,

Como o RH deve aplicar a inteligência emocional no dia a dia?

Como o RH deve aplicar a inteligência emocional no dia a dia?

Quando o assunto é inteligência emocional, ainda há um pouco de controvérsia. Talvez essa má impressão tenha sido gerada pelos livros de auto-ajuda – que são sempre julgados como leituras banais. No entanto, a inteligência emocional importa, ainda mais para o profissional do RH.

A inteligência emocional é extremamente importante quando se trata de desempenho e liderança, sendo tema de destaque para o RH. O conhecimento técnico é requisito básico de qualquer trabalho, mas entender e administrar emoções é a chave para se desenvolver e crescer.

Seja um estagiário, profissional de RH ou CEO, todos em um ambiente profissional podem melhorar sua inteligência emocional. Dessa forma, podem gerenciar, influenciar e se relacionar melhor com os outros.

Conheça as oportunidades que estão diariamente no seu escritório e que podem ser aproveitadas para aplicar a inteligência emocional:

Veja as emoções como dados

Os sentimentos são baseados em pensamentos automáticos que podem ser irrealistas. Dessa forma, só porque você pensa ou sente algo, não significa que seja verdadeiro. Por isso, observe as emoções como dados de forma a avaliá-los logicamente junto a outras informações.

Colete feedbacks

Analise os feedbacks anteriores, como avaliações de desempenho e e-mails críticos ou de sugestões. Pergunte às pessoas ao seu redor como elas perceberam seu comportamento em situações atípicas e difíceis. Pergunte a eles como você os tratou quando eles estavam com a emoção à flor da pele.

Se possível, solicite um feedback de 360º e analise as lacunas entre a classificação pessoal e as classificações de outras pessoas. Considere os pontos fortes, fracos e cegos.

Esteja atento

Praticar meditação, respirar fundo ou simplesmente focar em uma refeição sem distração pode fortalecer a capacidade de direcionar sua própria atenção e observar suas próprias emoções de forma mais leve.

Além disso, práticas de mindfulness podem auxiliar a lidar melhor com as emoções e com a rotina agitada e cheia de imprevistos dos tempos modernos.

Preste atenção no seu corpo

Em momentos difíceis, dedique alguns minutos para sentir seus sinais físicos – o seu corpo fala. Ombros tensos e um estômago sensível podem revelar que você está mais ansioso do que imaginou. 

Escolha cuidadosamente as palavras

Pratique descrevendo as emoções com mais precisão, ou seja, “sinto-me ressentido” em vez de “me sinto mal”. No começo, pode ser útil referenciar uma lista de palavras de sentimento até que a linguagem seja mais natural. Isso pode fornecer pistas para possíveis causas e soluções.

Identifique as sutis diferenças

As pessoas reagem e interpretam a estímulos de formas diferentes. Assim, suas personalidades e passados moldam suas histórias – e isso também se aplica a você. Falar algo da mesma forma com diferentes pessoas pode não ser a melhor maneira de estabelecer contatos.

Aprenda mais sobre cada colega e adapte a sua fala à linguagem que seja compreensível a cada um. É uma lição que leva tempo, mas que vale à pena. Dessa maneira, é possível evitar conflitos e interpretações errôneas.

Mostre respeito

Encontre algo que você gosta em outra pessoa e diga a ela. Use a linguagem corporal para fortalecer cada palavra. A escuta ativa e as interações positivas estimulam a bondade, a confiança e a aproximação.

Além disso, é importante exercitar a compaixão e a empatia quanto às diferentes visões de vida. Assim, pode-se estabelecer uma relação de respeito entre os indivíduos.

Estabeleça hábitos

Concentre-se em uma mudança significativa e alcançável por vez. Assim, você pode começar conversando com um colega de confiança sobre uma sensação de baixa intensidade, como irritação leve. Ou verbalize as suas emoções para uma câmera. Assim, você pode ver se está se comunicando da maneira que gostaria.

Faça perguntas genuínas

“Como você está?” Esse tipo de pergunta não permite uma resposta honesta da maioria das pessoas. Por isso, pergunte sinceramente sobre o momento de vida do seu interlocutor. Questione se eles possuem preocupações. Dessa maneira, você demonstrará gentileza.

Entenda o porquê

Debata em grupo como as pessoas se sentem no ambiente de trabalho. A partir desse diálogo, descubra o porquê eles se sentem de determinada maneira. Essa prática favorecerá a comunicação entre todos, ajudando a equipe a trabalhar melhor entre si.

Demonstre compaixão

Mostre à sua equipe a importância de cada um dentro do time. Reconheça suas contribuições para o time, de forma a incentivar a valorização das pessoas. 

Cultive o desejo por mudança

A inteligência emocional é complexa demais para ser motivar através de incentivos externos. A teoria da mudança intencional de Richard Boyatzis auxilia numa abordagem mais eficiente, através dos seguintes questionamentos:

O que é importante em sua vida?

O que é importante para eles no trabalho?

Qual é o sonho deles para o futuro?

Como você observa sua inteligência emocional?

Como eles podem desenvolver habilidades para realizar sua visão?

Como as pessoas pode apoiá-lo nesse processo?

Ofereça oportunidades de crescimento

Muitos funcionários se beneficiam de projetos especiais ou outras oportunidades. Assim, eles não apenas praticam suas habilidades com pessoas diferentes e de maneiras diferentes, como também aprendem novas perspectivas.

Dê um bom feedback

Ajude os funcionários a entender melhor sua inteligência emocional, sua importância na empresa e seus níveis de competência. Concentre-se em dados objetivos e expectativas claras. Para isso, dê reconhecimento positivo semanalmente para que eles estejam confiantes e confortáveis para receber um feedback mais crítico de uma maneira construtiva.

As necessidades básicas vem primeiro

Os colaboradores precisam saber que possuem recursos adequados e estabilidade antes de dedicar energia para a empresa.

Eles querem autonomia e trabalhar com propósito, mas não às custas de seu padrão mínimo de remuneração e benefícios.

Líderes devem ter a mesma visão

Os líderes devem incorporar os valores centrais da organização. Por isso, devem desenvolver sua inteligência emocional para que a empresa como um todo possa se inspirar e melhorar nos mais variados aspectos. Assim, se os colaboradores vêem desalinhamento na liderança com os valores da empresa, dificilmente o trabalho fluirá da melhor maneira.

Incentive com o coração

O reconhecimento de equipes e a oferta de incentivos em grupo ajudam as pessoas a se sentirem valorizadas e conectadas à empresa de uma maneira que melhora o bem estar, a produtividade e a lealdade.

Invista no bem estar

Programas e benefícios de saúde física e mental complementam a importância da inteligência emocional. Subsídios de condicionamento físico, aconselhamento psicológico gratuito e eventos sociais podem ajudar a controlar o sofrimento emocional no trabalho e em casa.

O processo começa com a autoconsciência e o autoconhecimento. Assim, como profissional de RH, é essencial aplicar essas dicas para incrementar a inteligência emocional, de forma a melhorar pessoal e profissionalmente.