,

5 livros sobre propósito de vida que todo o Gestor de RH deve ler

O tema propósito de vida já chegou às capas de revistas pelo mundo todo e agora é hora de levar ele para a cabeceira da sua cama.

Como manter a produtividade da sua equipe? E a sua também?

O tema propósito de vida vem tirando o sono de alguns gestores, pois cada vez mais, vemos pessoas descobrindo que estão investindo na carreira errada.

E você? Ainda tem paixão pelo o que faz? A paixão é um dos mais potentes combustíveis para a performance de uma carreira e de uma empresa, sem ela nenhum negócio é sustentável.

Por isso tantos gestores investem milhares de reais em treinamentos motivacionais. O propósito de vida já está batendo na porta de todas as empresas e não tem mais como ignorar o tema. Chegou a hora de compreendê-lo.

Que tal um mergulho no seu propósito de vida? Essa é a melhor maneira de saber como auxiliar sua equipe a encontrar caminhos e oportunidades para expressarem os seus propósitos, unidos ao propósito da empresa.

Confira 5 dicas de leitura sobre o tema:

Capitalismo Consciente, John Mackey e Raj Sisodia

Em “Capitalismo Consciente” você vai aprender sobre uma nova forma de negócios que tem como prioridade não mais o lucro financeiro. Mas, sim, o propósito de vida. Compreender essa mudança e esse conceito é essencial para quem deseja buscar uma vida e um negócio que reflita e esteja alinhado aos seus valores.

Ikigai, por Sebastian Marshall

Com uma abordagem filosófica-histórica prática, Sebastian cultiva uma vida expansiva. Afirma que todos podemos ganhar (e contribuir) mais na vida e que buscar feitos grandes está dentro do alcance de qualquer um.

Propósito, Sri Prem Baba

 O livro revela como a história de viver com mais propósito é o futuro de praticamente todas as áreas. O autor traz neste livro uma linguagem bem simples e fácil de compreender sobre um tema que, para muitos, ainda é bem complexo e abstrato. A busca por um significado maior na vida.

So good they can’t ignore you, por Cal Newport

Pergunta simples: para quem quer ser apaixonado pelo trabalho que faz, ser bem recompensando e se sentir satisfeito, seguir sua paixão é ou não uma boa estratégia? Por incrível que pareça, a resposta é não. Começar perseguindo suas paixões é uma estratégia ruim para terminar apaixonado pelo que você faz; uma coisa não leva necessariamente a outra.

E o Cal Newport foi atrás de destrinchar o porquê com um livro bastante acessível. O desafio passa por várias etapas: desde como somos ruins em identificar o que gostamos até mesmo um corpo de pesquisa demonstrando como nossos gostos evoluem conforme engajamos em uma atividade. O Cal constrói ao longo da narrativa sua posição de mundo necessária para deixar de ser passivo no mercado de trabalho – e se tornar alguém disputado profissionalmente.

Gateless, por Sebastian Marshall

“Sem barreiras” é um livro com a assinatura clara de um grande estrategista: discute o desafio (crescer no mundo atual, gerando riqueza e impacto) de modo alto nível, enquanto fornece um framework para você realizar suas próprias pesquisas e iniciativas na busca de alcançar o que deseja.

São 5 vertentes para você se aprofundar e manipular para uma vida mais realizada: capacidade, network, sinal, ativos e propósito.

Boa leitura!

Indicações inspiradas no Tgi Today via – https://tgitoday.com.br/5-livros-sobre-proposito/  e no Estrategistas – www. estrategistas.com/livros-perdido-na-vida/

, ,

Gestão Responsável: como o RH pode lidar com o propósito?

Entenda como a cultura do propósito já está afetando a sua empresa e saiba como surfar essa onda.

Por qual motivo você acorda todos os dias? Qual é o significado da sua vida? Qual é a sua importância no mundo? Se para você essas perguntas parecem filosóficas demais ou até são perda de tempo, saiba que elas são as perguntas mais antigas da humanidade.

Há 10 anos, as capas de revista como Forbes e Exame focavam em chamadas sobre como ganhar o seu primeiro milhão antes dos 30 anos. Porém, tudo mudou! Nos últimos cinco anos o foco tem sido a realização profissional, a felicidade no ambiente de trabalho.

Mas, o que aconteceu? Porque essa mudança? A internet é a grande vilã e a heroína do tema propósito de vida. Com o avanço da expansão das redes sociais, as pessoas começaram a ter mais contato com diferentes personalidades, estilos de vida e, aliado ao fato que nas redes sociais todo mundo parece sempre feliz, foram inspiradas a repensar suas vidas.

A sociedade vem se questionando se viver é realmente só ter que acordar, trabalhar, pagar as contas, dormir e começar tudo de novo.

Isso tem gerado crises de depressão em massa, devido à negatividade mental, pressões no ambiente de trabalho, falta de significado de vida e a necessidade de se se encaixar em alguma coisa.

Para que ter um propósito de vida?

 Ao encontrar um significado para traçar uma carreira, o colaborador se sente mais motivado a continuar estudando e aprimorando seus conhecimentos. Ele sente autoestima e alegria em servir à empresa, compartilhando seus talentos.

Essa fonte de energia só tende a gerar cada vez mais bons resultados para todos, tanto na saúde emocional e física do colaborador, como nos resultados por produtividade da empresa. Vide o sucesso que os Coach’s estão tendo ao redor do mundo, vendendo esse tema: realização profissional com propósito de vida!

Todos eles ensinam como estar alinhado com um significado aumenta a criatividade, disposição e produtividade.

Para Tony Robbins, um dos maiores coachs do mundo – Homenageado pela Accenture como um dos “Top 50 Intelectuais de negócios do mundo” e pela Harvard Business Press como um dos “Top 200 Business Gurus” – a paixão é o combustível que todo o ser humano precisa para viver.

“Paixão é o combustível que move a máquina toda, vem de dentro. Você pode fazer como ele, também chamar de “obsessão”, isso fará não que apenas você tenha iniciativa, mas que prossiga e persista a cada desafio. Tenha uma causa e comunique isso às pessoas e lute por ela. Primeiro acredite em você, para então os demais também poderem acreditar”, revela o Coach.

Portanto, a pergunta mais importante não seria qual o propósito, e sim, como encontrar este propósito na vida. A verdade é que não existe uma receita de bolo para seguir. Mas existem algumas formas de mudar a sua maneira de pensar e passar a enxergar a vida com outros olhos. Lembrando que, além do propósito de vida dos colaboradores, é também necessário estar bem claro qual é o propósito da empresa.

Como gestores de RH podem implementar a cultura do propósito nas empresas?

Acreditamos que, se você chegou até esse ponto do texto é porque compreendeu a importância do propósito de vida para a sua vida e de seus funcionários, não é mesmo?

Então, você deve estar se perguntando – Ok, como eu começo?

Em primeiro lugar, por você!

Apenas uma pessoa alinhada com o próprio propósito pode inspirar esse valor em outras pessoas. Questione-se: quais são os meus talentos? Meus pontos fortes? Eu estou usando eles na minha vida profissional?

Se a resposta for não, repense: é possível então trazer mudanças para o meu trabalho, de forma que eu possa me sentir mais realizado? Se a resposta for sim, comece a agir e sinta a diferença! Veja como você se sente mais feliz e motivado, é isso que você vai levar para todos os colaboradores da empresa.

Mas, caso você compreenda que a empresa não tem interesse algum em olhar para as suas necessidades de realização, você acaba de achar um GAP importantíssimo na retenção de talentos da sua organização. Esse é um grande momento, ou você desiste da empresa e busca uma mais alinhada com os seu valores, ou se torna um agente de mudanças incríveis para o seu meio.

Leve dados e informações à respeito do tema para a alta gestão da empresa e abra novas possibilidades de levar a cultura do propósito para dentro da sua organização.

E como levar a cultura do propósito para dentro das empresas?

Busque empresas e profissionais capacitados em Coach de Propósito de Vida e Especialistas em Carreira que estejam alinhados com esse movimento.

Ou faça você mesmo uma capacitação de Coach de Propósito de Vida e identifique na sua organização o grau de satisfação pessoal dos colaboradores.

É importante que você trace estratégias e aplique as ferramentas aprendidas para:

  • Identificar e tornar claro o propósito de vida da empresa
  • Mapear o grau de satisfação pessoal dos colaboradores
  • Coletar dados sobre os pontos fortes e talentos em potencial dos funcionários
  • Encontrar meios de inserir esses talentos nos processos da empresa e valorizar cada colaborador pela sua importância nas etapas dos processos
  • Alinhar propósitos pessoais ao propósito da empresa, estreitando laço e aumentando o potencial de engajamento

Agora que você já sabe o que fazer, é só colocar a mão na massa! Se precisar de ajuda, estamos por aqui, sempre com conteúdos novos para te ajudar  a tornar o seu RH cada vez mais estratégico. Boa jornada!