Recrutamento por competências comportamentais: você sabe o que é?

Essa metodologia está sendo muito usada por empresas que buscam mais do que um bom currículo e habilidades específicas, eles querem saber quais os talentos de seus candidatos.  

O recrutamento por competências comportamentais vem sendo cada vez mais utilizado pelas empresas. Isso porque, ao contrário do recrutamento tradicional, ele investiga comportamentos recorrente dos candidatos. Dessa forma, é possível identificar posturas adotadas por eles diante de desafios que já enfrentaram.  

Para chegar até as suas competências, três aspectos são levados em conta: seus conhecimentos, suas habilidades e atitudes. Dessa maneira, a união desses elementos, quando praticada de forma satisfatória, demonstra um ótimo desempenho do profissional, através de comportamentos específicos. 

Recrutamento por competências comportamentais x Recrutamento por competências técnicas

A grande diferença entre esses dois modelos de recrutamento é que o primeiro se baseia na soma das experiencias profissionais e pessoais, bem como em habilidades sociais que exigem posturas específicas de um candidato para lidar com diferentes situações. Já no modelo que prioriza as competências técnicas, a avaliação do candidato engloba apenas a avaliação acadêmica, cursos extras e experiências profissionais anteriores.  

Ser competente é diferente de ter competências. 

Essa é uma das confusões mais comuns que encontramos ao falar de recrutamento por competências comportamentais. 

Ser competente implica em ter um bom desempenho numa determinada atividade. Já ter competências está relacionado com as características individuais que te permitem ter um bom desempenho. Essas competências estão diretamente ligadas à área comportamental de cada pessoa.

Como contratar por competências comportamentais? 

Uma das maneiras mais efetivas de realizar o recrutamento com competências comportamentais é usando mapeamentos de perfis. Eles permitem que você consiga valorizar competências comportamentais já nas primeiras etapas da seleção.

É importante estar atento a isso também nas fases presenciais. Na entrevista, procure perguntar coisas sobre a vida dos candidatos como um todo, e não apenas sobre suas formações e experiências passadas. Isso te ajuda a identificar habilidades emocionais que poderiam facilmente passar despercebidas. 

Sobre o bettha: Somos uma plataforma de engajamento de talentos! Podemos te ajudar a contratar pessoas via competências comportamentais através do genius e lifestyle, nossos mapeamentos de perfil.