, ,

Contratar rápido: Descubra como em 7 dicas

Contratar rápido é muitas vezes associado a uma contratação mal feita. Isso acontece porque uma vaga em aberto precisa ser preenchida rapidamente, levando empresas a contratarem no desespero.

Essa ação acarreta em altos custos no futuro – já que a contratação não foi eficiente, mas paliativa.

Por outro lado, contratar rápido de forma eficiente traz menos custos. Além disso, aumenta as chances de conquistar o candidato ideal e fornecer uma experiência positiva durante o processo.

Entre 2010 a 2015, houve um aumento de 62% no tempo médio para preencher uma vaga para grandes organizações globais, de acordo com a pesquisa da CEB.

Ter um longo processo de contratação não significa que você é minucioso, mas pode indicar ineficiência. É importante estar atento ao tempo e recursos da sua empresa – e claro, dos candidatos.

Por que contratar rápido?

Razão 1: vaga em aberto gera custos

Permanecer com uma vaga aberta por muito tempo prejudica o seu orçamento. Fora isso, gera sobrecarga e possível dano emocional para a equipe.

Isso pode acarretar em desmotivação, impactar na produtividade e ocasionar pedidos de demissão. Isso gerará ainda mais custos não previstos inicialmente.

Esses custos, obviamente, variam de empresa para empresa. No geral, a fórmula para calcular o valor de uma posição em aberto é bem simples:

salário anual / dias úteis x número de dias em que o cargo está vago = custo da vaga em aberto

Percebe a importância de contratar rápido?

Razão 2: o melhor talento não te aguardará por muito tempo

A segunda razão para contratar mais rápido é que os melhores candidatos não ficam disponíveis por muito tempo. Se você não contratar rápido, o seu melhor candidato irá para a concorrência.

Razão 3: a empresa dará uma boa impressão

Um processo de contratação mais rápido demonstra objetividade aos seus candidatos. Além disso, mostra que sabe conduzir o processo de recrutamento e seleção de forma eficiente. – o que contribui para o employer branding.

Você pode contratar rápido sem sofrer com nenhum dos males gerados pelo desespero!

Por isso, selecionamos algumas dicas para acelerar sua contratação sem prejudicar a qualidade – e eficiência – do processo seletivo.

7 dicas para contratar rápido

1. Contrate internamente

Muitas vezes, as melhores contratações são de profissionais que já trabalham na empresa. Afinal, eles já conhecem o negócio, possuem um bom fit cultural e provavelmente sabem o que é necessário para o cargo.

Segundo o coaching Marcus Marques, “… ao saberem que têm a chance de irem para um cargo mais elevado e, consequentemente, com um maior salário, os funcionários passam a se empenhar ainda mais para alcançar seus objetivos.”

Contratar internamente ou externamente tem as suas vantagens e desvantagens. Dessa forma, você deve avaliar item por item para identificar o que é melhor para a empresa.

Mas é fato: um profissional que já conhece o negócio e está familiarizado com a rotina, tem maiores chances ter fit com a vaga.

2. Use programas de indicação

Uma das melhores maneiras de contratar rápido é através de programas de indicação.

O sistema é simples: quando você coloca uma posição em aberto, avise os funcionários para indicarem alguém que eles acham que seria uma boa opção para o cargo.

Se o candidato indicado for contratado, você pode recompensar o funcionário que o indicou. Essa recompensa pode ser um incentivo financeiro, dias de folga adicionais ou outro prêmio.

O uso da gamificação é uma excelente estratégia para isso.

Saiba mais sobre a gamificação e como aplicá-la na sua empresa!

3. Crie um job description detalhado

Escrever um ótimo anúncio de vaga é quase uma arte!

O job description é o primeiro ponto de contato dos candidatos com a sua empresa – é aqui que você ganha ou perde um candidato.

Esse é o primeiro filtro para candidatos de baixa qualidade. Ele precisa ser baseado no desempenho, além de explicar exatamente as demandas da vaga.

Segundo Lahle Wolfe, “ter um bom job description protege sua empresa e seus funcionários”.

dica bettha: você pode informar o salário no próprio job description, mas se a remuneração for generosa, pode atrair profissionais apenas pelo salário – o que não é muito bom para o processo seletivo. Portanto, só informe o salário nessa etapa se ele for compatível com o que é oferecido no mercado.

4. Use a tecnologia a seu favor

Segundo a consultora Simoni Aquino, uma boa alternativa para poupar tempo e recursos (financeiros, energia vital e tempo) da empresa e do candidato é a realização de uma pré-entrevista telefônica. “Dependendo do desenrolar da ligação, pode ocorrer ou não o agendamento da entrevista presencial”.

Para essa entrevista, você pode usar o Hangouts ou Skype, que dão quase a mesma sensação que uma entrevista presencial.

5. Entreviste apenas o melhor dos melhores

Uma das etapas mais demoradas do processo contratação são as entrevistas. Em média, uma entrevista cara a cara (ou por vídeo) leva no mínimo cerca de 30 minutos.

Você pode se sentir tentado a convidar todos os candidatos que você gostou, mas isso é um grande desperdício de tempo – e de recursos.

Entre em contato apenas com um seleto grupo dos melhores candidatos e o seu tempo de contratação será menor.

6. Fale do salário logo no início

Imagine que você é um candidato esperando conseguir o emprego dos seus sonhos. Após a segunda etapa do processo seletivo, você descobre que ele paga metade do salário que você esperava. Frustrante, não?

Por isso, solicite a pretensão salarial de seu candidato antecipadamente. Assim, você acelera significativamente o processo de contratação, pois saberá quais candidatos estão dentro ou fora do seu orçamento.

7. Use o bettha

Com o bettha você pode encontrar candidatos mais qualificados e com o fit cultural desejável! Dentro da plataforma, você encontra os candidatos que dão match com a sua vaga. Além dos mapeamentos de perfil, o bettha oferece jornadas de conhecimento que capacitam os candidatos, preparando-os para o mercado de trabalho. Experimente! 😉


Uma contratação urgente não precisa ser um bicho de sete cabeças, muito menos causar danos. Planejamento é a palavra-chave para contratar rápido e de maneira eficiente!

Por isso, não deixe o nervosismo da falta de um funcionário afetar suas emoções. Respire e desenvolva um plano bem estruturado para encontrar o profissional ideal. Com essas dicas, você conseguirá ter a vaga preenchida em pouco tempo!

Você tem mais dicas para contratar rápido? Deixe nos comentários 🙂

5 Diretrizes para Implantar o Home Office na sua empresa

O home office, modalidade de trabalho à distância, já é uma realidade no Brasil. Cada vez mais, os profissionais buscam por empresas que ofereçam esse modelo para garantir maior qualidade de vida e equilíbrio entre a vida pessoal e profissional.

Como tudo na vida, o home office possui pontos positivos e negativos. Sendo assim, é necessário ponderar as vantagens e desvantagens do modelo, tanto para a empresa quanto para o colaborador.

Parece um conto de fadas…

Com a inclusão do modelo de trabalho do home office, há um aumento considerável na produtividade dos colaboradores, que conseguem despender mais foco em suas atividades.

Na visão deles, o home office é visto como uma espécie de recompensa da empresa, que confia em seu comprometimento e entrega. Dessa forma, gera-se maior engajamento e aumento da preocupação em entregar um trabalho de qualidade.

As outras vantagens é que o profissional consegue buscar maior equilíbrio entre a vida profissional e a pessoal, reduzindo níveis de estresse, economizando o tempo deslocamento até o escritório, permitindo maior conforto e melhorando a qualidade da alimentação do indivíduo.

Para a empresa, os benefícios são palpáveis: além do maior desempenho dos profissionais, há uma redução significativa nos custos de manutenção do funcionário, como transporte, vale-refeição e infraestrutura, como imóvel, telefonia, água, luz e outros.

… mas nem tudo são flores…

O outro lado da moeda é a falta de interação com os colegas de trabalho. A distância pode prejudicar trocas e aprendizados entre a equipe, além de facilitar possíveis falhas na comunicação. Assim, é importante que haja um líder que estimule a conversa à distância e que proponha encontros periódicos com a equipe para o alinhamento e interação.

Com todas suas vantagens e desvantagens, o home office tende a crescer cada vez mais no país.

Para implantar esse modelo de trabalho na sua empresa e seguir essa tendência do mercado de trabalho, é importante seguir algumas diretrizes para ampliar suas vantagens e reduzir as desvantagens.

Confira 5 diretrizes para implantar o home office na sua empresa!


Planeje uma estratégia de trabalho

Antes de implementar o home office, é importante criar uma estratégia de trabalho. Determine quais departamentos e indivíduos terão acesso à modalidade (há cargos que não são viáveis o trabalho à distância).

Elabore indicadores de monitoramento para acompanhar a produtividade individual dos colaboradores e do departamento, certificando-se de que a nova estratégia esteja clara para todos os envolvidos.

Dê um trial

Antes de estabelecer o home office em grande escala, crie um programa de teste usando um departamento ou um grupo focal de colaboradores em diferentes departamentos.

Execute o teste por tempo suficiente (um mês ou mais) para coletar dados e identificar e buscar soluções para possíveis problemas que surgirem. Analise a produtividade e índice de satisfação dos colaboradores, e, ao final do estudo, avalie os resultados de forma a ajustar a estratégia de trabalho antes da implementação definitiva.

Faça da comunicação uma prioridade

Sem uma estratégia de comunicação específica para o home office, as chances de surgimento de problemas no decorrer do trabalho aumentam exponencialmente.

Encontre maneiras de garantir a boa comunicação e colaboração entre as equipes, mesmo que todos estejam trabalhando em horários diferentes. Use ferramentas de comunicação (como por exemplo o Slack) para manter os colaboradores conectados e garantir uma comunicação contínua.

Saiba lidar com quem não se adaptar

O trabalho em equipe, a flexibilidade de horários e a possibilidade de trabalhar em casa demandam características específicas que nem todos possuem. Dessa forma, saiba que nem todos os profissionais da sua equipe se adaptarão à essa rotina.

Saiba identificar e monitorar os profissionais que não estejam prontos para esse tipo de trabalho. Nesses casos, busque maneiras alternativas de garantir a flexibilidade para esses indivíduos, sem prejudicar a produtividade e o fluxo de trabalho.

Saiba gerenciar os profissionais que fazem home office

Gerenciar uma equipe que faz home office é uma tarefa complexa. Além dos fatores de comunicação já citados, o acompanhamento dos profissionais à distância envolve maior controle sobre suas atividades.

Esteja sempre presente (virtualmente, no caso) e disponível via telefone, e-mail e mensagens instantâneas para liderar e orientar sua equipe. Assegure-se de acompanhar o desenvolvimento das tarefas para
garantir um bom desempenho do time!

O home office já é uma realidade na sua empresa? Quais são os desafios e as soluções encontradas para a fluidez do trabalho? Compartilhe suas experiências nos comentários!

,

5 dicas eficientes para melhorar a gestão de pessoas em uma startup

Startups trouxeram não só um novo modelo de negócio como também um novo modelo de recrutamento e retenção. Entretanto, o novo sempre traz desafios que às vezes parecem difíceis de serem superados.

Geralmente o ritmo de trabalho em startups é dinâmico e pode-se dizer, frenético. A limitação de recursos, estrutura e pouca verba acarretam desafios para os recrutadores e líderes de áreas quando o assunto é gestão de pessoas.

Com essa conjuntura, ter jogo de cintura para saber dançar conforme a música é de extrema importância para sobreviver no dia a dia, mas isso não é o suficiente.

Manter profissionais engajados com o propósito do negócio e motivados para enfrentar as próprias limitações e superá-las necessita de estratégia e liderança – coisas que às vezes são deixadas de lado pelos mesmos motivos listados acima.

Melhorando a gestão de pessoas

Selecionamos as principais dicas para que você repense e melhore a gestão de pessoas da sua startup de maneira crescente:

1 – Comunicação acima de tudo

Em uma startup a comunicação às vezes pode ser “atrapalhada”, apesar das frequentes reuniões para manter todos na mesma página.

Toda startup trabalha na velocidade da luz para se estabelecer e se tornar um negócio bem sucedido. E o sucesso, neste caso, está atrelado a comunicação.

É impossível que, a longo prazo, uma empresa consiga ser bem sucedida sem comunicação. Pense no seguinte cenário: cada time trabalhando de um jeito sem comunicar o que tem em mente, sendo que todas as áreas de uma empresa se relacionam e trabalham para o mesmo fim. Desastroso, não?

Preze pela transparência e comunicação entre áreas para que todos saibam como cada time está trabalhando para alcançarem o mesmo objetivo.

2 – Melhore o ambiente de trabalho

Trabalhar em uma startup é estar sob pressão quase sempre. Por isso, é importante que o ambiente seja acolhedor, tenha o mínimo de conforto e estrutura possível e ofereça, se possível, pequenos mimos.

Cervejas após o expediente, comemoração dos aniversariantes do mês, flexibilidade de horários. Esses são alguns dos benefícios que a empresa consegue oferecer sem prejudicar as finanças.

São pequenos gestos que talvez não custem tanto, mas que tem um grande significado aos colaboradores.

Quando um colaborador se sente valorizado e reconhecido por seu trabalho e esforço, certamente ele trabalhará ainda mais motivado e prezando por entregas melhores.

3 – Pode não parecer, mas hierarquias existem e elas devem ser estabelecidas

A ideia é que cada um seja o “dono” do seu trabalho, execute e depois comunique o que foi feito. Nisso tudo, pode parecer que não exista hierarquias, mas existem.

Assim como existe uma linha tênue entre o sentimento de “dono” e de ser propriamente o dono – seja do negócio ou da área.

Devido a alta demanda de trabalho e falta de profissionais, é comum que os profissionais façam uma ou mais funções – e o gestor não foge dessa “regra”. Justamente por essa correria, às vezes a falta de acompanhamento é deixada de lado e só quando uma “bomba” explode é que o gestor lembra de checar o que está sendo feito.

Isso acarreta em inúmeros problemas que vão desde o financeiro até mesmo a uma demissão.

É preciso “incutir” que apesar da cultura ser flexível e moderna, precisa existir donos de atividades e de áreas. Isso faz com que o trabalho seja bem feito e entregue sem grandes danos.

4 – Acredite no poder do feedback

Feedbacks são uma poderosa ferramenta para a melhoria contínua, mas podem ser deixadas de lado devido ao ritmo de trabalho.

Incluir os feedbacks como ferramenta de trabalho é essencial. Uma boa ideia é estabelecer um dia do mês para encontros e trocas de feedbacks. Isso trará mudanças significativas à todos.

Feedbacks podem potencializar talentos, melhorar o ambiente, direcionar o trabalho e ajudar no desenvolvimento profissional e pessoal.

Crie uma cultura de feedbacks e melhore drasticamente a gestão de pessoas.

5 – Comemore, sempre!

Cada conquista deve ser celebrada. Só quem trabalha em startup sabe das dificuldades e desafios para se chegar a um objetivo, e quando se chega, isso deve ser comemorado.

É uma excelente oportunidade de unir ainda mais os colaboradores, relaxar e aproveitar o ganho.

O maior ativo de qualquer empresa são as pessoas. Incentivar líderes, founders e CEO a melhorarem continuamente a gestão de pessoas ajudará a andar pelo caminho das pedras com mais harmonia e com menos dificuldades.

,

Gestão Responsável: como o voluntariado e o RH podem trabalhar juntos

Empresas investem no voluntariado empresarial para promover autoestima, capacidade de liderança e saúde emocional às equipes.

Quanto a sua empresa investe em treinamentos para estimular a liderança, desenvolvimento humano, engajamento e cooperação entre as equipes?

A gestão responsável tem se tornado cada vez mais necessária dentro das organizações. Um dos seus objetivos, é usar a humanização para estimular os colaboradores a acreditarem que podem ser sempre melhores para si mesmos, para a empresa e para o mundo.

Você sabia que é possível implementar esse modelo de gestão gastando menos e ao mesmo tempo oferecendo ações que realmente ajudam a mudar o mundo?

O voluntariado empresarial é a ferramenta ideal para quem busca motivar a equipe, estimulando o desenvolvimento pessoal dos colaboradores e sensibilizando os indivíduos para aprenderem a trabalhar em grupo, com harmonia e criatividade.

Da mesma forma que ao fazer um processo de recrutamento é interessante para o candidato ter em seu currículo atividades de voluntariado, o profissional contratado também traz benefícios à empresa se continuar com essa prática.

Por que utilizar o voluntariado como ferramenta de Gestão de Pessoas? 

Voluntariado empresarial une equipes e estimula a criatividade.

O voluntariado empresarial cria laços entre a equipe

Em um projeto social a equipe precisa se unir, se organizar e traçar estratégias para desenvolver soluções para aquela questão.

Como o resultado final envolve melhorias ambientais ou de questões humanas, o emocional da equipe é  estimulado e ao alcançarem os objetivos, a alegria sentida, além de aumentar a autoestima dos envolvidos, também cria memória emocional sobre os laços criados entre a equipe durante o processo de realização do projeto.

Esse laço de amizade fortalece as equipes para trazerem mais força de ação e cooperação para os projetos da empresa.

Voluntariado empresarial aumenta a autoestima

A grande maioria da população se questiona sobre qual é o seu lugar no mundo. Se para você isso nunca foi uma questão, pode ter certeza que para os jovens talentos da Geração X e Z esse tema é pauta diária em suas mentes pensantes e questionadoras.

Então, focando nos jovens talentos que têm tanta capacidade de revolucionar os processos produtivos da sua empresa, como você vai fazer para mantê-los estimulados e engajados?

O voluntariado é uma boa solução. A prática traz a sensação de ser útil, necessário e importante para as pessoas e o planeta.

Esse encaixe estimula a autoestima e protege a saúde mental dos colaboradores de possíveis crises emocionais e depressões crônicas, intimamente ligadas à falta de propósito de vida.

 Voluntariado empresarial desenvolve competências humanas

 O trabalho de voluntariado desenvolve habilidades importantes para a saúde das organizações, como:

  • Respeito ao próximo
  • Capacidade de empreender
  • Habilidades para trabalhar com poucos recursos
  • Comprometimento
  • Autoresponsabilidade
  • Criatividade
  • Poder de iniciativa
  • Humildade
  • Capacidade criativa
  • Flexibilidade
  • Sensibilização
  • Liderança
  • Produtividade
  • Capacidade de trabalhar em equipe
  • Ética
  • Habilidades de organização
  • Capacidade de elaborar estratégias e metas
  • Comprometimento
  • Desenvolve habilidades em comunicação
  • Habilidades para lidar com prazos e situações de pressão emocional

Voluntariado empresarial agrega valor à empresa

Organizações que possuem equipes motivadas e inseridas em ações sociais e/ou ambientais são vistas pelo mercado como empresas com mais capacidade de performance e envolvimento com projetos.

Além de ganhar valor externo, a própria empresa é a maior beneficiada por essa prática, já que em pouco tempo constrói uma cultura empresarial baseada em valores humanos, pró-atividade e colaboração entre os funcionários.

Dessa forma, o trabalho voluntário dentro das empresas é extremamente vantajoso, a curto e à longo prazo.

 

Quer saber como começar o voluntariado empresarial na sua organização? Clique aqui e acesse a matéria – Gestão Responsável: ideias de como inserir o voluntariado empresarial na sua empresa.

 

E não esqueça de contar com a nossa ajuda para encontrar jovens talentos, especialmente treinados para mostrarem suas melhores capacidades na sua empresa. Clique aqui e saiba mais sobre como o Bettha vai mudar sua forma de recrutar talentos.

 

,

Gestão Responsável: ideias de como inserir o voluntariado empresarial na sua empresa

Saiba como aplicar o voluntariado empresarial e aumentar a produtividade, engajamento e retenção de talentos da sua equipe.

A prática do voluntariado é uma ferramenta importante para os  gestores de RH que buscam formas de engajar a equipe e aumentar a produtividade da empresa. Além de serem mais barato que treinamentos motivacionais, o voluntariado também tem como vantagem trazer resultados mais positivos.

Não é nenhuma novidade que cada vez mais, colaboradores sentem a necessidade de ser constantemente estimulados e desafiados positivamente. Com o voluntariado, os profissionais sentem-se úteis, importantes e vivendo uma vida com mais significado.

Clique aqui para ler a matéria – Gestão Responsável: como lidar com o tema propósito de vida dentro das organizações?

Agora que você já sabe como essa prática é importante para a sua empresa, que tal algumas ideias?

Voluntariado empresarial é uma alternativa inteligente para a motivação da equipe.

Antes de qualquer coisa, você vai precisar de voluntários!

Pois é, como começar um trabalho sem a vontade da equipe em participar? O primeiro passo é identificar com os colaboradores se há disposição em participar e quais são as áreas de interesse do grupo.

É importante explicar as vantagens para o desenvolvimento pessoal de cada um e quais serão os benefícios sociais e ambientais que eles podem promover com ela.

Agora que você já sabe quem está disposto a participar, faça uma reunião para escolherem juntos que tipo de projeto vão desenvolver.  Dessa forma, todos se sentem parte da estratégia traçada e a empresa desperta na equipe estímulos de liderança, pertencimento e criatividade.

Após escolher o projeto, identifique quais são as necessidades e então, quanto é possível investir financeiramente nela. Esta é uma ótima oportunidade para a equipe despertar a criatividade e trabalhar com poucos recursos. Uma outra opção é encontrar meios de angariar doações.

Também deve ficar claro quantas horas mensais cada um pode doar e se há a possibilidade da empresa ceder horas de trabalho do time para isso.

Ideias de projetos para o voluntariado empresarial

Voluntariado empresarial com projetos sociais em ONGs

Há diferentes tipos de ONGs e projetos que acolhem e apoiam crianças, mulheres, o meio ambiente, animais, grupos LGBTQ, comunidades e a preservação de culturas e etnias. Identifique as necessidades de uma dessas ONGs com a equipe e monte uma estratégia.

É ainda mais legal quando a causa escolhida tem a ver com o trabalho desenvolvido com os colaboradores dentro da empresa.

Voluntariado empresarial com mutirões de reforma

Existem projetos, como Teto, que investem em parcerias com empresas para construção de moradias para pessoas em situação de pobreza. Que tal levar o time para uma dessas ações?

Outra opção é pesquisar dentro da própria empresa funcionários que necessitam de apoio e colaboração para a construção e reformas das suas próprias casas e criar formas de colaborar.

Movimento desapego – afeto consciente

Que tal estimular a empresa toda a rever seu consumo? O que estão consumindo além do que realmente precisam? Quantas roupas, móveis e alimentos eles têm e que não são necessários em suas vidas? Faça um planejamento onde em cada semana os colaboradores sejam estimulados a doar aquilo que não precisam mais.

Você pode começar com roupas, na semana seguinte com móveis, na outra alimentos e assim por diante. Todas as doações podem ser doadas ao mesmo tempo em um evento de entrega com toda a equipe.

Troca de Talentos

Você sabia que a sua secretária fez aula de dança durante toda a vida? Que o seu gestor sabe tocar violão e que sua estagiária morou na Alemanha e fala a língua fluentemente? Organize um banco de talentos da empresa e facilite momentos em que os colaboradores ensinem uns aos outros seus dons e talentos.

Essa é uma ótima oportunidade para valorizar sua equipe, além das suas competências profissionais e gerar autoestima nos colaboradores. O resultado pode ser muito bacana!

Carona Solidária

Quanto impacto ambiental pode ser amenizado se ao invés de cinco carros, um se organizar para levar os motoristas dos outros quatro? Organize quem vai de carro à empresa, o local de saída e os percursos para identificar quem pode ir de carona com o motorista responsável. Uma ideia que vai criar novas amizades e ajudar o meio ambiente!

 

Não se esqueça de realizar ações que estejam alinhadas com os valores da empresa e garantir que os resultados sejam sustentáveis. Uma boa forma de fazer isso, é coletando dados durante as ações e analisando esses dados depois.

, ,

Gestão Responsável: como o RH pode lidar com o propósito?

Entenda como a cultura do propósito já está afetando a sua empresa e saiba como surfar essa onda.

Por qual motivo você acorda todos os dias? Qual é o significado da sua vida? Qual é a sua importância no mundo? Se para você essas perguntas parecem filosóficas demais ou até são perda de tempo, saiba que elas são as perguntas mais antigas da humanidade.

Há 10 anos, as capas de revista como Forbes e Exame focavam em chamadas sobre como ganhar o seu primeiro milhão antes dos 30 anos. Porém, tudo mudou! Nos últimos cinco anos o foco tem sido a realização profissional, a felicidade no ambiente de trabalho.

Mas, o que aconteceu? Porque essa mudança? A internet é a grande vilã e a heroína do tema propósito de vida. Com o avanço da expansão das redes sociais, as pessoas começaram a ter mais contato com diferentes personalidades, estilos de vida e, aliado ao fato que nas redes sociais todo mundo parece sempre feliz, foram inspiradas a repensar suas vidas.

A sociedade vem se questionando se viver é realmente só ter que acordar, trabalhar, pagar as contas, dormir e começar tudo de novo.

Isso tem gerado crises de depressão em massa, devido à negatividade mental, pressões no ambiente de trabalho, falta de significado de vida e a necessidade de se se encaixar em alguma coisa.

Para que ter um propósito de vida?

 Ao encontrar um significado para traçar uma carreira, o colaborador se sente mais motivado a continuar estudando e aprimorando seus conhecimentos. Ele sente autoestima e alegria em servir à empresa, compartilhando seus talentos.

Essa fonte de energia só tende a gerar cada vez mais bons resultados para todos, tanto na saúde emocional e física do colaborador, como nos resultados por produtividade da empresa. Vide o sucesso que os Coach’s estão tendo ao redor do mundo, vendendo esse tema: realização profissional com propósito de vida!

Todos eles ensinam como estar alinhado com um significado aumenta a criatividade, disposição e produtividade.

Para Tony Robbins, um dos maiores coachs do mundo – Homenageado pela Accenture como um dos “Top 50 Intelectuais de negócios do mundo” e pela Harvard Business Press como um dos “Top 200 Business Gurus” – a paixão é o combustível que todo o ser humano precisa para viver.

“Paixão é o combustível que move a máquina toda, vem de dentro. Você pode fazer como ele, também chamar de “obsessão”, isso fará não que apenas você tenha iniciativa, mas que prossiga e persista a cada desafio. Tenha uma causa e comunique isso às pessoas e lute por ela. Primeiro acredite em você, para então os demais também poderem acreditar”, revela o Coach.

Portanto, a pergunta mais importante não seria qual o propósito, e sim, como encontrar este propósito na vida. A verdade é que não existe uma receita de bolo para seguir. Mas existem algumas formas de mudar a sua maneira de pensar e passar a enxergar a vida com outros olhos. Lembrando que, além do propósito de vida dos colaboradores, é também necessário estar bem claro qual é o propósito da empresa.

Como gestores de RH podem implementar a cultura do propósito nas empresas?

Acreditamos que, se você chegou até esse ponto do texto é porque compreendeu a importância do propósito de vida para a sua vida e de seus funcionários, não é mesmo?

Então, você deve estar se perguntando – Ok, como eu começo?

Em primeiro lugar, por você!

Apenas uma pessoa alinhada com o próprio propósito pode inspirar esse valor em outras pessoas. Questione-se: quais são os meus talentos? Meus pontos fortes? Eu estou usando eles na minha vida profissional?

Se a resposta for não, repense: é possível então trazer mudanças para o meu trabalho, de forma que eu possa me sentir mais realizado? Se a resposta for sim, comece a agir e sinta a diferença! Veja como você se sente mais feliz e motivado, é isso que você vai levar para todos os colaboradores da empresa.

Mas, caso você compreenda que a empresa não tem interesse algum em olhar para as suas necessidades de realização, você acaba de achar um GAP importantíssimo na retenção de talentos da sua organização. Esse é um grande momento, ou você desiste da empresa e busca uma mais alinhada com os seu valores, ou se torna um agente de mudanças incríveis para o seu meio.

Leve dados e informações à respeito do tema para a alta gestão da empresa e abra novas possibilidades de levar a cultura do propósito para dentro da sua organização.

E como levar a cultura do propósito para dentro das empresas?

Busque empresas e profissionais capacitados em Coach de Propósito de Vida e Especialistas em Carreira que estejam alinhados com esse movimento.

Ou faça você mesmo uma capacitação de Coach de Propósito de Vida e identifique na sua organização o grau de satisfação pessoal dos colaboradores.

É importante que você trace estratégias e aplique as ferramentas aprendidas para:

  • Identificar e tornar claro o propósito de vida da empresa
  • Mapear o grau de satisfação pessoal dos colaboradores
  • Coletar dados sobre os pontos fortes e talentos em potencial dos funcionários
  • Encontrar meios de inserir esses talentos nos processos da empresa e valorizar cada colaborador pela sua importância nas etapas dos processos
  • Alinhar propósitos pessoais ao propósito da empresa, estreitando laço e aumentando o potencial de engajamento

Agora que você já sabe o que fazer, é só colocar a mão na massa! Se precisar de ajuda, estamos por aqui, sempre com conteúdos novos para te ajudar  a tornar o seu RH cada vez mais estratégico. Boa jornada!

 

 

,

Como usar a metodologia OKR na gestão de de equipes da sua empresa

A metodologia OKR promete organizar e engajar equipes em busca de resultados efetivos para as empresas.

Sua equipe entrou em uma zona de conforto? Suas metas estão uma bagunça, assim como o comprometimento dos prazos? Qual é a responsabilidade de um gestor de recursos humanos nesse cenário?

Talvez, e na verdade, seja bem provável, que a culpa disso tudo seja a ausência de uma boa estruturação de projetos.

Você já conhece OKR? Essa metodologia é utilizada por grandes empresas do Vale do Silício, como Google, Dropbox e Linkedin e têm como objetivo estimular as equipes a se responsabilizarem pelo sucesso da empresa.

O que é a metodologia OKR?

OKR é a abreviação de Objectives and Key Results, traduzido literalmente como Objetivos e Resultados Chave.

O método consiste em organizar os objetivos que a empresa deseja atingir e estabelecer os resultados chave que indicam que essas metas foram alcançadas.

O diferencial desse método é como ele se organiza para que cada colaborador se transforme em uma peça-chave, assumindo importantes responsabilidades no processo. Dessa forma, cada funcionário percebe a sua relevância no sucesso final do projeto e sente-se motivado a contribuir.

O OKR colabora para que a empresa organize e distribua de forma eficiente as prioridades, evitando desgastes desnecessários e focando as equipes nos esforços realmente importantes para o sucesso dos objetivos estabelecidos.

Nele, as equipes ganham autonomia em decisões e formatos de trabalho, como no Google, onde não importa como cada equipe deseja trabalhar, desde que os objetivos sejam alcançados.

Essa metodologia acredita que não é saudável para uma empresa trazer procedimentos engessados para todas as equipes, de diferentes áreas, já que o que funciona para um grupo, pode não ser bom para outro.

E, é importante deixar claro: a metodologia OKR pode ser aplicada em qualquer tipo e tamanho de empresa! Seus resultados são efetivos em diferentes formatos de negócios, desde que seja aplicada corretamente.

 

OKR’s apostam na autonomia das equipes para garantir resultados

Vantagens de aplicar a OKR na sua equipe

Uma das maiores vantagens desse método é poder concentrar a energia da sua equipe com contribuições mensuráveis e aplicar mais consciência sobre a importância de cada um nos projetos,  trazendo estratégia, motivação e foco nos resultados.

Outras vantagens da OKR:

  • Ciclos curtos de operação
  • Fácil de entender e de ser explicado
  • Adaptação simplificada
  • Engajamento coletivo
  • Transparência (os OKRs são conhecidos por todos)
  • Aumento do foco e da concentração
  • Controle sobre os resultados

Como aplicar a OKR na sua empresa

 Lembra que o significado de OKR é o foco total nos objetivos e nos resultados chave? Então, vamos lá:

Definindo os objetivos

O objetivo geral deve ser qualitativo e ser escolhido pela sua real importância para o sucesso da empresa. Ele também deve ser do interesse dos gestores de equipe, o que estimula o engajamento imediato sobre o objetivo estabelecido. Caso seja necessário, é aberto escolher mais de um objetivo a ser conquistado.

Integrando a equipe com OKR

Diferente do comum, os objetivos não devem ser escolhidos apenas pela alta gestão da empresa. Cada gestor e equipe devem fazer parte das decisões, já que serão de extrema importância no processo.

Os diretores e gestores podem definir os rumos que a empresa deve tomar e cada colaborador traz suas ideias de como esse caminho pode ser trilhado, criando consciência sobre sua importância no resultado final.

OKR’s estimulam equipes a conquistarem resultados efetivos para as empresas

Definindo os Resultados Chave

Estabelecer grupos de resultados chave para cada objetivo escolhido é uma das coisas importantes nessa metodologia. É indicado definir até 4 indicadores de resultados.

Esses resultados são os indicadores de que e o objetivo, ou objetivos, foram alcançados. Eles devem ser simples e quantitativos, além de possuir métricas de controle.

Avaliando os Resultados Chave

 Na metodologia OKR, os objetivos e indicadores são classificados e avaliados de 0 a 10.  Conforme os resultados, sua empresa saberá o quanto cada ação foi efetiva.

Caso os resultados fiquem abaixo de 7 ou 8, é o momento para rever as ações e descartar o que não está funcionando. Mas, se a maioria dos resultados ficarem acima de 8, significa que os objetivos estão muito fáceis e não trazem desafios, além de que também representa a eficiência da sua equipe, mostrando que há muito mais potencial para ser explorado.

Envolva a sua equipe e mostre a importância e os benefícios que essas metas trarão para todos e não se esqueça de dar feedbacks constantes e oferecer as ferramentas necessárias para que cada indivíduo faça o seu melhor.

 

E aí, o que você acha? Vale a pena investir tempo na implementação da OKR no dia a dia da sua empresa? Tem uma experiência legal sobre isso? Compartilha com a gente 🙂