprofundar sua conexão com a missão da empresa?

O que costumava gerar retenção de funcionários era o salário, benefícios e segurança no emprego. Embora essas coisas ainda sejam extremamente importantes, os funcionários de hoje estão procurando caminhos adicionais de motivação e engajamento. Logo, eles querem experiências, crescimento e realização. 

Uma opção para melhorar o engajamento dos funcionários é promover o trabalho voluntário. 

Nova era, novos desafios

Os profissionais dessa era digital querem se sentir mais motivados e engajados no trabalho. Entretanto, eles não dão às empresas muito tempo para fazê-los felizes. Se logo nos primeiros seis meses eles não se engajarem, eles partem para um novo desafio. 

É importante notar que esses profissionais não estão procurando por melhores salários. Quando a remuneração está na negociação, os profissionais estão examinando de perto as características intransferíveis das organizações. Deste modo, são analisados os valores da empresa, a moral da equipe e equilíbrio trabalho / vida – que o afetarão diretamente.

Portanto, o maior motivador para se pedir demissão nem sempre é a remuneração, mas sim a promessa de propósito e realização. Algo que o trabalho voluntário consegue oferecer com êxito.

Trabalho voluntário e sua importância no ambiente corporativo

O trabalho voluntário e a realização de projetos sociais são oportunidades excelentes para criar engajamento entre os funcionários e beneficiar o próximo. No entanto, é a modalidade de engajamento mais ignorada.

Em meio aos desafios de uma empresa em ter uma marca poderosa e fácil de ser lembrada, aumenta-se o investimento em marketing e publicidade, deixando completamente de lado o trabalho voluntário.

Contudo, um trabalho voluntário bem feito gera uma grande exposição na mídia, fortalece os valores da empresa e cria-se um vínculo muito maior junto aos seus funcionários e público de relacionamento.

Envolver funcionários no trabalho voluntário os faz despertar de suas rotinas. Desse modo, aperfeiçoam suas habilidades, o que promove a satisfação individual.

Dropbox ajuda os seus funcionários a ajudarem o próximo

Os esforços voluntários não precisam estar relacionados ao produto de sua empresa para torná-los significativos. O Dropbox for Good, o programa de responsabilidade social corporativa do Dropbox, é um exemplo brilhante de como o voluntariado mostra o que a empresa valoriza.

“Como parte do modelo de filantropia de cidadania da empresa, os funcionários recebem quatro dias de voluntariado pagos por ano para buscar as causas pelas quais são apaixonados”, segundo a empresa CauseCast (uma corp dedicada a inspirar o engajamento dos funcionários através de doações corporativas e voluntariado). Em essência, o Dropbox está ajudando seus funcionários a ajudar os outros.

Chefe de muitas estatísticas impressionantes do Dropbox for Good: os funcionários da empresa registraram mais de 4.000 horas de voluntariado em três anos.

Esses números, portanto, são uma prova de que o valor central do Dropbox “merece confiança” não é um simples serviço: eles dão valor. Portanto, dedicam tempo e dinheiro significativos a um trabalho voluntário que preenche uma necessidade e conquista a confiança dos funcionários e do público em geral.

O trabalho voluntário torna as equipes mais fortes 

O voluntariado fortalece os relacionamentos entre colegas e aumenta a produtividade e a lucratividade da empresa. Para entender essa dinâmica, vamos começar falando sobre o comportamento pró-social

O comportamento pró-social é qualquer ação voluntária ou padrão de atividade que beneficia outras pessoas ou a sociedade como um todo.

Quando você se oferece para compartilhar seu almoço com um colega de trabalho que esqueceu o dele, você está mostrando um comportamento pró-social. Quando você segura a porta para estranhos na estação de trem, você está exibindo um comportamento pró-social. Quando sua equipe é voluntária, eles estão exibindo um comportamento pró-social.

A melhor parte: os neurocientistas acreditam que experimentamos os efeitos químicos positivos dos comportamentos pró-sociais em um nível astronômico! 

“As ações que causam um impacto positivo nos outros podem aumentar nossos níveis de oxitocina em até 50%”, segundo Bryan de Lottinville do Chief Executive.

Não se preocupe se você não se lembra muito das aulas de biologia do ensino médio (nem nós!), mas Lottinville descreve a influência da oxitocina da seguinte forma:

A oxitocina ajuda a criar a confiança necessária para que trabalhemos cooperativamente em importantes grupos sociais, como empresas e equipes. Assim, os colegas que se voluntariam juntos para criar o bem em sua comunidade formam um vínculo que fortalece a equipe como um todo, que é como o trabalho de alto valor é conduzido nas empresas hoje em dia.

Esqueça mesas de pingue-pongue caras e máquinas de café expresso de qualidade barista. Em suma, o voluntariado em equipe é um investimento na cultura de sua empresa e que não se baseia em recursos tradicionais. É um comportamento pró-social com efeitos positivos que podem literalmente fortalecer as equipes.

8 ideias de trabalho voluntário

Lembre-se de que você não precisa começar com um programa completo como o do Dropbox. No entanto, comece descobrindo quais as causas que são importantes para você e sua equipe. Em seguida, agende um horário para discutir as atividades que vocês podem fazer em conjunto.

Independentemente de você estar se voluntariando com sua equipe pela primeira vez ou de ter um programa completo implementado, tenha várias opções de projetos sociais para se trabalhar. 

Para isso, confira abaixo algumas ideias fáceis e que você pode colocar em prática agora mesmo:

1. Pasar uma manhã de sexta-feira limpando um parque local.

2. Criar um espaço no escritório para doações de roupas ou produtos não perecíveis.

3. Patrocinar um time esportivo ou um grupo de arte de uma comunidade.

4. Oferecer um trabalho voluntário e recorrente em uma escola, albergue ou casa de repouso. 

5. Ser voluntário e/ou doar para organizações sem fins lucrativos em feriados significativos como Natal.

6. Criar workshops da área de conhecimento da empresa para a população carente.

7. Doar livros. Assim, a sua empresa promove a leitura em lugares onde a informação não tem tanto alcance.

8. Fazer uma campanha de doação de sangue.

No geral, verifique quais são as causas mais importantes para a empresa e como podem apoiá-las.

Conclusão

O trabalho voluntário ajuda os funcionários a sentirem que estão fazendo contribuições valiosas. Ao mesmo tempo, é possível fortalecer os laços com seus colegas – o que é crucial para o engajamento dos funcionários.

Comece pequeno. E assim, vá crescendo em projetos sociais cada vez maiores. É uma troca: sua empresa cresce – e o mundo agradece.

Vasinho com planta tipo suculenta com fundo de horizonte de prédios
,

6 boas práticas de sustentabilidade que melhoram a sua empresa

Tornar sua empresa mais sustentável não é bom apenas para o meio ambiente. Conheça 6 práticas de sustentabilidade para incrementar o crescimento dos seus negócios. Confira!

As pessoas estão cada vez mais conhecedoras sobre o impacto ambiental. Dessa forma, existem consumidores que estão dispostos a pagar preços mais altos por bens e serviços de empresas que adotam práticas comerciais amigas do meio ambiente.

Ao incorporar práticas de sustentabilidade ao seu negócio, você está colaborando a ter resultados melhores e ao meio ambiente. Entretanto, lembre-se de que seus esforços para “melhorar” suas práticas de negócios devem ser genuínos se você os anunciar como tal. 

Saiba como incluir a sustentabilidade no dia a dia da empresa com as dicas abaixo!

1. Incentive os funcionários a deixarem o carro em casa 

Deixar o carro em casa e caminhar ou ir de bicicleta para trabalhar é um ótimo exercício. Além disso, é bom para o meio ambiente.

Considere alguma parceria com empresas que ofereçam bikes e patinetes. Fora disso, é claro, verifique se há ciclofaixas para que o percurso seja feito com segurança. Essa ação, entretanto, vale mais a pena para os funcionários que moram próximo da empresa. Já aos que moram mais distante, incentive o uso de transporte público ou ofereça alguma vantagem com apps de mobilidade.

2. Ofereça home office

O home office ajuda não só com recursos ambientais, mas também para o bolso de uma empresa, ao reduzir drasticamente todos os gastos de infraestrutura de um negócio. Além disso, muitos funcionários preferem essa modalidade por se sentirem mais produtivos e focados. 

Entretanto, essa modalidade não é para todos. Por isso, antes de oferecer o home office a todos os funcionários, certifique-se que todos estão de acordo. 

Se o trabalho remoto não é uma opção para a empresa em tempo integral, estude uma forma de oferecer ao menos uma vez por semana.

3. Quebre o vício à conveniência

Em 2015, um estudo descobriu que o Brasil produziu 79,9 milhões de toneladas de lixo. Assim, para ajudar o meio ambiente, devemos evitar o desperdício e superar o nosso vício por produtos descartáveis por mera comodidade. 

Um bom exemplo disso é o café, bebida que não pode faltar em nenhum escritório. Uma embalagem de 1kg de café pode fazer mais de cem xícaras por uma fração do preço de uma cápsula de café descartável e não-reciclável*. Além disso, a embalagem vazia de café pode ser reciclada.

Examine seu escritório e considere todas as formas para reduzir o desperdício, como:

  • Incentive os funcionários a trazerem seus próprios copos e garrafas de água, em vez de usar copos de plástico.
  • Se o espaço oferecer uma cozinha, deixe talheres e copos para serem usados durante o expediente.

  • Faça do seu escritório um ambiente que evita ao máximo papel – que iremos abordar mais adiante.
  • Compostar o lixo da sua cozinha e recolhê-lo por reciclagem municipal ou produtores locais.
  • Converta as toalhas de papel em secadores de mãos em cozinhas e banheiros.

* poucas marcas de cápsulas de café oferecem a opção de devolução das cápsulas vazias em troca de benefícios. Busque no site do fabricante se há alguma política sobre reciclagem.

4. Mude para o cloud 

Aplicativos baseados em nuvem, como o Google Apps, o Apple iCloud e o Microsoft Office 365, permitem que os funcionários compartilhem e acessem informações de qualquer lugar, reduzindo potencialmente os custos de viagem e a necessidade de impressão de documentos impressos.

E como as informações estão hospedadas na nuvem, não é necessário que seus negócios comprem e mantenham equipamentos de servidor caros (que também usam mais eletricidade, que possui alto impacto ambiental). 

Assim, o uso do cloud por uma empresa, além de ajudar a reduzir o papel, integra inúmeras soluções e a compartilhar qualquer documento com qualquer pessoa com acesso.

4. Tenha fornecedores eco-friendly

Uma das melhores maneiras de tornar seu negócio com mais approach de sustentabilidade é praticar compras ecológicas. Sobretudo, isso envolve o fornecimento de bens e serviços que são produzidos e fornecidos de forma sustentável. 

Optar por fornecedores locais, em vez daqueles que estão há muitos kms de distância, é uma boa maneira de começar. Além disso, fique de olho se as suas compras estão de acordo com a lista abaixo:

  • Não contêm materiais tóxicos nem substâncias que destroem o ozônio.
  • Pode ser reciclado e/ou produzido a partir de materiais reciclados.
  • São feitos de materiais renováveis ​​(como bambu etc.).
  • Não faz uso de embalagem excessiva.
  • São fabricados de forma sustentável.

5. Reduza o uso da água

Reduzir o uso de água é uma maneira óbvia de economizar dinheiro e ajudar a conservar um recurso valioso.

As formas de reduzir o uso de água nas instalações da empresa incluem: conserto de torneiras pingando, vazamentos de encanamento e instalação de vasos sanitários de baixo fluxo.

Se na empresa tem jardins, considere mudar para um projeto paisagístico tolerante à seca. Se usar um sistema de aspersão, a conversão para um sistema de gotejamento reduzirá drasticamente o uso de água. Posteriormente, certifique-se de que o sistema de aspersão tenha manutenção de tempos e tempos, e tenha sensores de chuva (para que não funcione quando estiver chovendo).

6. Reduza o consumo energia 

Evite que equipamentos fiquem ligados desnecessariamente – seja de um dia para o outro, ou pior: um fim de semana inteiro. 

Uma excelente forma de reduzir a energia é trocar as lâmpadas comuns por LED. Ademais, incentive os funcionários a monitorarem qualquer consumo desnecessário e tomarem uma ação imediata.

6. Recicle itens eletrônicos 

O lixo eletrônico não reciclado acaba em aterros sanitários, incinerado ou exportado ilegalmente para países em desenvolvimento.

Se a sua empresa está substituindo itens eletrônicos como computadores, monitores, tablets, smartphones etc. com menos de cinco anos, é possível que eles sejam reutilizados por escolas ou instituições de caridade na sua região.

Fabricantes de computadores, como a Dell e a HP, têm programas de reciclagem que permitem o crédito para troca de equipamentos usados ​​e programas de doação para instituições de caridade.

Não esqueça de deletar todas as informações confidenciais de qualquer dispositivo antes de reciclar!

Manter seus equipamentos eletrônicos excedentes fora do aterro é uma ótima maneira de ajudar o meio ambiente (e possivelmente beneficiar outras pessoas).


Incentive os seus funcionários a “comprarem a briga” para que a empresa consiga colocar em práticas formas de sustentabilidade que ajudem de forma efetiva o meio ambiente e o negócio.

Você tem mais dicas de práticas de sustentabilidade? Compartilhe nos comentários ou entre em contato conosco pelo contato@bettha.com.

Como estimular o talento através de growth mindset
, ,

Como o RH pode estimular talentos através do Growth Mindset

Saiba como o RH pode estimular os talentos da empresa através do Growth Mindset, mentalidade baseada no crescimento de forma a promover o desenvolvimento e a capacitação constantes. Confira!

Talento tem muito mais a ver com persistência e adaptabilidade do que com dom. Logo, deixar de considerar essas características em uma configuração organizacional pode ser altamente problemático.

Quando as organizações se concentram em talentos inerentes, os funcionários são pressionados a esconder suas deficiências e erros. Os gerentes, por sua vez, tornam-se negociadores mais fracos.

Quando a cultura organizacional está desequilibrada, presa em uma mentalidade fixa e padronizada, a organização tem dificuldades para se autocorrigir.

Para evitar esses transtornos, é possível que o RH e os líderes alavanquem as equipes através do growth mindset. Dessa forma, é possível desenvolver e lapidar os talentos já existentes, impulsionando o desempenho dos times.

O que é Growth Mindset?

O growth mindset, ou a Mentalidade do Crescimento, permite enxergar as deficiências como temporárias, ou seja, o indivíduo se aceita que pode desenvolver seus conhecimentos, por exemplo: “Mesmo que não saiba agora, eu vou aprender a liderar uma equipe”.

Quando as pessoas têm uma mentalidade fixa, elas se tornam mais frágeis, e acabam menos propensos a trabalharem duro quando encontram um obstáculo. Afinal, acreditam que, se eles não podem fazer algo, é porque eles não têm essa habilidade inata.

A partir do growth mindset, a falha realmente parece uma valiosa experiência de aprendizado. Vai além da aceitação que o esforço é necessário – o que não é falsa positividade.

Ações do RH para promover o Growth Mindset no trabalho

Eduque e treine

Consciência e compreensão são os primeiros passos para as pessoas se encarregarem de suas mentalidades para melhor alcançarem seus objetivos.

Seja em um workshop ou em uma reunião, o RH e os líderes podem aplicar algumas das técnicas de Carol Dweck para incentivar o growth mindset e o aprendizado contínuo:

  • Compartilhar histórias de pessoas respeitadas dentro ou fora da organização sobre como a mentalidade de crescimento as ajudou a alcançar o sucesso.
  • Perguntar-lhes sobre seus valores e paixões e discutir como uma mentalidade de crescimento poderia ajudá-los com essas realizações e contribuições no futuro.
  • Pedir-lhes que escrevam uma carta para um novo contratado, aconselhando o novo contratado em princípios de mentalidade de crescimento.

Nutra a paixão

A paixão é a parte central da coragem. Entretanto, sem alinhamento com interesses e valores, as pessoas têm dificuldade em manter o esforço a longo prazo e superar os desafios – não importa quão alto seja o salário.

É essencial ajudar os funcionários a identificar e perseguir suas paixões dentro de suas funções ou em projetos especiais. Muitas organizações apoiam os funcionários no desenvolvimento de habilidades não relacionadas às suas posições atuais, para que possam passar para funções dentro da organização que melhor se alinhem com suas paixões.

Mesmo que os funcionários não consigam identificar uma paixão ainda, isso também pode ser desenvolvido com o tempo. Uma cultura no local de trabalho que estimule o aprendizado e o crescimento, proporcionará a esses funcionários a oportunidade de descobrir de onde obtêm a motivação mais intrínseca.

Defina metas de aprendizado

Os líderes podem promover uma orientação para a meta de aprendizagem. Assim, podem discutir metas como desafios para os funcionários expandirem suas habilidades atuais e crescerem em suas carreiras.

Metas de aprendizado específicas e não-simples estimulam uma dedicação maior na elaboração de estratégias para a execução. Dessa forma, é possível um maior domínio das tarefas.

Sair da zona de conforto

A motivação vem de reconhecer que um grande esforço é necessário e acreditar que grandes conquistas são possíveis.

Incentive os funcionários a passarem intencionalmente algum tempo fora de suas zonas de conforto. Atribua-os a ideias inovadoras para que cada um desenvolva habilidades de liderança.

Você pode reservar períodos de tempo toda semana ou mês para experimentar novas e diferentes habilidades e ideias. Dessa forma, você também pode incentivar os funcionários a participarem de comitês ou projetos além do escopo normal.

Construa uma cultura de feedback

O sucesso geralmente requer reflexão e redirecionamento. Ver os obstáculos como oportunidades para aprender, nem sempre significa aprender como passar por eles.

O RH pode orientar os líderes a manter a equipe comprometida com valores e propósitos, ajudando-os a receber feedback com abertura para diferentes estratégias e técnicas. Incentive-os a entrarem em contato uns com os outros e com outras pessoas em quem confiam, para lhes dar um feedback honesto.

Pergunte ao seu time como você pode ser um  líder melhor para eles. Mostre gratidão pelo feedback e entusiasmo por melhorar. Isso ajuda a fortalecer a liderança e impulsionar o aprendizado.

Elogie

A maior mudança em direção ao growth mindset é elogiar o processo, não apenas o resultado. Crítico aqui é evitar falsos elogios por tentar muito, independentemente do progresso, sem expectativa de melhoria real.

Reconheça o esforço, a estratégia e a resiliência e mostre como eles contribuíram para o aprendizado, o progresso e o sucesso. Reconheça quão difícil foi para eles, como prova de sua força e melhoria.

Seja um eterno aprendiz

Quando as pessoas vêem a aprendizagem como um processo vitalício, elas podem ser mais pacientes.

A leitura parece natural agora, mas lembra do tempo e treino necessários que o fez ler bem? Do mesmo modo, os membros da sua equipe não conquistaram uma nova habilidade com maestria da noite para o dia. Portanto, permaneça realista e comemore o progresso.

O aprendizado contínuo também é empolgante. Promover a curiosidade impulsiona o domínio e a inovação, especialmente quando as pessoas com growth mindset estão curiosas sobre suas próprias capacidades.

Incentive o compartilhamento de erros como parte essencial do processo – isso é mais importante quanto compartilhar o sucesso.

A função do RH, portanto, é orientar a equipe a pedir ajuda. Facilite os recursos e as estratégias que eles precisam para redirecionar o esforço que não está levando ao progresso.


Um dos resultados mais valiosos do growth mindset é a coragem. E o que leva a coragem é a resiliência e a perseverança para alcançarem seus objetivos.

O RH das organizações que valorizam o poder do growth mindset podem construir uma cultura de pessoas curiosas e pacientes capazes de reflexão, redirecionamento e resiliência.

Nutrindo paixão, definindo metas de aprendizagem, atribuindo projetos e elogiando o processo, o RH pode promover as atitudes e comportamentos necessários de uma equipe de alto desempenho.

Quatro pessoas em uma sala, duas mulheres e dois homens. Uma mulher encontra-se sentada de frente a uma mesa apontando para um notebook, enquanto os outros 3 encontram-se de pé.
, ,

8 dicas de engajamento de funcionários para pôr em prática

A melhor forma de obter excelentes resultados da organização é promover a participação plena dos colaboradores. Conheça 8 dicas de engajamento de funcionários para garantir a produtividade na sua empresa!

Um ambiente de trabalho produtivo e que funcione bem não depende apenas da contratação de excelentes membros da equipe. Os líderes precisam garantir que seus funcionários estejam a bordo, se sintam parte da missão da organização, encontrem propósito em seu trabalho e enfrentem novos desafios.

Equipes engajadas são mais produtivas, relatam maior satisfação e têm clientes mais felizes. Organizações com funcionários engajados veem um crescimento de 2,6 vezes mais no lucro por ação. Isso claramente faz a diferença.

Clique aqui e descubra maneiras de manter os funcionários de home office felizes e engajados!

No entanto, envolver seus funcionários exige esforço constante. Mesmo aqueles de melhor desempenho podem perder o entusiasmo caso se sintam desvalorizados, insignificantes ou não reconhecidos.

O estilo “comando e controle” de uma liderança está se tornando algo do passado. Imediatamente, os líderes devem certificar-se de que os indivíduos estejam conectados à missão de sua organização.

Como engajar funcionários em 8 dicas

1. Reúna-se regularmente com seus funcionários para revisar suas tarefas e mostrar como eles se relacionam com os objetivos da empresa

Encontrar um propósito no trabalho é contagiante e une os colegas. Porém, esse propósito é frequentemente coberto pela pressão de alcançar resultados. Para se sentirem engajados, os funcionários precisam ver como o trabalho deles se relaciona com a visão geral. Dessa forma, é possível entender que eles não são os únicos que enfrentam desafios.

Os líderes devem planejar reuniões regulares que comuniquem os objetivos imediatos e de longo prazo da organização. Tais reuniões garantem que as tarefas sejam distribuídas de forma justa e criem uma atmosfera mais transparente e psicologicamente segura.

Conectar as tarefas da equipe aos objetivos é uma etapa importante na criação de um ambiente de trabalho envolvente. Compreender como as tarefas individuais atingem os objetivos da empresa e afetam os clientes ajuda os funcionários a criarem objetivos e identificarem-se com o trabalho que fazem.

Ao preparar sua resenha para a reunião, não se esqueça de manter sua apresentação curta, leve e bem-humorada.

2. Mostre interesse nas sugestões de melhoria dos seus funcionários e certifique-se de colocá-las em prática

Consulte os funcionários regularmente para discutir ideias sobre soluções e melhorias. Da mesma forma, dê aos seus funcionários a chance de participar da tomada de decisões – mesmo que indiretamente.

Você não precisa solicitar feedback de todos após cada reunião, mas ouvir e agir ativamente sobre o feedback dos funcionários é importante para ter uma equipe bem-sucedida.

Os líderes devem solicitar ideias durante reuniões individuais e mensagens privadas. Afinal, todos se comunicam de formas diferentes em cenários diferentes. Desse modo, é possível uma cultura saudável, onde o feedback é aceito e apreciado.

Entretanto, não se esqueça de responder as ideias. É importante acompanhar sua equipe para garantir que ela seja ouvida, mesmo que não ocorram alterações imediatas. Dessa maneira, reconhecer seu papel em reuniões públicas incentivará mais sugestões e melhorará o engajamento de funcionários.

Conheça outra forma de engajamento de funcionários através do endomarketing!

3. Envolva os melhores funcionários desafiando-os

Os líderes podem envolver os funcionários com melhores desempenhos, atribuindo-lhes tarefas mais desafiadoras do que o restante, como responsabilidades interdepartamentais ou designações gerenciais.

Dessa forma, eles terão mais chances de desenvolver suas habilidades e de aumentar sua motivação. Isso os manterá engajados e os preparará para uma carreira de sucesso na organização.

4. Diagnostique as razões de possíveis desligamentos

As motivações para o engajamento diferem entre os funcionários mais engajados e menos engajados. Isso significa que os líderes precisam abordar diferentes funcionários de forma diferente. Não há uma solução única para todos os casos.

Antes de pensar em como aumentar o engajamento de funcionários nesse quesito, os líderes devem primeiro identificar os motivos para a ocorrência de desligamentos. Podem ser problemas pessoais ou outros tipos de problemas que precisam ser tratados individualmente.

Você pode usar vários métodos para diagnosticar as razões por trás do desligamento de funcionários, e os métodos podem ser testados e comprovados para descobrir o que funciona melhor. Alguns funcionários preferem preencher pesquisas, enquanto outros podem preferir entrevista de desligamento.

5. Mostre que você se importa com sua equipe

Seus funcionários não são robôs projetados para entregar uma determinada tarefa. Eles são indivíduos com atributos, interesses e opiniões. Certifique-se de que eles se sintam reconhecidos, não apenas como funcionários, mas também como pessoas.

Abra-se e faça perguntas à sua equipe que não estejam relacionadas ao seu negócio. Dê a eles a chance de mostrar sua personalidade e incentive-os a trabalhar de maneira comprometida.

Precisa de um primeiro passo? Pergunte como eles passaram o fim de semana ou descubra quais são os planos para as próximas férias. Comunicação bidirecional é vital para uma relação de trabalho saudável.

Contudo, tenha cautela ao abordar assuntos pessoais. Perguntas demasiadamente invasivas podem soar falta de bom senso, ou pior, assédio. Portanto, faça perguntas generalistas. Caso perceba que um funcionário não gostou da abordagem, peça desculpas e evite entrar em assuntos pessoais com ele no futuro.

Se tudo deu certo, agora que você tem uma conexão pessoal, não deixe de dar um feedback honesto a seus colegas. Lembre-se que as pessoas precisam se sentir acolhidas e valorizadas, e não interrogadas.

6. Organize uma atividade simples de grupo toda semana

Organizar uma atividade de grupo regularmente é uma maneira divertida de reunir a equipe. Isso pode ser tão simples quanto uma festa de aniversário ou um brunch semanal.

Pense em organizar momentos casuais com base nos interesses da sua equipe. Isso pode ser uma partida de videogame, uma cerveja às sextas ou qualquer outra coisa que a maioria goste.

Busque a opinião da equipe antes da sua escolha final – a sua festa de fantasia bem-intencionada pode se tornar um fracasso se ninguém tiver interesse.

7. Agradeça

Aprecie seus funcionários quando o trabalho é feito. É fácil ignorar o trabalho duro, especialmente em grandes organizações, mas um simples agradecimento pode ser muito útil.

Os tipos mais eficazes de reconhecimento são específicos, oportunos, frequentes, visíveis e baseados em valores.

O reconhecimento é uma das maneiras mais fáceis de construir relacionamentos saudáveis e revitalizar o ambiente de trabalho.

Segundo a matéria ‘Driblando a crise’ da Exame, o reconhecimento aumenta a energia, comprometimento e entusiasmo dos funcionários. Portanto, não se esqueça de agradecer frequentemente.

8. Gamifique o processo de trabalho

A gamificação já é uma realidade na maioria das empresas. A técnica originada dos jogos de videogame aumenta consideravelmente o engajamento de funcionários. Não por acaso, ela já é aplicada em empresas como IBM, Banco do Brasil e Atento.

A gamificação utiliza o sentimento de competitividade humana para nos tornar mais envolvidos e engajados. Dessa forma, é possível usá-la para ajudar no cumprimento de entregas, incentivar alguma prática organizacional, dentre outros exemplos.

É importante se atentar na mecânica e quais serão as vantagens ou premiações que os funcionários terão ao entrar de cabeça em uma ação de gamificação. Se os desafios forem impossíveis de serem alcançados ou o reconhecimento for irrisório se comparado ao trabalho realizado, o engajamento de funcionários não irá aumentar – podendo gerar o efeito contrário.


O engajamento de funcionários é um ingrediente-chave para o sucesso organizacional. Entretanto, cabe aos líderes e ao RH garantir que suas equipes sintam-se parte importante da organização. Dessa forma, o comprometimento e os resultados serão abraçados por todos.

Conheça melhor seus funcionários, aprenda como engajá-los e capacite-os para levar a organização a um patamar cada vez mais elevado.

Mesa com cupcakes com velinhas de aniversário e vários doces
, ,

8 dicas para celebrar aniversários de funcionários no trabalho

A maioria das pessoas amam comemorar seus aniversários. Entretanto, se o aniversário de alguém cair em dia de semana, estará gastando uma parte preciosa do seu aniversário no trabalho. As empresas, então, devem se perguntar “como celebrar os aniversários de funcionários?”.

Ser atencioso com as comemorações de aniversários pode fazer a diferença na forma como um funcionário pensa e vê a empresa onde trabalha.

Aniversários são um dos momentos mais importantes da vida. Porém, tem uma particularidade diferente dos outros eventos da vida: pode levar à demissão.

Aniversários são recomeços de ciclos

Aniversários ou outros eventos marcantes como casamento e nascimento de um filho são datas que levam as pessoas a reexaminarem suas escolhas de vida. Sendo assim, os aniversários tornam-se um momento natural para refletir sobre nossas vidas e carreiras.

Para muitas pessoas, adicionar mais um ano à sua vida leva à reflexões e reavaliações. É um dia em que as pessoas costumam estar mais sensíveis, ponderadas e reflexivas, analisando o curso de suas vidas, conquistas e realizações em todos os aspectos.  

Muitas pessoas têm uma ideia aproximada do roteiro de suas vidas, como ter uma certa idade quando se casam, ou serem promovidas a um papel de liderança, ou comprar sua primeira casa.

É isso que faz dos aniversários um ótimo momento para refletir sobre o ano anterior de sua vida. Eles alcançaram seus objetivos? Quais foram os altas e os baixos do ano anterior? Com esses questionamentos, os aniversários são um tempo para contemplar as circunstâncias atuais.

Se há alguma insatisfação no ambiente de trabalho ou com suas carreiras, tais questões ficam ainda mais proeminentes nesse dia. O momento, então, torna-se decisivo: “continuo onde estou e no que estou fazendo ou mudo radicalmente?”

Um outro ponto é que à medida que envelhecemos, é natural sentir-nos ansiosos sobre nossas conquistas, especialmente em comparação com outras pessoas do mesmo grupo. A princípio, no aniversário essa comparação torna-se mais evidente.

Benefícios de comemorar aniversários de funcionários

O simples ato de comemorar os aniversários de funcionários é, em primeiro lugar, uma coisa boa a se fazer, contribuindo de várias maneiras para a experiência na empresa.

Reduz o turnover

De acordo com um estudo publicado na Harvard Business Review, a busca por emprego salta 12% no período anterior ao aniversário dos indivíduos.

Dar uma atenção especial ao funcionário em seu dia faz com que ele se sinta valorizado e reconhecido. Logo, sabemos que funcionários que se sentem valorizados, têm menos probabilidade de deixar o emprego.

Melhora o engajamento dos funcionários

Demonstrar apreço pelo aniversário de funcionários faz com que o indivíduo se sinta recompensado, aumentando o seu comprometimento emocional com a empresa e seus objetivos.

Esse aumento no engajamento dos funcionários resulta em maior motivação e dedicação ao trabalho, impactando positivamente os resultados finais.

Aumenta a felicidade e a produtividade

Receber um pouco de atenção extra no dia do seu aniversário por colegas de trabalho e pela empregador faz com que ele se sinta cuidado e parte da equipe. Assim, promove-se a felicidade e reduz-se o estresse e o esgotamento. Funcionários felizes são mais produtivos do que seus colegas infelizes.

8 maneiras de celebrar aniversários de funcionários

Aqui estão oito maneiras pelas quais você pode fazer com que os funcionários se sintam especiais em seus aniversários:

1. Decore o espaço de trabalho

Uma maneira simples, mas segura, de fazer um funcionário se sentir querido é decorando o espaço de trabalho.

Balões e confetes são sempre divertidos. Também é uma ótima ideia considerar os interesses do profissional. Se alguém realmente ama cachorros, organizar chapéus de aniversário com esse bichinho de estimação pode tornar o momento ainda mais memorável ao colaborador devido a atenção ao seu gosto pessoal.

2. Dê recompensas aos funcionários

Se a sua organização usa um sistema de recompensas de funcionários, você poderá compartilhar recompensas automaticamente e convidar colegas de trabalho para fazer o mesmo.

3. Organize um happy hour da equipe ou almoço de aniversário

Comer juntos é uma maneira simples de construir laços e tornar equipes mais fortes – e ser capaz de celebrar o aniversário de alguém ao mesmo tempo, é a cereja do bolo.

4. Escreva uma nota

Nada melhor do que receber uma nota pessoal no seu aniversário. Pode ser um cartão divertido, mas também pode ser um e-mail ou elogios em um programa de reconhecimento de funcionários. Lembre-se: torne-o pessoal e significativo.

5. Compartilhe produtos da empresa

Aniversários são ótimos momentos para distribuir produtos da empresa, como camisetas, bonés e canecas.

6. Dê vale-presentes

O vale-presente é sempre uma boa ideia, especialmente se forem personalizados para a lista de desejos ou interesses de um funcionário.

Uma semana antes dos aniversários dos funcionários, peça-lhes que façam algumas escolhas em uma lista de cartões-presente de lojas de varejo, restaurantes locais, livrarias ou cinemas.

7. Doe para caridade

Permita que o funcionário selecione uma organização sem fins lucrativos de sua escolha e doe uma quantia em nome dele. Para muitas pessoas isso é um presente significativo e gratificante.

8. Dê um dia de folga

Por mais que amemos nossos colegas de trabalho e tudo que envolve aniversários, permitir que alguém passe o seu dia fazendo o que eles querem é uma grande vantagem para criar uma ótima experiência a ele.

Atenção especial

Por motivos religiosos, nem todas as pessoas celebram aniversários. Além disso, algumas pessoas podem simplesmente não gostar de comemorar seu aniversário publicamente.

Durante o onboarding é possível identificar esses pontos, perguntando diretamente se eles gostam ou não de comemorar seus aniversários. Explique brevemente que a empresa tem a prática de comemorar, mas respeita os que, por algum motivo, não queiram.

Aos que preferem não comemorar seus aniversários publicamente, um e-mail discreto pode ser melhor do que um evento decorado. Se eles têm uma tradição de aniversário específica, pode ser gentil trazer essa tradição para o local de trabalho.


É sempre divertido fazer do aniversário de alguém um dia especial. Você fará com que os funcionários se sintam especialmente valorizados e também reduzam a rotatividade. Além disso, é possível aprimorar o engajamento dos funcionários e aumentar a produtividade.

Qualquer uma dessas ideias para celebrar aniversários de funcionários garante um dia feliz, divertido e memorável. Entretanto, as empresas não devem limitar a valorização dos seus funcionários apenas em aniversários. Para que a ação seja verdadeiramente bem-sucedida, as empresas devem reconhecer continuamente seus funcionários ao longo do ano.